Secretaria de Saúde do Rio amplia acesso à medicação preventiva ao HIV

A SMS registrou um marco no avanço desta política pública. Já são mais de 7,7 mil medicamentos do PrEP entregues nas 166 unidades dispensadoras

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
PREP e PEP / Reprodução

A Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro (SMS) atingiu um marco significativo este ano, com mais de 6.360 usuários cadastrados no serviço de saúde para a dispensação da medicação de pré-exposição ao HIV (PrEP). Desse total, 4.524 pacientes receberam prescrição da rede pública, marcando um avanço notável nas políticas públicas de prevenção do HIV.

A prescrição da PrEP é possível em qualquer unidade de Atenção Primária, como Clínicas da Família e Centros Municipais de Saúde. Após avaliação médica, a dispensação da medicação ocorre em 166 unidades dispensadoras na cidade, onde já foram entregues mais de 7,7 mil medicamentos.

Para garantir o acesso da população indicada ao tratamento, a rede de saúde expandiu o número de unidades dispensadoras da medicação PrEP de três em 2020 para 166 em 2023. E além disso, oferece o serviço no Centro Municipal de Saúde Rocha Maia, em Botafogo, com horário estendido, de domingo a domingo, das 7h às 22h, incluindo um ambulatório especializado que atende os usuários sem a necessidade de agendamento. O CMS está localizado ao lado do Super Centro Carioca de Vacinação, na Rua General Severiano, 91.

Larissa Terrezo, Superintendente de Atenção Primária da SMS, enfatizou a importância da ampliação do serviço para a promoção da saúde e da prevenção do HIV. “Os pacientes com indicação para o uso do PrEP têm acesso garantido, o que possibilita maior qualidade de vida. Além da ampliação das unidades dispensadoras, ter um CMS com horário de funcionamento diferenciado pode fazer toda diferença na vida de usuários, que por alguma razão não conseguem comparecer nas unidades que funcionam em horário comercial”, disse.

Advertisement

O que é PrEP:

A PrEP envolve o uso de medicamentos antirretrovirais por pessoas não infectadas pelo HIV, mas que estão em alto risco de contrair o vírus. Isso inclui casais, tanto heterossexuais quanto do mesmo sexo, onde um dos parceiros é portador do HIV, além de gays, outros homens que fazem sexo com homens, pessoas trans, pessoas que usam drogas, pessoas privadas de liberdade e profissionais do sexo, entre outros. A indicação da PrEP é avaliada por um profissional de saúde na unidade de Atenção Primária, considerando o risco de infecção.

O objetivo da PrEP é reduzir o risco de infecção pelo HIV, com o uso diário de um comprimido. Vale ressaltar que a medicação não previne outras infecções sexualmente transmissíveis, portanto, deve ser combinada com outras medidas de prevenção.

Diferenças entre PrEP e PEP:

A PEP (profilaxia pós-exposição) consiste no uso de medicamentos antirretrovirais por 28 dias para reduzir o risco de infecção pelo HIV após uma exposição ao vírus, como relações sexuais desprotegidas, violência sexual ou acidentes com material biológico. A pessoa exposta deve procurar rapidamente uma unidade de saúde para avaliação, onde serão realizados testes para HIV, sífilis e hepatites virais. Com base nos resultados e na avaliação de risco, o profissional de saúde decidirá sobre o uso da medicação. Todas as unidades de saúde no município do Rio de Janeiro oferecem os medicamentos e testes necessários para este procedimento.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Secretaria de Saúde do Rio amplia acesso à medicação preventiva ao HIV
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui