Supermercados Mundial quase demitiu 400 pessoas por empurra-empurra entre Light e CET-Rio

A unidade está totalmente pronta e não foi inaugurada por conta de burocracias de aprovação, o que quase acarretou demissões

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Imagem Meramente Ilustrativa/Reprodução: Internet

O Supermercados Mundial investiu em uma reforma significativa em sua filial na Rua do Matoso, 60, na Praça da Bandeira, entretanto, um impasse entre a Light, concessionária de energia elétrica, e a CET-Rio, da Prefeitura do Rio, está impedindo a inauguração do estabelecimento. A situação se arrastava há cerca de um mês, o que fez o estabelecimento tomar medidas drásticas e ameaçar demitir os 400 empregados que aguardam para iniciar os trabalhos. Esse foi o teor do desabafo público de um de seus sócios, nesta terça-feira (17/01), em uma rede social.

A equipe do estabelecimento, após a conclusão das obras, solicitou à Light um aumento na carga elétrica para atender às demandas da filial renovada. E o que deveria ser um simples procedimento transformou-se em um grande problema para o empreendimento, pois a empresa não realizou o serviço, que dependia da ação da CET-Rio em autorizar a obra, para a qual seria necessário bloquear duas esquinas segundo o órgão de engenharia de tráfego, e uma esquina apenas segundo a Light.

A falta de uma previsão para a solução do problema, impossibilitou por completo a operação do empreendimento, o que levou o Supermercado Mundial à cogitar a difícil decisão de desligar parte dos funcionários contratados para operar a filial na Tijuca, que totaliza 400 colaboradores.

O dia de hoje foi marcado por uma grande polêmica causada pela publicidade dada ao assunto após o desabafo do sócio do Mundial Ricardo Leite em um grupo de WhatsApp: “Estamos há quase um mês com a loja praticamente pronta. Mas não conseguimos inaugurar por que a Light não faz a ligação da luz. Como nao temos a menor previsão de conseguir resolver o problema, hoje vamos começar a desligar parte dos 400 funcionários contratados para operar a filial. Perde a população, perdem os funcionários, perde o Estado, perde a nossa empresa e perde a Light.”

Advertisement

A assessoria de imprensa do Supermercado Mundial, em nota ao DIÁRIO DO RIO, amenizou as palavras do dono e informou que “durante o período da reforma, todos os colaboradores da filial foram realocados em outras unidades da rede, garantindo a continuidade de suas funções e trabalho. Não há previsão de cortes ou redução no quadro de funcionários em virtude dessa reestruturação.”

A reabertura da filial, que estava prevista para acontecer na segunda semana de 2024, no dia 9 de janeiro, precisou ser adiada, pois aguarda a autorização da Light, concessionária responsável pelo fornecimento de energia elétrica, para retomar as operações e atender à demanda da comunidade local.”

Já a Light informou que vai verificar o caso. “A empresa atende os pedidos de aumento de carga dentro do exigido pela legislação. No entanto, existem muitos casos que a empresa não faz o aumento de carga em função da falta de documentação entregue à concessionária ou por sistema inadequado para que a empresa possa fazer a ligação com segurança até para o cliente.

De acordo com o administrador de imóveis Wilton Alves este “empurra-empurra” entre a Prefeitura e as concessionárias é cada vez mais comum no Rio de Janeiro. “Ninguém quer tomar a responsabilidade e tentam nos empurrar de um lado pro outro. Ocorre a mesma coisa com a Águas do Rio, a Light, a Rio Águas, às vezes parece que eles têm prazer em não resolver e dizer pra gente procurar outro. E o outro, diz pra gente procurar o um. Me solidarizo.”

O desabafo de Leite acabou por unir as partes envolvidas em torno de uma solução. No final do dia, a Light, a CET Rio e o Mundial acabaram se resolvendo e os funcionários da filial vão em breve iniciar os trabalhos. O impasse entre a Light e a CET Rio acabou e a obra será executada, permitindo que os consumidores da Tijuca e adjacências, ainda este mês, possam conhecer as novas instalações do estabelecimento.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Supermercados Mundial quase demitiu 400 pessoas por empurra-empurra entre Light e CET-Rio
Advertisement

16 COMENTÁRIOS

  1. Peço a Deus que empresas melhores possam abrir as portas para todos,onde sejam valorizados e ninguém se ache melhor que ninguém,o empresa pra ter puxa saco de liderança igual a essa,engraçado q esse tipo de gente acha q vai virar o dono do mercado,os donos não dar um boa tarde pros funcionários,se o trabalhador não meter a mão o mercado não funciona,vcs vão morrer e não vão levar nada,seus filhos q vão ficar brigando.
    Cansei de ver esses bacanas q vão fazer compras tratar os funcionários como um ferrado,e o gerente ainda fica a favor do cliente achando que eles são um deus e o colaborador um lixo sem valor.Que feche todos,pq Deus não desampara os seus filhos.Bando de ricos miseráveis

  2. A pessoa vive mais no mercado do que com a família,peço a Deus que empresas melhores possam abrir as portas para todos,onde sejam valorizados e ninguém se ache melhor que ninguém,o empresa pra ter puxa saco de liderança igual a essa,engraçado q esse tipo de gente acha q vai virar o dono do mercado,os donos não dar um Boa tarde pros funcionários,se o trabalhador não meter a mão o mercado não funciona,vcs vão morrer e não vão levar nada,seus filhos q vão ficar brigando.
    Cansei de ver esses bacanas q vão fazer compras tratar os funcionários como um ferrado,e o gerente ainda fica a favor do cliente achando que eles são um deus e o colaborador um lixo sem valor.Que feche todos,pq Deus não desampara os seus filhos.Bando de ricos miseráveis

  3. Sra e Sr.
    A Light é uma empresa privada e como tal alardeiam os privatistas, deveria dar o exemplo de empresa de mercado,como defendem os senhores que tanto condenam as empresas públicas.Ela simplesmente faz igual ou pior que uma estatal

  4. Ausência total de boa vontade! É assim que ficamos ao bel prazer dessas concessionárias, autarquias e etc com tanta burocracia para fornecer o serviço ao público que paga em dia suas contas. Pelo contrário é cortado o fornecimento. A falta de políticas públicas é corroído pela corrupção.

  5. Ausência total de boa vontade! É assim que ficamos ao bel prazer dessas concessionárias, autarquias e etc com tanta burocracia para fornecer o serviço ao público que paga em dia suas contas. Pelo contrário é cortado o fornecimento. A falta de políticas públicas é corroído pela corrupção.

  6. Aleluia!
    É uma pouca vergonha essa soluça de quem é a responsabilidade disso ou daquilo.
    Se faz por debaixo dos panos está errado e se quer fazer o certo não se consegue. Uma burocracia infernal.
    Tem que acabar com essas concessionárias Light, CET Rio e pronto.
    Palhaçada tremenda….
    Isso deve ser para sempre estar ba mídia.

  7. Não existe essa de empresa pequena e grande. Todas elas independente de porte são coagidas seja por representantes da autoridade ou de prestadores de serviço. É a taxa de oxigênio, a encomenda, o pixuleco, o cascalho, etc…Só não dá para acreditar na teoria de que quem paga é o funcionário. É a economia pura e simplesmente. Para uma empresa dessas contratar funcionário ele entre ganhando salário sem trabalhar para o público, é treinado, alimentado, recebe fardamento e transporte. Porém, se o empreendimento não é posto pra funcionar, ou é reabsorvido em outras unidades, e aí entra a força de empresa de maior porte ou é desligado. Se a loja não funciona, não gera receita, imposto, emprego direto e indireto, que está sendo esquecido na matéria (costuma ser uma razão de 4 por 1), consumo. Por conta dessas cagadas que o Rio se torna um lugar bem escroto para a atividade econômica e quem perde é o cidadão que paga no final de alguma forma.

  8. É triste ver que o trabalhador que não tem nada haver, sempre pagar o Pato pela irresponsabilidade dessas empresa. Você não tem valor, vc e substituível, o corte Começa pelos funcionários que não tem nada haver! Por isso não dê a vida por empresa nem uma, ainda mais mercado que te escraviza de domingo a domingo é msm assim querem tirar o mínimo do nosso direito. Faça só que foi feito pra fazer, o que nunca é só isso ainda mais no mercado mundial.

  9. Por isso que não se deve dar a vida por uma empresa: o primeiro corte de despesa é sempre o funcionário. Nunca faça nada além daquilo para que foi contratado

  10. Todas as noites temos picos de luz no condomínio onde moro no Recreio do Bandeirantes, temos centenas de registros acionando a Light e nada muda. A luz vai e volta umas 15 vezes a noite toda.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui