Foto: Ricardo Borges

A Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) aprovou o projeto de lei 2.153/20 que prevê a utilização de prédios públicos e privados como centro de acolhimento para sem-teto no Rio de Janeiro durante a pandemia do Coronavírus. A medida aguarda a sanção do governador Wilson Witzel. O governador testou positivo para a Covid-19, conforme publicado em suas redes sociais nesta terça-feira (15/04)



Siga nossas redes e assine nossa newsletter, de graça

Jornalismo sério, voltado ao Rio de Janeiro. Com sua redação e colunistas, o DIÁRIO DO RIO trabalha para sempre levar o melhor conteúdo para os leitores do site, espectadores dos nossos programas audiovisuais e ouvintes dos nossos podcasts. O jornal 100% carioca faz a diferença.

A ideia da proposta, de autoria da deputada Renata Souza (PSOL), é que os centros deverão ser criados em para facilitar o deslocamento para unidades de saúde mais próximas dos locais onde houver o acolhimento.

A prioridade de atendimento desses abrigos será para idosos em situação de vulnerabilidade social e sem familiares que possam ajudar. Quem não aceitar o abrigo deverá receber kits de higiene e alimentação.

Além disso, o projeto também prevê a convocação emergencial de profissionais de saúde, assistentes sociais e cuidadores para trabalho nesses abrigos.

No Sambódromo, Centro do Rio, a prefeitura começou no início de abril o atendimento à população que mora nas ruas do Rio. Foram abertas 60 vagas no local.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui