Academia Brasileira de Música comemora 79 anos de fundação em concerto especial na Sala Cecília Meireles

O primeiro concerto, a cargo da Orquestra Sinfônica da UFRJ sob a regência do maestro Miguel Campos Neto, promove estreias e apresenta obras de compositores homenageados

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Foto: Vitor Jorge/Divulgação

Ao comemorar os 79 anos de sua fundação, a Academia Brasileira de Música promove a tradicional série Brasiliana, na Sala Cecília Meireles. O primeiro concerto, a cargo da Orquestra Sinfônica da UFRJ sob a regência do maestro Miguel Campos Neto, promove estreias e apresenta obras de compositores homenageados. Saiba quem são:

O baiano Paulo Costa Lima, que completa 70 anos em 2024, é professor de composição da Universidade Federal da Bahia e ocupante da cadeira 21 da ABM. Na Serenata Ponteio op.83 para cordas, o compositor mistura elementos da tradição da música de concerto com as práticas populares da cultura baiana.

O compositor paulista José Penalva se radicou em Curitiba, onde, além de exercer o sacerdócio, foi professor de composição da Escola de Música e Belas Artes da Universidade Federal do Paraná. Ocupou a cadeira 27 da ABM. Seu centenário de nascimento é comemorado em 2024. A Abertura, em movimento único, é dividida em quatro partes, constando de uma introdução seguida de um frevo estilizado, coral e fuga, nas quais a atmosfera da música nordestina é quebrada pela linguagem atonal e pela polimodalidade.

Advertisement

O Concertinho para piano, de Sérgio de Vasconcellos-Corrêa, é obra inédita que terá como solista Valdilice de Carvalho. Formado pelo Conservatório Dramático e Musical de São Paulo, discípulo de Camargo Guarnieri, professor de composição na Unicamp e na Unesp e membro da ABM desde 1988 – cadeira 20, Sérgio de Vasconcellos-Corrêa completa 90 anos em 2024.

O cearense Liduino Pitombeira é professor de composição da Universidade Federal do Rio de Janeiro e ocupa a cadeira 28 da ABM. Seu Concerto para oboé e cordas foi escrito para a oboísta Juliana Bravim, como parte de seu projeto de mestrado na UFRJ. Na obra o compositor explora o registro agudo do instrumento e procura conciliar uma série dodecafônica com referências estilísticas associadas ao compositor Radamés Gnatalli.

Por fim, a Bachianas Brasileiras no9, de Villa-Lobos, na versão para orquestra de cordas, encerra o programa. Composta em 1945 é a última da série de suítes para diferentes formações, na qual o compositor procurou conciliar as formas e a linguagem musical de Bach com as características da música brasileira.

  • SERVIÇO:
  • Série Brasiliana da Academia Brasileira de Música
  • Dia 12 de julho de 2024, sexta-feira, às 19 horas
  • Sala Cecília Meireles
  • Endereço: Largo da Lapa, 47
  • Ingressos: R$20,00 inteira / R$10,00 meia
  • Classificação livre

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Academia Brasileira de Música comemora 79 anos de fundação em concerto especial na Sala Cecília Meireles
Advertisement
lapa dos mercadores 2024 Academia Brasileira de Música comemora 79 anos de fundação em concerto especial na Sala Cecília Meireles
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui