Torcedores do movimento ''Flamengo Antifascista'' em manifestação neste domingo (31/05), em Copacabana - Foto: Reprodução/Flamengo Retrô

A orla da Praia de Copacabana, na Zona Sul do Rio de Janeiro, antes cenário praticamente exclusivo de manifestações a favor do presidente da República, Jair Bolsonaro, e da ideologia política que governa o país no momento, agora se vê dividida. Neste domingo (31/05), um grupo de militantes contrários ao atual chefe do Poder Executivo do país esteve no local e confrontou os apoiadores de Bolsonaro. E a mesma situação promete acontecer no final de semana que vem, porém de maneira ainda mais forte.

Isso porque torcedores de Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasco ligados a movimentos antifascistas estão se unindo, através das redes sociais, para estarem, no próximo domingo (07/06), no mesmo local, em um novo ato pró-democracia.

Manifestantes contrários a Jair Bolsonaro em manifestação neste domingo (31/05) em Copacabana – Foto: Reprodução/Flamengo Retrô

O movimento engloba adeptos dos 4 grandes clubes cariocas, que deixam de lado a rivalidade existente nos gramados em prol de uma causa única, que é o combate, segundo eles, ao fascismo implementado pelo ”bolsonarismo”.

Print da página ”Vascomunistas” no Facebook convocando torcedores para o ato do próximo domingo (07/06) – Foto: Reprodução

”O que esses caras estão fazendo no Brasil é um escárnio, apologia a atos antidemocráticos e a outras barbaridades. Por isso, considero de suma importância a união entre todos que discordam para construir uma frente ampla de oposição a esses fascistas”, disse um membro do grupo ”Esquerda Vascaína” que preferiu não se identificar.

Integrante dos grupos ”Torcedores pela Democracia” e ”Tricolores de Esquerda”, Bernard Brito explicou o processo de criação da união entre as torcidas em prol da causa.

”Desde 2014, com os questionamentos sobre a Copa do Mundo, já havia um debate entre as torcidas e torcedores sobre temas relacionados ao futebol, como a elitização, o preço de ingressos, falta de democracia nos clubes e federações, entre outros. Com o golpe de 2016, surgiram diversos coletivos de torcedores antifascistas e de esquerda. Criamos também o movimento ‘Torcedores pela Democracia’, que visa reunir torcedores de vários times. Desde então, temos acompanhado as agendas em prol do futebol popular e do movimento social”, disse ele.

Bernard também comentou a expectativa pela manifestação do próximo domingo. Segundo ele, as ”ameaças fascistas que vêm rondando o Brasil” preocupam e, por isso, é necessária uma união para combatê-las.

”Espero que possamos levar mais gente que se expresse através do futebol, como torcidas e coletivos. Estamos em um momento que é necessária a unidade contra as ameaças fascistas que vêm rondando o Brasil, principalmente vindas desse Governo Bolsonaro”, finalizou ele.

Movimentos relacionados aos 4 grandes clubes do Rio em prol de um ”Rio antifascista”, como diz o próprio lema no flyer – Foto: Divulgação

O DIÁRIO DO RIO também contactou o movimento ”Flamengo Antifascista”, que já esteve presente na manifestação deste domingo (31/05) e promete retornar daqui uma semana. O grupo explicou o motivo da escolha por Copacabana para a realização do ato.

Movimento ”Flamengo Antifascista” neste domingo (31/05) em Copacabana – Foto: Reprodução/Flamengo Retrô

”Temos como objetivo Copacabana por ser uma área mais populosa, podendo atrair uma quantidade maior de pessoas. Estamos querendo cobrar respostas da diretoria sobre as reuniões com o atual presidente [Bolsonaro]”, disse um membro do grupo que também optou por não se identificar.

A manifestação no domingo que vem em Copacabana está prevista para ter início às 13h. Vale ressaltar que tanto os movimentos organizadores quanto o ato em si são independentes, isto é, não têm nenhuma relação direta com os clubes.



Siga nossas redes e assine nossa newsletter, de graça

Jornalismo sério, voltado ao Rio de Janeiro. Com sua redação e colunistas, o DIÁRIO DO RIO trabalha para sempre levar o melhor conteúdo para os leitores do site, espectadores dos nossos programas audiovisuais e ouvintes dos nossos podcasts. O jornal 100% carioca faz a diferença.

6 COMENTÁRIOS

  1. Absurdo que esse órgão de imprensa faça apologia a um grupo terrorista e baderneiro que se auto-denomina pró-democrático. A violência é o mantra dessa turba.

  2. Fiquem atento aos falso manifestantes que são infiltrado para fazer baderna para jogar à população contra o movimento. Tática usada em todos os movimentos desde da época de Dom Pedro II. Tire eles e entreguem a polícia ou tire o grupo de perto deles e deixem sozinhos. São treinados para fazer essas coisas erradas e jogarem a opinião pública contra a o momento para enfraquecer. Vejam como as manifestações anteriores foram esvaziadas.

    • Isso é certo. Não dá mais para ter manifestação pacífica. Sempre entram aqueles pra quebrar tudo e fazer o negócio virar uma guerra contra a polícia. Vergonhoso.

  3. Quero ver eles usarem as camisas de seus clubes….E, engraçado, todas as torcidas citadas são esquerdistas (me mostrem como é democrática a Venezuela, Coréia do Norte, China, Cuba…)

  4. Estarei junto
    Sem armas
    Só com a palavra
    E fazendo gestos
    Mas vou levar vinagre e soro também
    É bom para o caso de estourarem algumas bombas e jogarem spray

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui