Seop faz operação para retirar veículos abandonados na orla da Zona Sul

Na última semana, a secretaria já realizou 26 autuações e removeu mais de 15 veículos que estavam parados, quebrados, sem placas ou qualquer regularização nas ruas do Rio

No Rio de Janeiro está se tornando comum ver nas ruas caminhões, vans, kombis e caminhonetes, ocupando vagas, funcionando como uma espécie de depósito de sujeira, desordem e até mercadorias. Contudo, a prática deste ato é ilegal. E para coibir a ação e evitar a ocupação indevida de vagas, a Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria de Ordem Pública (Seop), tem feito a remoção desses veículos das vias da orla e do primeiro quarteirão das ruas perpendiculares.

A SEOP informa que a fiscalização é contínua, mas se intensifica com a proximidade do verão, período em que as praias ficam mais cheias. Quando a Seop identifica a irregularidade, é feita uma notificação e, depois do prazo de 20 a 30 dias, há a remoção do veículo.

Na última semana, a secretaria afirma ter realizado cerca de 26 autuações, além de remover quatro caminhões, oito Kombis, três vans e apreender outros nove veículos. Os automóveis estavam parados, quebrados, abandonados, sem placas ou qualquer regularização.

A resolução que proíbe o estacionamento de vans, Kombis, furgões e similares próximo às praias da Zona Sul e da região da Barra da Tijuca e Recreio dos Bandeirantes foi publicada pela Secretaria Municipal de Transportes em 2013.

A SEOP e a Subprefeitura da Zona Sul vem realizando, há algumas semanas, uma intensificação das operações. Flávio Valle, subprefeito da Zona Sul, afirma que as ações não são para impedir a carga e descarga do material comercializado pelos ambulantes.

A gente não é contra fazer carga e descarga, mas tem que ter um ordenamento mínimo. Só tem que fazer um pouco mais longe, e não na beira da praia. Não dá para fazer a remoção de um dia para o outro, a Seop está fazendo dia por dia. Alguns desses veículos ficam sempre e outros são itinerantes”, explica o subprefeito.

A ideia da operação é garantir, também, que as vagas fiquem livres para as pessoas que transitam pela orla. De acordo com o secretário de Ordem Pública da prefeitura, Brenno Carnevale, as regiões abrangidas pela operação são os “cartões postais” da cidade.

“A gente tem um olhar muito criterioso para esse tipo de situação, porque a gente precisa trazer ordenamento para a cidade e cuidar para que o ambulante regularizado seja respeitado. A prefeitura tem um olhar de ordenamento principalmente nas orlas, que são cartões postais da nossa cidade, aprazíveis e frequentados por turistas e cariocas, então precisa ser um lugar ordenado e absolutamente seguro para as pessoas”, diz Carnevale.

Vídeo: SEOP/DIVULGAÇÃO
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui