Secretário de Governo de Duque de Caxias é preso por possível participação em fraude de cartões de vacinação ligados a Bolsonaro

João Carlos de Sousa Brecha é suspeito de integrar um grupo que, segundo as investigações, teria fraudado cartões para ajudar Bolsonaro a entrar nos Estados Unidos

João Carlos de Sousa Brecha - Foto: Reprodução

Na manhã desta quarta-feira (03/05), a Polícia Federal (PF) prendeu João Carlos de Sousa Brecha, secretário municipal de Governo de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Ele é suspeito de integrar um grupo que, de acordo com as investigações, fraudou cartões de vacinação da Covid-19 durante o mandato de Jair Bolsonaro na presidência da República.

Na Operação Venire, que apura a inserção de dados falsos referentes à imunização nos sistemas do Ministério da Saúde, os agentes cumprem 16 mandados de busca e apreensão no Rio de Janeiro e em Brasília. Os investigados teriam ajudado Bolsonaro, sua família e pessoas próximas a entrar nos Estados Unidos, burlando a determinação de vacinação obrigatória contra a doença.

De acordo com a ”TV Globo”, teriam sido forjados os cartões de vacinação do ex-presidente; de sua filha Laura, atualmente com 12 anos; e do ex-ajudante de ordens Mauro Cid Barbosa, além de sua esposa e filha. O ex-funcionário de Bolsonaro, inclusive, assim como João Carlos, também foi preso nesta quarta.

Em relação às buscas e apreensões, são alvos também o deputado federal Gutemberg Reis (MDB), irmão do ex-prefeito de Duque de Caxias Washington Reis; o ex-vereador Marcelo Moraes Siciliano; o advogado e deputado estadual suplente Ailton Barros; e a servidora da Prefeitura caxiense Camila Paulino Alves Soares.

Claudia Helena Acosta Rodrigues da Silva, por sua vez, chefe da Central de Vacinas de Duque de Caxias, foi conduzida à sede da PF para prestar esclarecimentos.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui