Secretaria de Estado da Mulher comemora o sucesso dos seus 200 dias de atuação

Uma das ações da secretaria foi a criação do programa "Pacto Estadual de Enfrentamento à Violência contra a Mulher", em parceria com outras 20 secretarias estaduais e outras instituições públicas

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Divulgação

As ações da Secretaria de Estado da Mulher já impactaram mais de 1,35 milhão de pessoas no Rio de Janeiro em seus 200 dias de atuação. O Estado, que concentra o maior número de mulheres do Brasil, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), tem na sua composição demográfica 52,8% de mulheres – percentual superior às médias nacional (51,5%) e da Região Sudeste (51,8%). No comparativo à população masculina, esta fica atrás da feminina em 900 mil indivíduos, diante dos 8.477.499 de mulheres.

“É uma pasta inédita no Estado, que reúne um time entrosado e comprometido com a causa da mulher, que trabalha em ações que valorizam as cidadãs do Rio de Janeiro e que oferece empoderamento em forma de serviços que visam, prioritariamente, o bem-estar feminino. É um orgulho muito grande ter criado este espaço para que a mulher seja valorizada não só nas ruas, mas também na gestão pública”, comentou o governador Cláudio Castro (PL).

Durante esse período foram várias as ações implementadas pelo Governo do Estado. O “Pacto Estadual de Enfrentamento à Violência contra a Mulher” foi criado pela Secretaria da Mulher, em parceria com 20 secretarias estaduais, além de instituições públicas, que elaboraram um documento com 112 ações visando o fortalecimento de políticas públicas variadas de beneficiamento da população feminina. Entre os objetivos almejados estão a capacitação profissional e o fomento ao empreendedorismo.

Heloisa Aguiar, secretária de Estado da Mulher, lembrou que a participação das mulheres nos espaços de decisão política precisa ser uma prioridade no Rio de Janeiro, pois, no que diz respeito às demandas femininas, as ações passam a ser implementadas de forma mais ágil, uma vez que as mulheres têm acesso direto aos prefeitos e ao governador.

Advertisement

“A secretaria tem atuado junto aos municípios para que sejam criadas pastas municipais que se dediquem ao tema. Quando a mulher ocupa este espaço de decisão, ela briga de igual para igual com os outros secretários, ela tem acesso direto ao prefeito e ao governador, o que agiliza a implementação de ações e políticas para mulheres. É importante para mantermos diálogos com as outras pautas dos outros setores, como saúde, educação, segurança, porque estamos no mesmo patamar, de igual para igual”, disse a secretária, acrescentando que a criação de leis de incentivo à autonomia econômica das mulheres também representam um grande passo para que eles quebrem ciclos de violência de gênero: “Acreditamos que a autonomia econômica é uma das principais portas de saída do ciclo de violência doméstica. Por isso, trabalhamos para criar mecanismos ágeis e eficazes para promover a escolaridade, a profissionalização e o empreendedorismo”.

Campanhas “Ouviu um NÃO? Respeite a decisão”, “Tardezinha” e o show NUMANICE, realizado pela cantora Ludmilla, no Engenhão, também foram ações bem-sucedidas encabeçadas pela Secretaria de Estado de Mulher. O universo esportivo também foi foco da secretaria com a campanha “#ELAPODE – Diga NÃO à violência contra a mulher no esporte”, com lançamento em junho, no Dia Internacional do Surf, e na final do WSL em Saquarema. A secretaria também empreendeu ações de capacitação no interior fluminense, junto a fiscais de ônibus e vans intermunicipais, com a campanha “Não dê carona ao assédio”.

Outra ação bem-sucedida da secretaria foi a “Rede Mulher na Palma da Mão”, resultado da atualização do app gratuito “Rede Mulher”, que permite à mulher acionar a Polícia Militar, pedir ajuda a até “guardiões” que ela tenha cadastrado, fazer registro de ocorrência on-line, ter acesso a informações sobre medida protetiva e consultar a rede de atendimento voltada à violência contra a mulher.

A FAETEC também foi acionada, através da assinatura de um termo de cooperação reservando 5% das vagas da instituição para mulheres vitimadas pela violência doméstica. A Secretaria de Estado de Turismo, por sua vez, criou o Selo Mulher + Segura, certificação que indica os locais de eventos e pontos turísticos como ambientes seguros para mulheres.

A Secretaria de Estado da Mulher também verificou, através de um levantamento inédito respondido por 75 dos 92 municípios, que existem no território fluminense 38 Organismos de Políticas para Mulheres (OPMs). O resultado mostrou que, nos últimos dez anos, o Rio de Janeiro registrou um crescimento de 52,17% dos OPMs.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Secretaria de Estado da Mulher comemora o sucesso dos seus 200 dias de atuação
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui