Baía de Guanabara é tomada por grande quantidade de peixes mortos

 A situação vendo sendo denunciada através de vídeos nas redes sociais

(Foto: Tânia Rêgo/ Agência Brasil)

Desde quinta-feira, 27/10, uma grande quantidade de peixes mortos vem sendo registrada por pescadores artesanais na Baía de Guanabara. Os animais sem vida se espalham pela região do Gradim, em São Gonçalo, chegando próximo à ponte Rio-Niterói e às praias da Engenhoca e do Zumbi, na Ilha do Governador. A situação vendo sendo denunciada através de vídeos nas redes sociais.

Para o ambientalista e fundador do movimento Baía Viva, Sérgio Ricardo, o aparecimento da mancha de óleo que surgiu no início deste mês de outubro e foi noticiada no DIÁRIO DO RIO tem relação direta com a morte dos animais.

“Está faltando oxigênio para os peixes. Até agora ninguém identificou a fonte de poluição, a sua causa, a extensão do dano ambiental e à pesca, nem há notícias da aplicação de multas ambientais. A impunidade ambiental está sacrificando os ecossistemas e a vida marinha na Baía de Guanabara”, disse.

Em nota, o Instituto Estadual do Ambiente (Inea) afirmou que técnicos da organização vistoriaram, na quinta-feira (27/10), a Baía de Guanabara na altura de Niterói, e também em Paquetá e não constataram a presença de peixes mortos no espelho d’água. A equipe também verificou que o nível de oxigênio dissolvido na água está dentro do estabelecido pela legislação ambiental para a manutenção da vida aquática.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui