Slackpoints para preservar meio ambienteFui procurado por alguns praticantes de slackline – prática esportiva ao ar livre que já se incorporou à paisagem da orla carioca -  preocupados com os danos causados aos coqueiros e a outras árvores usadas para afixar as fitas sobre as quais os atletas realizam manobras acrobáticas.

Para que o esporte se desenvolva ainda mais, sem danificar o meio ambiente, solicitei à prefeitura, por intermédio da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer, a instalação de suportes de madeira (slackpoints) em praias e parques.

O slackline já virou moda no Rio, é mais um símbolo positivo da cidade. É um esporte barato, que se caracteriza pela prática de manobras acrobáticas sobre uma fita elástica esticada entre dois pontos. A modalidade conta, inclusive, com federação internacional, intitulada WS FED. No fim deste ano, o Rio sediará o Campeonato Nacional do esporte.

A praia é o  local ideal para a prática do slackline, pois a areia amortece as inevitáveis quedas dos atletas durante o treinamento. Por falta de opção, os praticantes utilizam árvores e coqueiros como ponto de fixação de suas fitas. A  solução da colocação de slackpoints já foi adotada com sucesso em cidades como Niterói e São Paulo (Parque do Ibirapuera), entre outras.

29 anos, advogado, é o mais jovem eleito para a Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro, na qual é membro da Comissão Permanente de Justiça e Redação. Presidiu a Atlética de Direito, o Centro Acadêmico de Direito e o Diretório Central dos Estudantes (DCE) da PUC. Foi um dos criadores do Movimento Ficha Limpa e, atualmente, preside a Juventude Progressista. É pós-graduado em Direito Fiscal pela PUC-Rio e cursa pós-graduação em Administração Pública na FGV e Gerência e Gestão de Projetos na UFRJ.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui