Ação na PGR tenta cancelar a peça ‘Precisamos matar o presidente’

Deputado federal Otoni de Paula (PSC) afirma que há incentivo de violência contra Bolsonaro

A Procuradoria Geral da República (PGR) foi acionada para impedir a encenação virtual da peça “Precisamos matar o presidente”, do diretor e ator Davi Porto. Em notícia-crime protocolada nesta segunda-feira (01/03), o deputado federal Otoni de Paula (PSC-RJ) pede que seja instaurado um inquérito contra o grupo carioca de teatro Blabonga, para apurar o crime de incitação à violência contra Jair Bolsonaro.

“Essa peça foi construída do ódio ao presidente. Incita a violência e prega o homicídio de uma pessoa específica, o chefe da nação. Isso pode ter consequências imprevisíveis”, denuncia Otoni de Paula.

Em entrevistas de divulgação do espetáculo, o diretor Davi Porto declarou: “O espetáculo, assim como qualquer outra arte, nasce de uma necessidade. A pandemia acabou unindo todas essas necessidades. Somada à necessidade, surgiu o descaso do governo atual, que ainda transformou cada artista em inimigo do estado (…) Eu acredito que na vida política tem muito aquela coisa de você repudiar as pessoas, de você discordar das pessoas. Isto é uma ordem natural, mas de repente tudo que restou foi o ódio“.

Para o deputado bolsonarista, a estreia, prevista para 6 de março, não deve acontecer, pois pode inspirar “outros Adélios”, em referência a Adélio Bispo, autor do atentado à faca contra o presidente Jair Bolsonaro em Juiz de Fora (MG), em 2018.

“Um conteúdo de tanto ódio pode gestar atos criminosos em mentes vitimadas por ideologias, preconceitos e aversões diversas, sem controle. O estão chamando de trabalho artístico se enquadra como uma grave ameaça à integridade física do presidente”, critica o deputado federal autor da notícia-crime.

Advertisement

5 COMENTÁRIOS

  1. Os esquerdopatas estão cada vez mais alucinados pela síndrome de abstinência do dinheiro público e extrapolam… Inclusive atentam contra a própria Constituição.
    ONDE ESTÁ O STF, AGORA?…
    Ou será que isto seria uma vitória para os podres poderes?

  2. A maioria da população não dá atenção a isso, mas cabe a dúvida e a busca de reflexão: Por que um deputado faz um vídeo esculachando uma instituição, neste caso o STF, com ameaças contra seus representantes e um grupo de teatro que colocar o seu trabalho no ar com mensagem contra outra instituição, no caso a Presidência da República? a primeira foi taxada como inconstitucional, já a segunda leva o verniz da arte e cultura. Somos antes de tudo brasileiros e temos uma constituição apenas. O respeito deve ser igual de todos e para todos. Lamentável.

    • A peça NÃO está nominando, expondo foto de ninguém.
      Presidente é um cargo.
      Pode ser de qualquer um país sob o Presidencialismo.
      Já o Deputado fez vídeo dirigindo-se e nominando pessoas…
      Você parece ter alguma séria deficiência cognitiva ou é bolsominion fanático – que dá na mesma.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui