Tijucano está entre os dez melhores estudantes do Brasil

O aluno do PB Colégio e Curso conquistou a medalha de ouro na Olimpíada Brasileira de Ciências e foi convidado para uma solenidade organizada pelo Ministério da Ciência e Tecnologia, em Brasília

Foto: Divulgação

Com apenas 18 anos, Luiz Carlos, que é estudante do 3º ano do Ensino Médio do PB Colégio e Curso, da Tijuca, Zona Norte do Rio de Janeiro tem colecionado diversas medalhas nas olimpíadas científicas mais desafiadoras do Brasil. Ele afirma que desde sempre teve um lado competitivo aguçado.

“Desde pequeno, sempre gostei muito de competir. Na vida acadêmica, desenvolvi afinidade com a matemática e, quando me chamaram para uma olimpíada de matemática, senti que era a minha chance, afinal, significava a união de duas coisas que eu adorava. Até hoje, as olimpíadas são uma diversão para mim e me fazem aprender muito, por serem desafiantes e abordarem mais do que o padrão da sala de aula”, diz.

O estudante já conquistou uma medalha de ouro na Olimpíada Brasileira de Astronomia (OBA) e outra na Olimpíada Brasileira de Química (OBQ), ficando em 6º lugar geral do Brasil na modalidade. Luiz se diz focado e organizado no dia a dia, para ele, estudar faz parte da sua rotina: “Meu estudo para a olimpíada sempre foi o estudo de sala de aula. Poucas vezes me dediquei integralmente a uma olimpíada. Mas sempre tive muita disposição para fazer provas, a criatividade que as questões exigiam e uma forte vontade de vencer. Antes da prova, fazia algumas provas antigas para entender o estilo da banca, mas o conhecimento era o de sala de aula.”

Tanta determinação rendeu ao aluno a medalha de ouro na Olimpíada Nacional de Ciências (ONC), que o colocou no patamar dos 10 melhores estudantes do país, sendo convidado para uma solenidade em Brasília organizada pelo Ministério da Ciência e Tecnologia. O evento acontecerá no dia 23 de novembro. Luiz sente que a conquista é fruto de tudo o que tem plantado durante toda a sua vida acadêmica: “Fiquei muito feliz com meu resultado e com o convite. Encerrando meu ensino médio, esse prêmio é como uma coroação de todo o meu esforço ao longo da minha vida escolar”.

O estudante destaca o colégio PB da Tijuca como parte importante do processo. “O PB sempre me deu todo o apoio necessário tanto no meu estudo para IME e ITA, como nas olimpíadas. Dentro de sala, o ritmo intenso da turma me deu uma base muito forte para competir a nível nacional. E o resultado disso veio na física, na química, na matemática e, por fim, na olimpíada nacional de ciências, que exige conhecimentos bastante diversos”, disse Luiz.

O Diretor da Unidade Tijuca do PB Colégio e Curso, Helton da Conceição Moreira, destaca a importância das olimpíadas científicas para os estudantes. “As olimpíadas científicas constituem como um dos melhores instrumentos para aproximação dos alunos com a ciência. Elas ajudam a desenvolver a criatividade através de problemas que exigem não apenas conhecimento técnico, mas a capacidade de propor soluções simples e genuínas. Desenvolvem resiliência, quando um aluno é desafiado a pensar por mais tempo sobre um problema até encontrar uma solução. Desenvolvem o senso de competição de forma saudável, uma vez que os alunos compreendem que participar é mais importante que ganhar medalhas na medida que percebem a evolução de suas habilidades e aptidões.”

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui