Após furto de cabos, parte de Santa Teresa passou 48 horas sem luz

Moradores da região se preocupam que novos casos como esse se repitam, pois foram três dias seguidos de furtos

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Foto: Reprodução

Moradores de algumas partes de Santa Teresa, na região central do Rio, passaram cerca de 48 horas sem luz após mais um caso de furtos de cabos de energia da Light. As regiões do Largo do Guimarães e Largo do Curvelo não foram afetadas. Os cabos foram levados na madrugada do último sábado (03/02) e a Light afirmou que estava “trabalhando para recompor a rede elétrica e restabelecer o fornecimento na Rua Almirante Alexandrino 1.410, após constatarem furto de cabos em poste“.

Apesar da equipe técnica da companhia ter ido ao local resolver o problema, os moradores se preocupam que novos casos como esse se repitam, pois foram três dias seguidos de furtos.

Segundo a Light, só no ano passado, mais de 16 mil metros de cabos de cobre foram furtados na região metropolitana do Rio. O número, equivalente a quatro voltas completas na orla de Copacabana, representa aumento de 160% em comparação a 2022, quando foram registrados mais de seis mil metros de fios subtraídos.

Em 2023, a companhia registrou 373 ocorrências, que deixaram 192.377 mil clientes sem luz por um tempo de quase duas horas. Os atos de vandalismo também fizeram a empresa gastar quase R$ 4 milhões para recompor o material”, afirma a companhia.

Advertisement

Leia também

Rio terá observatórios para estudos climáticos; 1º será no Complexo do Alemão

Balão é ‘abatido’ antes de cair no Aeroporto do Galeão

Recentemente, Copacabana e Tijuca também sofreram com a falta de luz devido a furto de cabos. O problema afetou principalmente moradores das ruas Figueiredo de Magalhães e Santa Clara, em Copacabana, e Gonzaga Bastos, na Tijuca.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Após furto de cabos, parte de Santa Teresa passou 48 horas sem luz

Advertisement

2 COMENTÁRIOS

  1. Como eu já mencionei aqui em outro artigo sobre o mesmo assunto: eu tenho um conhecido da polícia civil que disse me que os chefoes dessas quadrilhas de roubo de cabos não são nem do Rio de Janeiro. Ou seja, são de outros estados.
    Se isso for verdade, já está na hora do Rio se separar do Brasil e fecharmos nossas fronteiras.

  2. Não sou engenheiro, logo não tenho o conhecimento técnico para saber se nos cabos de cobre da telefonia corre alguma eletricidade, alguma corrente ao ponto de dar choques. Imagino que não, dado o número enorme de furtos de cabos de cobre de redes de teelfonia pela cidade.
    Agora com cabos de energia elétrica, isso me intriga muito. Como os bandidos não levam choques ao furtar cabos vivos, com energia correndo dentro?
    AP

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui