Sambódromo vai começar, já nesta segunda-feira, a abrigar a população em situação de rua. Foto: Hudson Pontes/Prefeitura do Rio

O prefeito do Rio, Marcelo Crivella, informou neste domingo (29/03), em entrevista coletiva virtual, que o Sambódromo vai começar, a partir desta segunda-feira (30/03), a abrigar a população em situação de rua, uma das medidas tomadas pela prefeitura para evitar a disseminação Coronavírus. A prioridade será levar para o espaço idosos, grávidas e mulheres acompanhadas de crianças.



Siga nossas redes e assine nossa newsletter, de graça

Jornalismo sério, voltado ao Rio de Janeiro. Com sua redação e colunistas, o DIÁRIO DO RIO trabalha para sempre levar o melhor conteúdo para os leitores do site, espectadores dos nossos programas audiovisuais e ouvintes dos nossos podcasts. O jornal 100% carioca faz a diferença.

As obras ficaram prontas hoje. O Sambódromo vai começar a acolher amanhã (30/03) os moradores de rua, muitos deles concentrados no centro do Rio“, disse Crivella, ressaltando que 140 pessoas nessas condições já foram levadas para abrigos da Prefeitura.

A Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (SMASDH) informou que transformou em quartos oito salas de aula das três escolas municipais que funcionam sob as arquibancadas do Sambódromo. O espaço, com capacidade para 400 pessoas, foi dividido em três áreas: uma para receber 128 homens adultos; outra para 144 vagas disponíveis a mães com crianças, gestantes e mulheres; e a terceira com capacidade para até 120 idosos.

Prefeitura vai liberar leite para alunos dos EDIs

O prefeito anunciou também que, a partir de terça-feira (31/03), os Espaços de Desenvolvimento Infantil (EDI) vão começar a distribuir leite para as mães dos alunos. Elas terão que ligar para as escolas e agendar um horário para pegar o alimento, evitando assim aglomerações.

Crivella disse ainda que tem recebido um apelo das mães de alunos com deficiência, que sentem a falta do professor e começam a ter comportamento agressivo em casa. O prefeito esclareceu, contudo, que só vai liberar a volta às aulas para essas crianças se elas não tiverem doenças graves.

“A criança que não é cardiopata, não tem insuficiência renal, não tem problema de imunidade, e a mãe e o médico acham que ela pode voltar, não haverá obstáculo, mas isso, de toda forma, só acontecerá quando as escolas reabrirem, sendo que não há ainda qualquer prazo”.

Bolsonaro visitará hospital de campanha com Crivella

O prefeito informou que o presidente da República, Jair Bolsonaro, virá ao Rio na próxima sexta-feira (03/04), quando tomará conhecimento mais de perto das medidas da Prefeitura. A ideia é que o presidente conheça o hospital de campanha montado no Riocentro, onde está instalado o gabinete de crise contra a disseminação da Covid-19.

Carros-pipa em comunidades

Crivella fez um apelo à Cedae para que normalize o abastecimento de águas nas comunidades da cidade, principalmente da Zona Sul, região onde há maior índice de contaminados. A Prefeitura vai ajudar instalando mais pontos para os moradores lavarem as mãos e, se necessário, serão disponibilizados carros-pipa.

O pior problema (nas comunidades) é a falta d’água. Faço um apelo à Cedae para que priorize o abastecimento nas comunidades. As pessoas precisam ter água para lavar as mãos“.

Por fim, o prefeito voltou a fazer um apelo para que a população continue em afastamento social, principalmente quem estiver com algum sintoma de gripe.

Quem estiver com sintomas de gripe deve se isolar, ficar em casa, no quarto, ainda que não tenha feito o teste. Espere 14 dias e vai ficar imunizado. Agora, se estiver sentindo falta de ar ou febre alta ou tem uma comorbidade, por favor, procure uma clínica da família que nós vamos tratar de você“.

2 COMENTÁRIOS

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui