TCE-RJ: Secretário de Infraestrutura e Obras faz balanço sobre os investimentos do Governo na melhoria do Rio

Por determinação de Cláudio Castro, as obras devem levar serviços de qualidade à população, de forma que ela aproveite ao máximo os bens públicos recebidos

Prestação de Contas da Seinfra no TCE-RJ / Foto: Glauber Carvalho

O secretário de Estado de Infraestrutura e Obras (Seinfra), Rogério Brandi, fez um balanço das obras em curso em vários municípios do Rio de Janeiro, no auditório do Tribunal de Contas do Estado (TCE-RJ), nesta terça-feira (29). No evento, Brandi agradeceu a todos os administradores das cidades atendidas pela ajuda na derrubada dos entraves que impediam as populações locais de receberem benfeitorias do Governo do Estado, cujo investimento nas intervenções é da ordem de R$ 2,3 bilhões.

As atuações da Empresa de Obras Públicas (Emop-RJ), Companhia Estadual de Habitação (Cehab) e Instituto Estadual de Engenharia e Arquitetura (IEEA) também foram avaliadas durante a apresentação. Rogério Brandi destacou que o Estado está trabalhando com licitações internas de projetos cujos recursos são de aproximadamente R$ 3,7 bilhões, enquanto as licitações externas têm verbas da ordem de R$ 1 bilhão.

Segundo Brandi, por determinação de Cláudio Castro, as obras devem levar serviços de qualidade à população, de forma que ela aproveite ao máximo os bens públicos recebidos.

‘Estamos atendendo a uma determinação do governador Cláudio Castro de levar muito mais que obra aos municípios fluminenses. Estamos levando habitações dignas, urbanização, melhorias no sistema de mobilidade, com a construção de pontes e viadutos, além da recuperação de equipamentos públicos e apoio às cidades. O Rio de Janeiro vive um novo momento bom com o governador e é uma honra poder fazer parte dessa equipe que está transformando o nosso estado’, destacou Rogério Brandi.

O Governo do Estado desenvolve obras em várias frentes, entre elas destacam-se: os programas Casa da Gente, programa habitacional; o Governo Presente nas Cidades (PGPC), que atende as demandas dos municípios em projetos que incentivem o desenvolvimento humano e econômico; e o Infraestrutura do Esporte, voltado para o lazer e o esporte como instrumentos de inclusão social.

O subsecretário de Habitação, Allan Borges, destacou que o Casa da Gente, passou a estabelecer novos critérios para a construção de condomínios e reformas de empreendimentos estatais entregues há mais de dez anos. Atualmente, o governo tem atuado em 22 territórios em vulnerabilidade social.

“Vemos nessas obras mais que concreto, mas a oportunidade de as famílias poderem voltar a sonhar. Tenho o maior orgulho de poder participar desse momento, de estar participando do resgate de uma dívida antiga com mulheres do complexo do Alemão e de muitas outras regiões. Com o Na Régua pudemos conhecer melhor algumas comunidades, trabalhar para que as famílias tivessem mais respeito”, afirmou Allan Borges.

Já Pedro Ramos, subsecretário de Obras e Projetos, pontuou que, atualmente, o Estado tem mais de R$ 700 milhões destinados a projetos no PGPC. Os investimentos são para a realização de obras que vão levar ou melhorar a mobilidade de municípios fluminenses, como a estrada que liga o Distrito de Sebollas, em Paraíba do Sul; a Secretário, em Petrópolis. Além da mobilidade, o programa deve priorizar a construção de creches modelo, para até 300 crianças. As unidades são facilmente replicáveis, podendo ser implementadas em todo o Estado do Rio.

Por último, o subsecretário de Urbanização, César Mariano, apresentou um portfólio com 368 projetos, entre eles: o Centro de Movimento de Levy Gasparian, a Vila Olímpica do Andaraí e o Parque Canal Guarajuba, em Paracambi. O investimento total da administração estatal em tais obras é de R$ 2,1 bilhões.

O Governo do Estado do Rio de Janeiro pretende ainda investir no Programa Infratur, totalmente voltado para o desenvolvimento do turismo religioso em todo o território fluminense. Já existem dois projetos em desenvolvimento, sendo um para a reforma da Igreja de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito dos Pretos, na Rua Uruguaiana, no Centro do Rio; e da Igreja de Nossa Senhora do Desterro, em Guaratiba. O investimento total nas duas obras é de R$ 6,6 milhões. Na lista dos equipamentos a serem atendidos está a Catedral Metropolitana do Rio, um projeto de Oscar Niemeyer.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui