UFRJ e Câmara Municipal firmam parceria para mapear segurança alimentar no Rio

A iniciativa tem como objetivo reunir informações que permitam a elaboração de políticas públicas voltadas para o combate à fome na cidade

Morro Dona Marta, Botafogo / Foto Cleomir Tavares/ Diário do Rio

O Instituto de Nutrição Josué de Castro, vinculado à Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), e a Câmara Municipal firmaram um contrato, nesta terça-feira (20), para a realização de um mapeamento do cenário de segurança alimentar na cidade

A iniciativa tem como objetivo reunir informações que permitam a elaboração de políticas públicas voltadas para o combate à fome no Rio de Janeiro. Os primeiros resultados do levantamento devem ser apresentados em seis meses.

O presidente da Casa, o vereador Carlo Caiado (PSD), lembrou que as demandas relacionadas à fome na cidade foram pioradas em decorrência da pandemia. Por isso, a elaboração de politicas públicas voltadas para as populações carentes são tão urgentes.

“Que possamos no final, com este mapa, fazer discussões, através da universidade, e ter políticas públicas para levar comida às famílias, que necessitam ter o básico e serem inseridas na sociedade”, afirmou Carlo Caiado (PSD).

A diretora do Instituto de Nutrição Josué de Castro, professora Avany Fernandes, ressaltou a importância do acordo assinado pelas duas instituições.

“Essa parceria entre a Câmara dos Vereadores e a universidade pública vai gerar resultados importantes, do ponto de vista municipal, e, com certeza, políticas públicas assertivas no combate à fome no município do Rio de Janeiro”, disse a professora, lembrando ainda que a pesquisa, além de beneficiar a população carente do Rio, ainda vai contribuir para a formação dos alunos graduandos e pós-graduandos da UFRJ.

O líder da Frente Parlamentar contra a Fome, o vereador Dr. Marcos Paulo (PSOL), destacou a qualificação da UFRJ para o desenvolvimento do trabalho, que deve impactar ainda as futuras iniciativas de outras administrações.

“O Instituto de Nutrição já tem muita experiência no assunto e vai fazer um levantamento dos locais da cidade onde tem insegurança alimentar grave, moderada e leve. Infelizmente, a Prefeitura do Rio não tem esse mapeamento, e a gente precisa saber exatamente os locais onde as pessoas estão passando fome e aonde o alimento não chega”, afirmou o vereador.

Rosana Salles, professora do Instituto de Nutrição Josué de Castro e coordenadora da pesquisa, destacou que o propósito da pesquisa é compreender os caminhos da desigualdade no acesso à alimentação na cidade.

“Dessa forma, a gente vai conseguir entender a realidade e ver os direcionamentos dessas políticas que combatem a desigualdade no nosso município”, concluiu a pesquisadora.

Também participaram da assinatura do contrato: o vereador Reimont (PT) e a professora Aline Alves Ferreira, da UFRJ.

As informações são do jornal O Dia.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui