Secretaria do Consumidor realiza, nesta terça, campanha sobre fraudes digitais contra idosos

Segundo o ISP-RJ, no 1º semestre de 2022, houve um aumento de 78% dos casos de crimes digitais contra a 3ª idade

Tijuca Presente na Praça Saens Peña na zona norte da cidade. Foto: Paulo Vitor.

Com a proximidade da Black Friday, a Secretaria de Estado de Defesa do Consumidor (Sedcon), realiza nesta terça (1), das 13h às 16h, na Praça Saens Peña, na Tijuca, uma ação de prevenção e orientação da população contra fraudes e golpes virtuais. A data comercial representa uma grande preocupação para o poder público, uma vez que há o registro de aumento de casos de golpes nesta ocasião. Segundo a secretaria, a população idosa é a mais vulnerável à atuação de criminosos.

Uma pesquisa realizada pelo Instituto de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro (ISP-RJ), identificou um aumento de 78% do aumento de casos de estelionato envolvendo idosos, no primeiro semestre de 2022. Entre janeiro e junho deste ano foram registrados 14.386 casos, contra 8.091, no mesmo período de 2021.

O titular da Sedcon, Rogério Amorim, destacou que a ação da secretaria vai se estender até o Natal, data festiva na qual ocorre o maior número de crimes digitais contra os consumidores fluminenses, especialmente os da terceira idade.

A Sedcon realizará várias abordagens aos consumidores para repassar as orientações contra os golpes digitais.  Na Saens Peña, serão distribuídos panfletos com orientações sobre como a navegar na internet e fazer compras com mais segurança. As orientações da Sedcon é de que as pessoas desconfiem de ofertas muito vantajosas, verificando a autenticidade das informações, além de estarem atentas a mensagens promocionais enviadas por WhatsApp, especialmente as supostamente enviadas por instituições bancárias. Os bancos não procedem assim, por motivo de segurança.

Um levantamento feito pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban) verificou que, em 2020 (período pandêmico), foi registrado um aumento de 60% em tentativas de golpes financeiros contra idosos, nos quais foram usados mecanismos de pressão psicológica para o fornecimento de informações confidenciais, como senhas e números de cartões.

A instituição recomenda que, caso o consumidor desconfie ter caído em algum golpe, ele deve ir até uma delegacia de polícia para registrar um Boletim de Ocorrência, além de comunicar à sua instituição bancária.

As informações são do Portal Grande Tijuca.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui