Crise de manutenção: moradores reclamam que parapeito do Campo de São Cristóvão, na Zona Norte, está aos pedaços

A barreira está pichada, com rachaduras, corrosão e complemente enferrujada; outro local que sofre com um problema parecido é o Alto da Boa Vista que teve seus corrimãos furtados há mais de três meses

Foto: Divulgação/

O Rio de Janeiro está passando por uma crise de manutenção. O DIÁRIO DO RIO recebeu no último domingo, (04/09), a denúncia de que um parapeito, próximo ao Campo de São Cristóvão, na Zona Norte do Rio, está sofrendo com negligencia e má conservação. Próximo a tradicional Feira nordestina, o corrimão está pichado, com rachaduras, corrosão e completamente enferrujado.

Quem passa pelo local não se atreve a colocar às mãos no guarda corpo pois a peça está gasta, suja e sem cuidados. Moradores especulam que partes do parapeito tenham sido roubadas para serem vendidas, ilegalmente, em ferros-velhos do Rio.

Vídeo: Leitor do DIÁRIO DO RIO

Manuel Viera, ex-presidente da IPAHN RJ e atual conselheiro do Inepac, disse ao DIÁRIO DO RIO que a conservação do patrimônio público é um reflexo da falência do estado. “A preservação do rico patrimônio cultural carioca perpassa pela redenção econômica do Rio. Sem o primeiro, não haverá o segundo”.

A redação do DIÁRIO DO RIO entrou em contato com a Secretaria Municipal de Conservação do Rio e eles afirmaram que estão apurando as informações.


Alto da Boa Vista

Outro lugar que está sofrendo com a falta de atenção é o Alto da Boa Vista. Uma moradora da região enviou ao DIÁRIO DO RIO uma informação sobre a ausência de corrimãos em uma escadaria que liga a antiga Estrada Velha da Tijuca à Avenida Edson Passos.

Leila Marque, arquiteta e urbanista, afirma que os objetos foram furtados há mais de três meses. “O estado de degradação e abandono da antiga e necessária Av. Edson Passos é visível não só nesse pequeno trecho. Vários guarda corpos dos trechos da estrada estão enferrujados, caídos ou quebrados, não oferecendo segurança a nada, nem a ninguém, como seria sua principal função”.

A Secretaria Municipal de Conservação do Rio afirmou que também está estudando este caso.


Atualização: 05/09/22 – 15h10

A redação do DIÁRIO DO RIO entrou em contato com a Secretaria Municipal de Conservação do Rio e eles afirmaram que a Gerência de Monumentos e Chafarizes já está realizando o levantamento das peças que estão faltando para fazer o orçamento e programar a restauração da murada no Campo de São Cristóvão, na Zona Norte. “Vale ressaltar, que a equipe também está averiguando danos nos postes históricos, a fim de realizar um restauro completo em todo o conjunto que compõe o bairro Imperial de São Cristóvão”, afirmou a assessoria.

E ainda informaram que “a Secretaria de Conservação informa que fará vistoria no local (Alto da Boa Vista) e, se for de competência da Seconserva, o serviço será feito pela pasta. Caso contrário, a Conservação dará encaminhamento à Secretaria responsável pela instalação de corrimão em escadaria”, concluiu.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui