Uerj em parceira com a Seeduc inclui mais de 9 mil mulheres no combate à evasão escolar

O objetivo da medida é incentivar familiares de alunos da rede estadual a participar da vida escolar

Foto: Uerj

Uma parceria entre a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) e a Secretaria de Estado de Educação (Seeduc) vai incentivar familiares de alunos da rede estadual a participar da vida escolar. O projeto Mulheres Apoiando a Educação (MAE), irá selecionar 9.390 responsáveis de baixa renda para atuar diretamente nas escolas, com o objetivo de diminuir a evasão.

A jornada será de 30 horas semanais e oferecerá bolsa mensal de R$ 1.000,00 durante um ano. O projeto também prevê a contratação de 1.500 assistentes sociais. Profissionais e familiares agirão em conjunto, seguindo as diretrizes pedagógicas e técnicas das equipes diretivas das escolas.

Para o reitor da Uerj, Ricardo Lodi Ribeiro, a iniciativa proporciona a oportunidade de unir saberes acadêmicos à realidade prática.

Esse é um desafio importante, porque a nossa missão não se esgota no ensino superior, nesta comunidade de professores, técnicos e alunos. Temos que nos preocupar com a população do Rio de Janeiro em geral, porque somos a Universidade do Estado”, afirmou.

De acordo com o coordenador do projeto na Uerj, o procurador-geral Henrique Couto da Nóbrega, haverá prestação de apoio técnico à Seeduc por meio de uma série de atividades, como oferecimento de cursos de capacitação e atualização, elaboração de editais para contratação de pessoal, elaboração de plano de trabalho, apoio jurídico e administrativo.

“Disponibilizamos capital humano capaz de prestar essa assistência, englobando uma equipe multidisciplinar de vários setores da Universidade”, disse o coordenador.

O governador Cláudio Castro (PL) ressaltou que o MAE faz parte de uma ampla política de valorização da Educação no estado. Ele contou que foi aluno de escola estadual e sentiu na pele as deficiências da rede.

“No ano passado, quando vi que a gente não ia conseguir bater o índice [porcentagem mínima da arrecadação, determinada pela Constituição Federal, que deve ser aplicada no setor], me deu uma tristeza, porque lembrei meus anos de estudante e fiquei imaginando o quanto esse recurso poderia ajudar. Então criamos um grande programa de investimento em Educação. Além do que é obrigatório, nós investiremos mais R$ 1,5 bilhão”, garantiu. 

Costa do mar, do Rio, Carioca, da Zona Sul à Oeste, litorânea e pisciana. Como peixe nos meandros da cidade, circulante, aspirante à justiça - advogada, engajada, jornalista aspirante. Do tantã das avenidas, dos blocos de carnaval à força de transformação da política acreditando na informação como salvaguarda de um novo tempo: sonhadora ansiosa por fazer-valer!

1 COMENTÁRIO

  1. O projeto começou “bem” a página para fazer as informações não estava funcionando. Eu e muitas outras mães não conseguimos fazer o cadastro.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui