Tribunal de Justiça determina suspensão imediata da greve dos professores

Decisão do desembargador Ricardo Cardozo determinou a interrupção da greve sob pena de multa de R$ 500 mil ao SEPE e R$ 5 mil aos seus diretores por dia de descumprimento

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Foto: Reprodução Governo do Estado

Nesta terça-feira (20/06), o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Ricardo Cardozo, determinou a interrupção imediata da greve dos professores da rede estadual e o retorno ao trabalho sob pena de multa de R$ 500 mil ao Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação do Rio de Janeiro (SEPE) e R$ 5 mil aos seus diretores por dia de descumprimento.

No despacho, o desembargador afirma que o direito à educação é garantia constitucional assegurada às crianças: “a paralisação não só põe em risco o regular funcionamento dos serviços estaduais de ensino, consequentemente, vulnera, a um só tempo, o direito dos alunos ao acesso à educação, assim como impede o Estado de desincumbir-se do dever constitucional de promovê-lo“, diz o texto.

O despacho define as atividades dos servidores da educação como essenciais e diz que há elementos que indicam a ilegalidade da greve.

O presidente do TJ marcou ainda uma audiência de conciliação no próximo dia 28, às 15 h, no salão nobre da Presidência da Corte.

Advertisement
Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Tribunal de Justiça determina suspensão imediata da greve dos professores
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui