Foto: Gustave Deghilage

Recentemente teve uma polêmica de uma decisão do Judiciária que proibia artistas de rua nos metrôs. Mas a vereadora Vera Lins (PP) quer acabar com esse problema e apresentou o Projeto de Lei n° 1.394/2019, que regulamenta e admite as apresentações culturais nas estações do metrô e do BRT.

As apresentações podem ser musical vocal ou instrumental, de poesia, teatro, dança ou qualquer outra manifestação artística, desde que sem o uso de amplificadores. As concessionárias deverão criar um cadastro de artistas que já realizam apresentações ou que tenham interesse em se apresentar, apenas para efeito de organização e sem caráter autorizativo. Entretanto, as concessionárias poderão regulamentar a atividade em datas que possuem esquema especial devido ao aumento do fluxo de passageiros.

O artista somente poderá cobrar dos usuários doações espontâneas. Já as concessionárias podem oferecer gratuidade aos artistas ou cobrar apenas o valor da passagem.

A autora da medida defende a realização das apresentações artísticas. “Atualmente, os usuários passam minutos de descontração e entretenimento ouvindo artistas se apresentarem, seja tocando instrumentos, cantando, recitando poesias. É certo que a grande maioria dos artistas conta com a aprovação dos passageiros. Há de se ressaltar que com tal regulamentação estaremos incentivando artistas de nossa cidade que vivem um momento cruel, sem qualquer amparo, dando a todos visibilidade e oportunidade“.

3 COMENTÁRIOS

  1. Esse assunto rende. Mas vamos lá. Creio que nas estações é excelente e também nos vagões. Muitas vezes quando levo alguns amigos de fora da capital para passear de metrô eles ficam encantados com as apresentações artísticas e querem gravar e mandar para as redes sociais pois acham algo ”diferente”. E na verdade, apresentações artísticas sejam elas musicais, de literatura, de dança, teatro, etc, adiciona ao nosso dia a dia que as vezes é tão chato essa leveza, esse toque de fantasia, de algo fora da realidade, incomum. Portanto, sou a favor. No entanto, creio que deve haver um bom senso. Vamos imaginar que muitas vezes nos vagões tenhamos pessoas doentes, as vezes com dor de cabeça, etc, deve-se respeitar estes momentos e bom senso também na questão da intensidade das apresentações para não incomodar. Mas sou a favor das apresentações nos vagões sim. Arte deve trazer leveza ao nosso dia a dia, não o caos.

  2. Nas estações não há problema nenhum, é ótimo, na verdade. Mas dentro dos vagões não pode ser liberado porque atrapalha o silêncio, tira a concentração de quem conversa ou estuda, e há o risco de alguns passageiros não gostarem das apresentações e serem obrigados a acompanhá-la, porque estão dentro dos vagões e não podem escapar delas. E também pode impedir os passageiros de ouvir algum recado do maquinista, pelos auto-falantes.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui