UFRJ sobe 36 posições em ranking internacional e se mantém como a melhor universidade federal do país

No principal quesito, o de reputação acadêmica, a UFRJ subiu 18 colocações e está na 123ª posição global

UFRJ fecha parceria com Agência Lupa para combater a desinformação / Foto: Reprodução

A UFRJ subiu 36 posições no QS World University Ranking 2023, publicado na última quarta-feira, 08/06. Segundo a consultoria britânica Quacquarelli Symonds (QS), a Universidade saltou do 369º lugar para o 333º, permanecendo no posto de melhor federal do Brasil e ficou à frente de instituições também renomadas como a Universidade de Londres (Reino Unido), a Universidade de Lisboa (Portugal), a Universidade de Xangai (China) e a Universidade de Connecticut (Estados Unidos).

Esta edição do ranking considerou oito indicadores: reputação acadêmica, reputação entre empregadores, proporção de docente por aluno, citações científicas, proporção de estudantes estrangeiros, corpo docente internacional, rede internacional de pesquisa, além de empregabilidade.

Em reputação acadêmica, o principal quesito – que representa 40% da pontuação no ranking –, a UFRJ saltou 18 posições e ficou em 123º lugar no cenário global, à frente da Universidade de Zurique (Suíça), da Universidade de Montreal (Canadá), da Universidade da Flórida (Estados Unidos) e da Universidade de Liverpool (Reino Unido).

A reitora da UFRJ, Denise Pires de Carvalho, comemorou o resultado na sessão ordinária do Conselho Universitário (Consuni) desta quinta-feira, 9/6. Ela atribuiu parte da melhoria da performance da instituição ao trabalho que tem sido desenvolvido pelo recém-criado Escritório de Gestão de Indicadores de Desempenho (GID), vinculado à Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa (PR-2).

Parabéns a todo o corpo social que luta pelo funcionamento desta Universidade, que luta por uma universidade de qualidade! Parabéns à pró-reitora de Pós-Graduação e Pesquisa, professora Denise Freire, e à professora Daniela Uziel, que está à frente desta nova área de gestão de indicadores de desempenho. Vamos, cada vez mais, mostrar para a sociedade o nosso valor”, afirmou. O GID tem por objetivo providenciar levantamento de dados para preenchimento dos rankings e sistematizá-los. Viabilizar acesso automatizado às fontes de dados, minimizando a necessidade de consultas, e gerar recomendações para a UFRJ no desempenho dos rankings também estão no rol das atribuições do GID.

QS World University Ranking 2023

O ranking analisou 2.462 instituições e classificou 1.422, das quais 35 são do Brasil, o país latino-americano com mais instituições consideradas no estudo. Além da UFRJ, a universidade federal mais bem classificada, outras quatro instituições ficaram entre as 500 melhores do mundo, todas públicas: a Universidade de São Paulo (USP) ficou na 115ª posição, seguida da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), na 210ª posição, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), na 441ª, e da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp), no 477º lugar.

O Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT, na sigla em inglês), a Universidade de Cambridge e a Universidade Stanford figuram nas três primeiras colocações, respectivamente.

Advertisement

4 COMENTÁRIOS

  1. As universidades públicas no Brasil são caras e ineficientes.

    Desorganizadas, alunos que não querem estudar, todo tipo de depredação, sujas…

    Eu tenho como provar com uma pergunta: Quantos prêmios Nobel a universidade brasileira recebeu?

    • No entanto, nenhuma particular figura entre as 500 melhores do mundo… Isso por que as públicas “(…) são caras e ineficientes. Desorganizadas, alunos que não querem estudar, todo tipo de depredação, sujas…”

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui