Bloco Alegria Sem Ressaca reúne foliões na Zona Oeste do Rio com a defesa de um Carnaval sem álcool e drogas

A festa começa no sábado (10) e segue até a terça-feira de Carnaval (13) com desfile, baile, atividades na piscina, confecção de fantasias, “karaokê da folia” e show da Velha Guarda de Vila Isabel

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp

Um grupo de foliões na Zona Oeste do Rio pula o Carnaval carregando a bandeira do combate ao uso de álcool e de drogas. Desde 2003, o “Alegria Sem Ressaca” mostra que é possível ser feliz e se divertir muito sem a ingestão de substâncias que alteram a consciência. O bloco se prepara para uma maratona de eventos no terreno de 10 mil metros quadrados da Clínica Jorge Jaber, especializada no tratamento da dependência química. A festa começa no sábado (10) e segue até a terça-feira de Carnaval (13) com desfile, baile, atividades na piscina, confecção de fantasias, “karaokê da folia” e show da Velha Guarda de Vila Isabel.

Entre quitutes e bebidas, churrasco, sorvetes, sucos e muita água para hidratar os foliões. A expectativa é que as atividades reúnam cerca de 300 pessoas entre pacientes, ex-internos e familiares. Quem não tiver relação direta com a clínica, mas se identificar com a proposta de um Carnaval livre de álcool e de drogas, pode entrar em contato pelo Whatsapp (21 99107-3875)

  • A alegria não depende de drogas ou da ingestão de bebidas alcoólicas para existir. E é isso que queremos mostrar com a nossa festa. É preciso derrubar conceitos estabelecidos na sociedade de que para ser feliz é imprescindível consumirmos uma “cervejinha” ou um “uisquinho”. A alegria deve ser encontrada dentro de cada um de nós e não dentro de um copo – afirma o psiquiatra Jorge Jaber, idealizador do “Alegria Sem ressaca”.

O riso e a festa carnavalesca são apenas uma das ferramentas que Jaber usa para conscientizar a sociedade dos males causados pelo vício. Sua luta contra a dependência química começou quando ele era ainda um adolescente. Aos 14 anos, viveu uma tragédia ao perder um amigo da mesma idade por overdose. Esse episódio direcionou sua carreira e determinou sua linha de atuação. Ao longo das décadas seguintes, se formou e escolheu a Psiquiatria como especialização. Seu trabalho desde então passou pelos consultórios, pela clínica que fundou no Rio de Janeiro e também por cursos gratuitos que oferece para formação de mão de obra especializada no tratamento da questão que se tornou um problema de saúde pública.

Advertisement

Leia também

‘Guadalupe’, ‘Lobo Júnior’, ‘Fiocruz’ e mais: confira os nomes das 20 estações do BRT Transbrasil

Dengue: Ministério da Saúde envia 1º lote de vacinas enquanto RJ intensifica medidas de combate

Faixa vermelha e branca (graduação acima da faixa-preta) de judô, Jaber encara ainda o esporte como um aliado no trabalho de conscientização. Entre outras iniciativas, sua clínica apoia o Instituto Desportivo e Cultural Haroldo Britto, projeto social que atua nas comunidades da Rocinha e da Chácara do Céu, Zona Sul do Rio. O Instituto nasceu em 1997 por iniciativa do professor de judô Fernando Britto, filho de um dos pioneiros na prática do esporte no Brasil, Haroldo Britto, que dá nome à iniciativa. Hoje, cerca de 80 crianças e adolescentes com idades entre 7 e 14 anos são atendidos nas duas comunidades, com aulas gratuitas de judô.

Outra parceria da Clínica Jorge Jaber envolve a Associação Sociocultural Semearte, instituição que promove teatro e dança na Rocinha. O trabalho beneficia cerca de 140 alunos na faixa etária de 13 a 22 anos que participam de encontros com profissionais da área de psiquiatria, englobando palestras, rodas de conversa e arte. O objetivo das duas instituições é estimular a discussão e esclarecer dúvidas e medos que cercam o tema do suicídio, especialmente entre os jovens. O trabalho foi selecionado e será apresentado em abril em Budapeste, na Hungria, durante o 32º Congresso Europeu de Psiquiatria.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Bloco Alegria Sem Ressaca reúne foliões na Zona Oeste do Rio com a defesa de um Carnaval sem álcool e drogas

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui