Visões urbanísticas conflitantes entre Paes e Fajardo pesaram na saída do urbanista do governo

Washington Fajardo
Fajardo foi o cabeça do projeto Reviver Centro / Foto: divulgação

O prefeito da cidade do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PSD), enviou uma mensagem ao alto escalão do seu governo oficializando a saída do secretário de Planejamento Urbano, Washington Fajardo. No comunicado Paes ressalta que ambos têm visões e pensamentos conflitantes sobre a cidade do Rio. A informação havia sido veiculada pelo jornalista Ancelmo Gois (O Globo) e repercutida pelo Diário do Rio, nesta terça-feira. A exoneração de Washington Fajardo será publicada no Diário Oficial de quinta-feira (4). As informações são dos jornais Diário do Rio e O Globo.

O urbanista, que é conhecido por ser enérgico e workaholic, travava uma luta inglória contra a desordem urbana no Centro da capital, tendo que enfrentar, inclusive, a falta de ação da subprefeitura no tocante à revitalização da região.

De acordo com o jornal O Globo, a saída do secretário teria ocorrido por vários de motivos, sendo o maior deles a apresentação de um projeto de lei autorizando a legalização dos puxadinhos, especialmente na Zona Sul, por meio do pagamento de taxas. O secretário, que tentava reorganizar a legislação urbana através da revisão do Plano Diretor, não havia sido consultado sobre a normativa. Quando a lei foi apresentada, Fajardo estava de férias. Vale lembrar que o ex-prefeito Marcelo Crivella (Republicanos) já havia proposto uma lei semelhante, que foi derrubada pela Justiça.

Ainda de acordo com o veículo, Washington Fajardo teria ainda outro motivo para sair do governo Paes: o projeto que muda gabaritos na Barra da Tijuca e em Jacarepaguá para a construção de um novo parque em Inhoaíba. O projeto teria sido enviado ao Legislativo municipal sem a consulta prévia de Fajardo, que sofreu críticas do mesmo Legislativo em razão do Plano Diretor, considerado por alguns vereadores excessivamente teórico.

Conforme repercutiu o Diário do Rio desta terça-feira, o secretário foi o grande responsável pelo projeto Reviver Centro cuja finalidade é revitalização local, com o desenvolvimento de projetos residenciais adequado à região, que ele considera como o “berço da civilização brasileira”.

Fajardo teria, inclusive comemorado em rua rede social, nesta terça-feira, a conversão de mais um edificação em unidade residencial na Rua Gonçalves Dias, perto da Confeitaria Colombo. Segundo o Diário do Rio, “com esse, chegariam a 27 os pedidos de licenças vinculados às novas regras urbanísticas. Desse total, 18 já foram concedidos, totalizando 1.317 unidades residenciais. Os outros 9 pedidos estão em análise e preveem 573 unidades habitacionais. O total de unidades habitacionais das 27 licenças é de 1.890 unidades residenciais. (…) A ética e a competência de Fajardo farão falta ao Rio de Janeiro”.

Washignton Fajardo, que trabalhou com Eduardo Paes em seus dois primeiros mandatos, também esteve à frente do novo Plano Diretor da Cidade.

Segundo o Globo, Fajardo não quis comentar as recentes polêmicas urbanísticas. Já Eduardo Paes não respondeu ao contato tentado pelo jornal.

Advertisement

8 COMENTÁRIOS

  1. Olha, ele poderia ser um bom secretário de planejamento urbano, mas puxadinho, não dá não. O Rio é uma cidade linda e tem que continuar assim, mas precisa de um secretário que tem visão futurista. É só olhar a cidade de Florianópolis, como ficou bonita com prédios que chegam a 70 andares, não é copiar, mas eu sempre achei que um dia haveria alguém com essa mentalidade no Rio de Janeiro, mais até agora só tem pessoas atrasadas.

    • Florianópolis, Balneário, só lugar de novo ryco. “Visão futurista” com prédios enormes é atraso, típico dessa classe média com dinheiro e pouca instrução cultural. Fajardo tá certo. Mas o Paes quer fazer caixa. Infelizmente, a cidade vive de IPTU.

  2. Grande perda, melhor secretário da administração atual. Vamos ver se com isso vão desfigurar o novo Plano Diretor na Câmara ou legalizar ainda mais o caos na Zona Oeste.

  3. Abrem-se as questões: Será o inocente útil? Será útil a inocência? Será útil não ser inocente? Será o útil tão inocente assim? Será o inútil reeleito? Será perfeito o prefeito?

  4. mas se queriam melhorar o ambiente do Centro, por que autorizar moradias no padrão “apertadinho” ou o novo cortiço, vertical, ao lado da Colombo??? As decisões do ex-secretário também não eram fáceis de entender, vinha transformando o Centro em uma Nova Copacabana com edifícios da mesma época sem o mesmo glamour e infraestrutura

    • estou de acordo, parece bem intencionado mas algumas decisões são questionáveis, assim como a velocidade de implantação e essa fixação no centro. É obvio que o centro deve ser habitado, mas e o resto da cidade ? Não vi muita ação.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui