Sonhando Acordado – A Estrada mais linda da Argentina: A fantástica Ruta do 7 Lagos!

Nossos viajantes seguem descobrindo as belezas e atrações da Argentina

Acordamos bem cedo e animados para começarmos um dos principais trechos da nossa expedição. Nada obstante, por mais que tivéssemos desfrutado das últimas semanas e nos preparado para partir, estaríamos mentindo em dizer que foi tranquilo sairmos de Bariloche. O coração estava apertado, vivenciamos muita coisa linda e, se você perdeu, volta nas últimas colunas para conferir nossa experiência em “Brasilloche”.

Nos pareceu que nem São Pedro estava feliz com nossa partida, pegamos um dia nublado com chuvas intermitentes em nosso trajeto até Villa la Angostura (82km). Mesmo com o tempo feio, tivemos uma prévia do que estaria por vir. O caminho é belíssimo!

Antes de iniciarmos o famoso trecho da Ruta Nacional 40 tínhamos uma tarefa doméstica para resolver: lavar roupa. Só que dessa vez com uma novidade: mofo! Quando planejamos as capas das almofadas que formam o nosso sofá/cama fizemos com base na nossa vivência brasileira e carioca. Escolhemos o tecido impermeável Aqua Block, queríamos algo confortável para os momentos de calor, com praia, piscina, rios e cachoeiras.

Nos esquecemos do frio. Nossa cama não só fica gelada por conta do material como a umidade decorrente da condensação dentro da casa ocorre nas espumas também. Não havíamos feito orifícios ou armado estrados na parte da cama. Erro grave. Por conta das baixas temperaturas de noite e o calor do corpo quando estamos deitados acordamos com a superfície que forma a base da nossa cama onde apoiamos nossas almofadas levemente molhadas. Não imaginávamos que isso ocorreria dentro delas. Descobrimos um pouco tarde, quando o mofo havia se instalado em algumas espumas e alcançado sutilmente as capas de proteção.

Pesquisamos nas lavanderias de Villa la Angostura se alguma delas faria o chamado “lavado a seco”, pois queríamos saber maiores detalhes sobre sua eficiência em combater o mofo. Em nossa busca nos sentimos, pela primeira vez, discriminados. Acredite se quiser. Mais do que maltratados em um dos estabelecimentos, fomos vítimas de xenofobismo por sermos brasileiros no que poderíamos considerar uma tentativa de extorsão. Algo absurdo que nunca havíamos vivenciado e sequer sabemos descrever o sentimento envolvido nesse momento tão delicado.

Não queremos generalizar (inclusive porque fomos MUITO bem tratados em toda Argentina) ou alarmar algo tão sério, mas, em contrapartida, foi algo forte, que não seria justo deixarmos de fora dos nossos relatos. Tristes e chateados, encontramos outra lavanderia, sacudimos a poeira, demos a voltar por cima e seguimos.

Durante essa noite sentimos muito frio dentro de casa, algo anormal, sentíamos o ar frio durante a respiração, os movimentos fora das cobertas eram complexos e incômodos. Havia algo que não estava certo. Quando acordamos nos deparamos pela primeira vez com a casa “congelada”! Os vidros das janelas estavam repletos de gelo! A lataria do carro e as folhas esparramadas pelo chão do estacionamento estavam encobertas pela geada. Nesse dia tivemos a certeza de que o respeito e o medo do frio é algo 110% justificável.

Em que pese o frio, o dia estava lindo, sem uma nuvem no céu. Nossa previsão do tempo estava correta e iniciaríamos a famosa Rota dos 7 Lagos! Estávamos tão felizes e ansiosos que os contratempos do dia anterior ficaram para trás.

Mas afinal de contas, o que é essa tal “Rota dos 7 Lagos?

Ela consiste no trajeto da Ruta Nacional 40 (RN40) de aproximadamente 110km entre as cidades de Villa la Angostura e San Martin de los Andes, no qual estão compreendidos os lagos Correntoso, Espejo, Escondido, Villarino, Falkner, Machonico e Lácar. Na realidade, esses são os chamados lagos oficiais, pois nas proximidades ainda é possível visitar os lagos Nahuel Huapi, Espejo Chico, Traful e Hermoso. Ou seja, são 11 lagos em uma paisagem cinematográfica de deixar qualquer um desnorteado.

O percurso é tão famoso que atualmente existem passeios de agências de turismo para quem está hospedado em Bariloche poder conhecê-lo. São excursões de um dia inteiro com pequenas pausas para rodar em torno de 320km (ida e volta). Apesar do asfalto, nos parece cansativo e corrido demais. Sem contar que os lagos secundários somente são acessados por caminhos de rípio e não são usualmente visitados.

Vantagem de viver em um motorhome, pudemos desfrutar de toda a Rota dos 7 Lagos com calma e tranquilidade, dedicando o tempo que reputamos suficiente para cada uma das paradas. No final das contas, decidimos inclusive dormir em alguns deles. Destinamos quatro dias inteiros e confessamos para você que foi pouco. Expenderíamos facilmente a média de 1 dia por lago.

Em nosso roteiro iniciado em Villa la Angostura passamos, em ordem, nos lagos: Nahuel Huapi, Correntoso, Espejo, Espejo Chico, Villarino, Falkner, Hermoso, Machonico e Lácar. Infelizmente não nos foi possível chegar até o Traful. Até arriscamos e fizemos os primeiros 5km, mas as péssimas condições da estrada e o pouco tempo que ficaríamos no destino nos fez regressar.

Além dos lagos oficiais e extraoficiais, tivemos o bônus de conhecer o Río Correntoso, a Cascada Voliñanco e o Mirador Bandurrias.

Dentre as inúmeras experiências vivenciadas nesses dias, uma sobressaiu. Quando chegamos de manhã cedo na praia do Lago Espejo fomos caminhar pela areia. Todavia, ao nos aproximarmos descobrimos que não havia areia! O que estávamos vendo completamente branco era gelo! A praia estava congelada! Com o passar dos minutos e o calor do sol que nascia vimos, aos poucos, o gelo derretendo. Surreal. Nunca tínhamos visto algo assim, ficamos impactados. Tomamos nosso café da manhã com esse visual incrível.

É difícil descrevermos com precisão aquilo que nossos olhos viram em cada um desses momentos. Por sorte, podemos fazer uso da fotografia para facilitar (aliás, se você curte vídeos, confere lá no Instagram que são de cair o queixo!). Dentre os lagos que visitamos reputamos pertinente algumas pequenas considerações: (i) lagos Nahuel Huapi, Correntoso, Espejo e Láscar são colados na cidade, permitindo a hospedagem; (ii) lagos Espejo Chico, Villarino e Falkner possuem campings às suas margens; e (iii) lagos Escondido e Machonico contam apenas com miradores.

Claro que não podemos finalizar essa coluna sem elegermos o nosso ranking dos lagos mais fantásticos de toda a Rota dos 7 Lagos. Em primeiro lugar rolou um empate técnico, problema comum para quem viaja em casal e só conta com dois votos (risos): Correntoso e Espejo. Logo em seguida estão os lagos Hermoso e Láscar para finalizar o pódio. Em último lugar, rebaixado em nossa humilde opinião está o lago Escondido, um mero pit-stop em um mirador que não possui uma boa visibilidade e não conta com estrutura.

Quer acompanhar de pertinho essa aventura?! Corre lá no Instagram @sonhandoacordadobr !

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui