STF mantém inelegibilidade de Washington Reis e Cláudio Castro procura novo vice

No momento é difícil qualquer aposta em quem ficará no lugar de Washington Reis, o favorito é o vereador Alexandre Isquierdo

Problemas para a campanha de reeleição do governador Cláudio Castro (PL), o Supremo Tribunal Federal rejeitou um recurso apresentado pelo ex-prefeito de Duque de Caxias e candidato a vice da chapa de Castro, Washington Reis (MDB). Ele tentava reverter uma decisão da Justiça de 2016 em que foi condenado a 7 anos, 2 meses e 15 dias de reclusão.

Na época, o relator do caso, ministro Dias Toffoli, destacou que os autos comprovam que o Washington Reis participou de todo o processo de loteamento da área, que ocorreu sem autorização do órgão público competente. Em alegações finais enviada ao STF, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, destacou que Washington Reis, à época prefeito de Caxias, determinou a execução de loteamento denominado Vila Verde e dificultou a ação fiscalizadora do poder público, mediante recusa de assinatura de autos de fiscalização e ocultação de máquinas empregadas na obra. 

Votaram pela condenação de Reis os ministros Edson Fachin, Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes, da Segunda Turma do STF. Pela absolvição os 2 indicados pelo presidente Jair Bolsonaro (PR), aliado de Reis, André Mendonça e Kássio Nunes Marques.

Agora, cabe ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Rio de Janeiro avaliar se Reis pode ser enquadrado na Lei da Ficha Limpa como inelegível e decidir se barra ou não o registro de candidatura dele. Para o Ministério Público Eleitoral, Reis está inelegível mesmo antes de os primeiros embargos serem rejeitados. Já a defesa de Reis disse ao TRE que a Segunda Turma, em 2020, suspendeu os efeitos da condenação até o julgamento de todos os recursos, o que ainda não ocorreu.

Especialista em Direito Eleitoral ouvido pelo DIÁRIO DO RIO diz que Washington Reis se mantinha elegível por conta de uma liminar que foi dada em julgamentos anteriores, mas agora que ele foi derrotado no mérito, a liminar perderia a eficácia. Entretanto, como ele perdeu por 3 x 2 pode entrar com embargos infringentes, ou seja, requerer um novo julgamento pelo Plenário do STF, assim recuperando seus direitos políticos e podendo escapar da prisão. Mas estes embargos não têm efeito suspensivo, assim ficaria sem seus direitos políticos.

Desta forma, a chapa de Castro ficaria contaminada, ficando sub judice. O próximo passo então será uma reunião da ampla coligação de Cláudio Castro formada pelos partidos AVANTE / DC / MDB / PL / PMN / PODEMOS / PP / PROS / PRTB / PSC / PTB / REPUBLICANOS / SOLIDARIEDADE / UNIÃO BRASIL para a escolha de um novo vice. Ele tem até o dia 12 de setembro para escolher um novo vice, mas a decisão deve acontecer antes.

Quem deve ser o novo vice de Cláudio Castro?

Foto: Júlia Maia /CMRJ

Com o jogo já iniciado, é difícil qualquer tipo de análise. Washington Reis pode insistir que seja um de seus irmãos, e colocar outro para ser candidato a estadual ou federal, mas a ampla aliança pode não aceitar;

Tem se ouvido falar que o vereador do Rio, Alexandre Isquierdo (União Brasil) possa ser o candidato, evangélico, bolsonarista, e ligado ao pastor Silas Malafaia, tem sido o principal articulador do governador Cláudio Castro entre as igrejas evangélicas do Rio de Janeiro. Dentro do União também teria a possibilidade de pegar o candidato a deputado federal Vinicius Farah, o problema são as dobradinhas já montadas pelo político para sua reeleição.

É o mesmo que pode acontecer com nomes do Progressistas, Dr. Luizinho, forte liderança do partido seria um vice dos sonhos, mas além de puxador de votos, tem dobradinhas e apoios por todo o estado, além da possibilidade até de ser líder ou mesmo presidente da Câmara no futuro. Enquanto Marcelo Queiroz não pode ser esquecido, com forte potencial de votos, traria uma leveza para a chapa do governador, com sua pauta ligada a causa animal, agricultura e transplante, além de não causar problema com outros políticos, mas já tem suas dobradinhas montadas pelo estado.

A deputada federal Rosângela Gomes do Republicanos chegou a desejar a vaga de vice, e pode ser um aceno ao público feminino e evangélico, e suas dobradinhas poderiam ir facilmente para o ex-prefeito Marcelo Crivella sem muitos problemas visto a forma que é formado o seu partido. Também poderia ter a saída de Romário (PL) da corrida do Senado, em que sua liderança vem sendo colocada em risco, e pode trazer votos importantes para uma reeleição do governador no 1º turno.

Mas são conjecturas difíceis neste momento, o que se imagina é que dificilmente será mantido o nome de Washington Reis, com o risco da candidatura de Cláudio Castro ser impugnada.

Advertisement

3 COMENTÁRIOS

  1. Peço que, por favor, parem de colocar os evangélicos num pacote só. Há MUITA diferença entre uma igreja neopentecostal e uma igreja protestante histórica.

    • Nem se estressa, não vale a pena! Tem muita gente ignorante e cheias de si, por isto falam do que não sabem! Infelizmente são estes que ajudam a eleger estes demônios que querem tragar o Brasil, e acabam por nos colocar a todos em apuros.
      Graças À Deus e as orações dos que tanto eles perseguem, Deus tem nos dado livramento, e a obra que Ele começou, Ele vai terminar independente da vontade dos homens maus e dos ignorantes!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui