TCE-RJ aponta superfaturamento de R$ 5,6 milhões em construção de ponte em Duque de Caxias

Segundo a auditoria do Tribunal de Contas do Estado do Rio, a construção já custou R$ 12 milhões e não tem previsão para ficar pronta

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Foto: Reprodução/GloboNews

Uma auditoria do Tribunal de Contas do Estado do Rio apontou indícios de superfaturamento nas obras da Ponte do Pilar, em Duque de Caxias, paradas há 1 ano e 4 meses. A construção já custou R$ 12 milhões e não tem previsão para ficar pronta.

Os auditores afirmam agora que a comissão de fiscalização da Secretaria Estadual de Infraestrutura e Obras Públicas atestou a realização de serviços que não foram prestados pela empresa contratada. O relatório do TCE-RJ aponta que Ômega Construtora recebeu R$ 5,6 milhões para montar as vigas de aço que sustentam a ponte, mas a estrutura metálica ainda está no chão. A informação foi divulgada pelo portal de notícias “g1”.

A auditoria apontou que cinco pessoas foram responsáveis por atestar os serviços não prestados e autorizar os pagamentos. Entre elas, o engenheiro Bruno Vale Ferreira, ex-subsecretário estadual de Obras. O plenário do TCE-RJ determinou a devolução do dinheiro aos cofres públicos ou a apresentação de defesa. A conselheira Mariana Montebello Willeman também pediu que o Ministério Público (MPRJ) investigue o caso.

O contrato foi assinado em 2021 pelo secretário estadual de Infraestrutura e Obras Públicas, Uruan Cintra, com o objetivo de desafogar o trânsito em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, com uma ligação direta entre o bairro do Pilar e a Rodovia Washington Luís. A inauguração da ponte estava prevista para setembro de 2022, mas naquele mês a obra parou.

Advertisement

Leia também

Estrangeiros LGBTQIA+ estão comprando todos novos imóveis de Ipanema – Bastidores do Rio

TransBrasil inicia operações neste sábado, da Penha ao Terminal Gentileza

A GloboNews e o Rj2 mostraram que o projeto de engenharia que fez parte da licitação estava errado. Faltavam mais de 500 toneladas de viga de aço para concluir a ponte. Para os auditores do TCE-RJ, o responsável pelo erro no projeto que parou a construção da ponte é Valber Januário, atual secretário de Obras de Duque de Caxias. Em nota, a prefeitura de Duque de Caxias negou as irregularidades e informou que Januário vai apresentar a defesa dentro do prazo.

O engenheiro Bruno Vale Ferreira, ex-subsecretário de Obras, negou qualquer irregularidade, afirmou que houve um erro nas conclusões do TCE-RJ e que vai esclarecer os fatos dentro do prazo. Já o Governo do Estado informou que, até o momento, não há decisão do TCE-RJ reconhecendo superfaturamento no pagamento dos serviços já executados e disse que as questões apontadas pela auditoria estão sendo respondidas.

O Governo ressaltou que a Secretaria de Infraestrutura e Obras Públicas também instaurou sindicâncias para apurar responsabilidades e verificar se houve problema na obra, e que essa investigação está sendo acompanhada pela Controladoria Geral do Estado. Disse também que uma nova licitação para a conclusão da obra está marcada para o dia 22 de janeiro.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp TCE-RJ aponta superfaturamento de R$ 5,6 milhões em construção de ponte em Duque de Caxias

Advertisement

3 COMENTÁRIOS

  1. O que mais impressiona é que, COMO SEMPRE, ninguém será punido com demissão e/ou cadeia…exceto os contribuintes, pois esses, SEMPRE são punidos por incapacidade e/ou desvios dos responsáveis pelas falcatruas…Lembre-se disso na hora de votar em qualquer um para governar ou legislar ou não reclame depois…

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui