Turistas portugueses deixam Rio após viralizarem depois de assalto em Copacabana

Daniel Walter e Leonardo Rodrigues tinham acabado de chegar à cidade e foram assaltados na Avenida Atlântica; na internet, um dos rapazes relatou o ocorrido e caso viralizou

Respectivamente, Leonardo Rodrigues e Daniel Walter - Foto: Reprodução

Na última terça-feira (06/12), uma situação inusitada de violência chamou a atenção na Zona Sul do Rio de Janeiro. O turista português Daniel Walter, de 25 anos, que estava acompanhado do amigo Leonardo Rodrigues, de 20, teve seu celular roubado na Avenida Atlântica, em Copacabana, assim que chegaram ao local para se hospedar em um hotel.

Em um vídeo publicado nas redes sociais, Leonardo, que é youtuber, relatou detalhadamente o ocorrido e contou como foi a operação de resgate do aparelho.

Segundo ele, o roubo aconteceu após a dupla parar para fotografar uma escultura de areia na praia. Nesse momento, um rapaz passou de bicicleta e tomou o celular das mãos de Daniel.

”Mal saímos da praia, vimos uma escultura feita de areia. Falamos ‘ok, vamos tirar uma linda foto’. O Daniel saca o telemóvel, aparece um menino de bike a todo o gás, com dois dedos, saca-lhe o telemóvel e rouba-lhe o telemóvel”, disse Leonardo, que afirmou ainda acreditar que poderia ser assaltado em três dias, mas não nos ”primeiros 10 minutos” na cidade.

Logo após o assalto, os dois portugueses acionaram uma viatura da Polícia Militar que passava pela região. Os agentes, então, após detectarem a localização do aparelho, foram com Daniel e Leonardo até a favela Cantagalo-Pavão-Pavãozinho, situada na divisa entre Copacabana e Ipanema, tentar resgatar o celular.

O meliante, no entanto, conseguiu fugir e só se desfez do item roubado na Avenida Ataulfo de Paiva, no Leblon, próximo à estação do metrô Antero de Quental.

Ao deixar o celular, porém, o criminoso, que havia acessado seu Facebook no aparelho, esqueceu de deslogar a conta e a polícia encontrou mensagens trocadas tanto com sua namorada, prometendo dar o celular de presente a ela, quanto com outras mulheres, que seriam amantes.

Diante da situação, um dos policias ligou para a namorada e contou toda a situação. ”O safado do seu namorado é ladrão e queria te dar o celular de presente, mas você não vai ter mais nada, não. Tenho a foto de todo mundo aqui”, disse, se referindo à quadrilha que pratica esse tipo de crime.

Traumatizados com o ocorrido, Daniel e Leonardo preferiram deixar o Rio na sexta (09/12). Eles ficaram receosos em relação a possíveis represálias por parte dos assaltantes.

Advertisement

4 COMENTÁRIOS

    • é só comprar um cérebro… agora os problemas do mundo e do Rio, nao sao culpa de seu governador bolsonarista ou do presidente, q esta em exercício até dia 31..

  1. É o que comentei semanas atrás em outra matéria.
    A Polícia, o Ministério Público e o Judiciário muito pouco (ou nada) fazem em relação aos receptores dos produtos fruto do crime ou dinheiro que revertido nos lucros das quadrilhas.
    Então as famílias dos criminosos acabam recebendo bens e serviços vantagens.
    São mães, namoradas, amantes, irmãs recebendo especialmente.
    Algumas chegam a abrir negócios (lojas até em shoppings) que passa como legais embora origem ilícita dos recursos do investimento.
    Por que as autoridades não pegam as fami6dos criminosos?

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui