Subprefeitura de Jacarepaguá acaba com ponto de prostituição e consumo de drogas na Av. Ayrton Senna

"Oferecemos acolhimento em Unidades de Reinserção Social da Prefeitura (URS), mas nenhum deles aceitou", disse a subprefeita de Jacarepaguá

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Poder público municipal durante ação na Av. Ayrton Senna, na Zona Oeste da cidade / Divulgação

Mais de 10 barracos que abrigavam dezenas de pessoas e ainda serviam como ponto de uso de drogas e prostituição, na Avenida Ayrton Senna, em Jacarepaguá, foram desocupados, nesta segunda-feira (10), em ação conjunta deflagrada pela Subprefeitura de Jacarepaguá, Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop), Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (PMERJ),Guarda Municipal do Rio de Janeiro (GM-Rio), Secretaria Municipal de Assistência Social (SMAS) e a Companhia de Limpeza Urbana (Comlurb). A ação do poder público municipal teve como finalidade impedir a instalação e posterior crescimento de mais uma favela no Rio de Janeiro.

Não é primeira vez que a região sofre uma tentativa de ocupação desordenada, segundo a subprefeita de Jacarepaguá, Talita Galhardo. A Subprefeitura já havia realizado outras incursões na região para debelar a instalação da desordem. Ainda segundo a subprefeita foi oferecido aos ocupantes dos precários barracos, o direcionamento para Unidades de Reinserção Social da Prefeitura (URS). Auxílio que não foi aceito pelos invasores. Aos usuários de droga também foi ofertada ajuda, que foi prontamente negada. A Comlurb retirou aproximadamente 10 toneladas de lixo do local.

 “Os barracos estão em condições precárias. Oferecemos acolhimento em Unidades de Reinserção Social da Prefeitura (URS), mas nenhum deles aceitou. Infelizmente não podemos obrigar ninguém a ir para uma URS ou buscar tratamento nas Unidades de Saúde. Mas, vamos continuar persistindo e trabalhando na região todos os dias”, afirmou Talita Galhardo.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Subprefeitura de Jacarepaguá acaba com ponto de prostituição e consumo de drogas na Av. Ayrton Senna

Advertisement

Leia também

10 coisas que só quem anda de ônibus no RJ vai entender

Polícia Militar planeja ampliar sistema de reconhecimento facial para 650 câmeras no RJ

Advertisement

4 COMENTÁRIOS

  1. TERIA q.ter uma LEI, q.obrigasse o DOENTE … dependente das DROGAS, se4r levado à força p/TRATAMENTO. Pois uma pessoa doente, nao tem condicões de escolhas .

  2. Se tivessem legalizado as drogas certamente não estariamos gastando tantos recursos em vão. A população fica a mercê dessa situação insustentável, pagando um preço alto.

  3. Tem de haver uma rotinca de limpeza periódicas nestes locais. Onde há degradação humana só tende a piorar com o abandono, infelizmente esta situação é parte da sociedade, tratamos como um problema alheio, o que na verdade pertence a todos. A sociedade é uma só, as pessoas deveriam se lembrar disso todos os dias, não é porque passamos de carro confortável ao lado, que aquilo não nos pertence. Falta muita coisa nesse Brasil, mas somos todos carentes de união.
    Os políticos que gritam para nos dividir, só que colher os frutos dessa deunião.
    Acorda povo.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui