Ação de despejo do cinema Estação Net Rio, em Botafogo, é anulada

Justiça do Rio determina uma nova perícia para verificar a dívida do aluguel

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Estação NET Rio, cinema de rua em Botafogo - Foto: Reprodução/Google Maps

Em 2021 foi anunciado, pelo DIÁRIO DO RIO, que o cinema Estação Net Rio, em Botafogo, que funciona há mais de 25 na cidade maravilhosa, seria despejado após um pedido do proprietário do prédio, o Grupo Severiano Ribeiro (GSR), que afirmou uma falta de pagamentos no aluguel do imóvel desde março de 2020. Contudo, essa história ganha um novo capítulo em 2023, pois o Tribunal de Justiça do Rio anulou a decisão de despejo das salas do cinema Estação Net Rio.

O desembargador Caetano Ernesto determinou que seja realizada uma prova pericial para verificar o débito atualizado do Grupo Estação, em relação aos meses de aluguéis não pagos, já que foi efetuado um depósito no valor de 600 mil reais, como parte do valor atrasado.

Segundo o GSR, a dívida acumulada, durante a pandemia, chega a 1 milhão e 200 mil reais. 

1944

Advertisement

Leia também

Terminal Gentileza começa a operar para população; veja detalhes

Pedro Paulo cada vez mais certo como vice de Eduardo Paes – Bastidores do Rio

O prédio onde hoje fica localizado o Estação Net Rio, no número 35 da Rua Voluntários da Pátria opera com salas cinematográficas desde 1944, quando ainda era chamado de Cinema Star, alguns anos depois, ele foi adquirido pelo Grupo Severiano Ribeiro e passou a se chamar Cinema Botafogo. Em 1995, o GSR alugou o prédio para o Estação, que reabriu as salas para o público em 27 de outubro de 1996, como Estação Net Rio.

Em 2021, a prefeitura incluiu o cinema no Cadastro dos Negócios Tradicionais e Notáveis e tombou provisoriamente o imóvel.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Ação de despejo do cinema Estação Net Rio, em Botafogo, é anulada

Advertisement
lapa dos mercadores 2024 Ação de despejo do cinema Estação Net Rio, em Botafogo, é anulada
Advertisement

2 COMENTÁRIOS

  1. Por que o Grupo Estação não entra na Lei Rouanet agora para pagar o GSR? Se imaginarmos o tamanho da estrutura com uns 2000m2 para todos os pavimentos e fosse cobrado no amor uns R$ 10/m2 de aluguel/mes, teríamos R$ 20000 ao mes / R$ 240000 ao ano. Mais uns R$ 60000 de IPTU por baixo. Em Botafogo, bairro muito valorizado. Como já abordado neste Diario do Rio, a ação renovatória vem desde 2019 sem estar determinado há quanto tempo alugueis vinham sendo devidos (os donos alegam que desde 2014 valores não vem sendo honrados). Mesmo com a pandemia algum valor tem que ser negociado. Se o Estação fez depósito de R$ 600000 para se resguardar, podemos contar a brincadeira, se rolou esses anos todos coisa de uns R$ 2 milhões. E as autoridades querem uma solução do tipo “cada um segura o seu B.O.”. Curioso é que fica a sensação de que o locatário quer dividir o prejuízo e, como abordado noutro comentário, espanta qualquer investimento. Por isso a cultura do Rio está em decadência e o resto do pais se recuperando ou em ascensão.

  2. A Justiça pega muito leve com quem não paga aluguel. A Justiça é cara e trabalha mal. As decisões se arrastam muito. Pro senhorio ter ído pra justiça é que as chances de negociação já falharam há muito tempo. Então, porque não despeja logo pro senhorio poder alugar pra quem pague religiosamente? Fica essa discussão de perícia e enquanto isso o senhorio não vê um centavo?!

    Por isso que o Brasil é caro e espanta investimentos. E o Rio de Janeiro é o Brasil do Brasil, onde tudo é mais caro ainda. Não adianta depois fazer campanha de hashtag #RJpronto ou #InvistaRJ.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui