Terreno do Hospital Nossa Senhora do Socorro, no Caju, sediará cemitério israelita

Em 2019, o DIÁRIO DO RIO noticiou a crise pela qual passava a instituição, com problemas de má conservação e falta de pagamento de funcionários

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Hospital Nossa Senhora do Socorro / Foto: Camila Rodrigues

O terreno do Hospital Nossa Senhora do Socorro: o Socorrinho, no bairro do Caju, na Zona Portuária do Rio de Janeiro, terá um novo destino, em 2023.

No lugar será construído um cemitério israelita. Ainda não se sabe qual será o destino da capela do antigo prédio, que não é tombado. Na unidade, que foi abandonada pela Santa Casa de Misericórdia, funcionou um asilo durante anos. Em 2019, o DIÁRIO DO RIO noticiou a crise pela qual passava a instituição, com problemas de má conservação, não pagamento de funcionários, e risco de ser demolido.

Na época, Fabiana Keller, voluntária que organizava ações para salvar o Socorrinho, retratou o drama vivido por funcionários da instituição, e pelos velhinhos ali alojados:

“Os problemas não são somente estruturais. Os funcionários não recebem salário desde 2017 e, apesar disso, continuam indo trabalhar em respeito e amor aos idosos. Estes, abandonados pelo governo e por suas famílias, estão passando necessidade. Faltam-lhes alimento, vestimentas, roupas de cama e, acima de tudo, respeito,” disse Keller ao jornal.

Advertisement

Leia também

Pedro Paulo cada vez mais certo como vice de Eduardo Paes – Bastidores do Rio

10 coisas que só quem anda de ônibus no RJ vai entender

O Hospital Nossa Senhora do Socorro foi fundado, em 1855, no terreno doado por José Clemente Pereira, para atender aos doentes do surto de cólera que abateu o Rio de Janeiro. Na época, o número de enfermos recolhidos ultrapassava em quatro vezes sua capacidade de leitos. Consternado pela situação, D. Pedro II visitou os doentes atendidos pela Santa Casa, consolando-os e distribuindo donativos.

Na década de 1970, a obra da alça da Ponte Rio-Niterói, que passaria pelo terreno, teve o seu curso mudando para preservar a capela que, por seu caráter histórico e religioso, não pôde ser demolida.

Com informações são da Página S.O.S. Patrimônio e do Diário do Rio.  

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Terreno do Hospital Nossa Senhora do Socorro, no Caju, sediará cemitério israelita

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui