Editorial: Guardas Municipais são pagos para descansar. E quem faz o trabalho deles?

Proposta deve acabar com a mamata criada por Crivella e aumentar em quase 300% a presença da Guarda Municipal nas ruas do Rio, dando um toque de normalidade à instituição, que está desaparecida desde 2018

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Foto: Beth Santos/Prefeitura

Marcelo Crivella foi um péssimo prefeito e cumpriu quase nenhuma promessa de quando foi candidato, isso todos sabem. O funesto mandato do bispo alcaide representou quase o apocalipse para Rio, mas pelo menos uma promessa ele cumpriu: em 2018, cometeu o desatino de mudar a escala da Guarda Municipal do Rio de Janeiro; a trombeta, digo, caneta de Crivella aprovou uma drástica e inédita redução de horas para os guardas.

Foi então que, com o apoio de uma Câmara Municipal apagada e quase apoplética, dirigida por um presidente que tinha o controle quase robótico de seus pares, Crivella conseguiu reduzir de 12×36 (doze horas de trabalho para 36 de descanso) – escala comum para quem tem trabalhos estressantes ou perigosos – para 12×60 (praticamente 5 dias descansando pra cada dia trabalhando!) o sistema de trabalho dos guardas. Na verdade, ele acabou com o trabalho deles, e pavimentou caminho pra que pudessem fazer bicos e mais bicos e fazer uma graninha por fora dentro da lei. Lei burra, mas lei.

Isso diminuiu, na prática, em 300% o número de agentes nas ruas do Rio de Janeiro, de cerca de 2.500 guardas nas ruas por turno, para 860 paramilitares municipais, nas ruas. Ou seja, acabou com a Guarda. Por isso, nossos monumentos estão virando pó; o estacionamento proibido e a camelotagem clandestina viraram regra; não fica uma lixeira na rua sem ser destruída ou roubada por mendigos e vagabundos de todo o gênero. Não temos guarda. Pagamos pessoas pra trabalhar 1 dia e descansar 5. Criamos uma casta de alecrins dourados que ganharam o direito de não fazer (quase) nada e receber salário com dinheiro público por isso.

Para o bem do leitor, vamos contextualizar quais as funções da Guarda Municipal:

Advertisement

Leia também

MP é acionado para investigar manifestantes que declaram apoio ao Hamas na frente da Câmara do Rio

Deputados propõem destinar R$15 milhões da Alerj para 10 municípios afetados por chuvas no RJ

Atuar / combater / acompanhar nos assuntos abaixo

  • Trânsito
  • BRT Seguro
  • Ferro-Velho
  • Eventos Esportivos
  • Demolições
  • Ordenamento
  • Perturbação do Sossego
  • Ronda Maria da Penha
  • Eventos
  • Ronda escolar
  • Guarda Patrimonial
  • Pontos Turísticos
  • Praias
  • Guarda Ambiental
  • Mendigos
  • 1746

Não tenho ideia onde estavam com a cabeça os vereadores que decidiram que o Rio andaria bem com a diminuição drástica do efetivo da Guarda; se a cidade estivesse nadando em dinheiro e houvesse uma prova de concurso triplicando o número de agentes, ainda assim não faria sentido algum tomar esta decisão funesta. Basta ver como hoje está o Rio de Janeiro, mendigos em todos os lugares, camelôs clandestinos nos quais que você tropeça em ruas de qualquer bairro e roubos de bueiros, estátuas e gradis. Caixas d’água também, assim como ar condicionados de lojas, letras de fachadas, nomes de prédios. A cidade virou a capital do ‘crime cracudo’, este tido como qualquer crime bosta, trivial, mole de impedir se houver uma vigilância mínima; crime que até uma idosa com apito pode parar. A cidade foi entregue por estes vereadores e pelo pior prefeito da história ao abandono total, completo e inteiro.

Antes que alguém venha defender o descanso eterno (mentira né: sabemos que não descansam, e sim faturam com bicos, e depois, cansados dos bicos, muitos ainda metem atestado no seu único dia de trabalho na Guarda) dos agentes municipais: Nenhuma cidade do país é igual! Recife? Escala de 12/36h ou 24/72h. São Paulo? Trabalho de 8h, e plantonistas que cumprem escala de 12/36h. Niterói, nossa cidade vizinha, 12/36h ou 24/72h, além de poder cumprir o expediente de 8h. É assim vai. A jabuticaba é carioca, crivellista.

Por alguma razão no Rio de Janeiro os Guardas Municipais alegam que aqui, e pelo jeito só aqui, o trabalho é estressante demais (e qual, de rua, não é). Reclamam que tem de ficar em pé, imagino que nunca devem ter visto uma vendedora de loja, algumas de salto alto, ou outros profissionais, nunca vi um professor de educação física sentar-se no meio do expediente, e alguns trabalham mais de 12 horas de segunda a sábado. Médicos de hospital? Enfermeiros de plantão? A verdade é que esse absurdo 12h/60h era para não aumentar o salário do Guarda Municipal, e ajudar que eles fizessem bicos para ajudar a complementar a renda. Quem sabe também faturar um dízimo de camelôs clandestinos? Vai saber. O que aconteceu? O óbvio; como dito, acabam ficando cansados de trabalhar pra particulares e metem atestados pra engrupir a prefeitura, um absurdo com o carioca.

Com o retorno de Eduardo Paes à Prefeitura do Rio esperava-se que logo voltaria a escala normal da Guarda, mas sabe-se lá a razão da demora; agora, a desculpa do Covid-19 não cola mais em lugar nenhum; até o ineficiente home office está passando (pra desespero dos funcionários públicos, verdade). Mas agora, parece que tudo está andando na Câmara dos Vereadores – sim, parece que eles saíram do transe – com um projeto que traz de volta uma escala de expediente de 40 horas semanais para a GM, escala de de 12/36h e escala de plantão de 24/72h. Isso significa que de 863 guardas por turno, o efetivo da instituição nas ruas em defesa do Carioca vai pular para 2.497 guardas por turno! Isto significa basicamente mais segurança para o carioca; menos ferros velhos roubando tudo que vêm pela frente através dos cracudos de plantão; mais monumentos sobrevivendo pras gerações futuras.

Hoje em dia é mais fácil passar por um albino de cabelos longos torcedor do America e vestindo camisa do Bangu do que por um Guarda Municipal. Apesar disso, ainda tem um ou outro vereador que é contra a mudança de escala que é simplesmente a única coisa correta a ser feita. Tem também aquela oposição de sempre, como do PSol, esperada; é a turma que acha bonito sustentar funcionário público que não faz nada, entre um ou outro grito por liberação de maconha ou em defesa de algum ditados obscuro da latinoamérica. E é coisa de vereadores como Felipe Michel (PP), que quase foi secretário de Paes, acabou não sendo e virou um dos maiores adversários do atual governo; de coraçãozinho partido desde então, ele um dos líderes do movimento contrário ao projeto. Não poderia ser diferente, Michel é contra tudo que venha de Paes.

Bem diferente de um dos maiores vereadores da oposição a Eduardo Paes, mas que votará junto do governo neste caso, o vereador Pedro Duarte (Novo), que desde o início de seu mandato é crítico da atual escala da Guarda Municipal: “Não podemos ter uma escala em que se trabalha 12 horas, com folga de 60. Trabalha-se num dia e só volta 3 dias depois. Não é assim nas outras grandes cidades, foi uma invenção carioca – que precisamos reverter o quanto antes. A Guarda Municipal tem demandas justas e legítimas, mas essa da escala não é uma delas”. Duarte chegou a escrever aqui no DIÁRIO um artigo sobre o tema.

Um caso meio decepcionante é o vereador Rogério Amorim (PTB), grande defensor da Ordem Urbana, mas é contra a mudança da escala, talvez pelo prazer de ser apenas oposição. Ou talvez seja daqueles que acha a guarda é tão incompetente que é melhor que desapareça aos poucos – inclusive abrindo de mão fazer concursos, comentário que já ouvi de uns e outros sobre a instituição que durante pelo menos 10 anos foi arrimo da segurança dos cariocas. Não tem segredo neste caso: todos sabem que o atual sistema é uma jabuticaba carioca, não tem como ser mantido, impraticável. Talvez Amorim, tão implacável na defesa da cidade, pudesse defender o aumento do salário da Guarda, novos concursos para ela, um comando com mais inteligência e estratégia ou outros meios, mas o atual sistema? Não faz sentido! Só pode ser pra ser oposição.

O que acontece é, se for para continuar assim, que se acabe com a Guarda Municipal, que se jogue seus funcionários para outros órgãos da Prefeitura do Rio, onde possam descansar com mais tranquilidade e sem polêmicas. Menos de 900 homens para um município do nosso tamanho e com nossa complexidade é impraticável; o número de 2.500 já é baixíssimo, e deveria ser mais que o dobro, mas isso é outra história. O Rio não conseguirá se livrar da desordem, abortar a informalidade que é seu maior câncer, crescer economicamente e nem ser um hub turístico se não tivermos uma segurança digna, para seu cidadão. O carioca quer e precisa de ordem.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Editorial: Guardas Municipais são pagos para descansar. E quem faz o trabalho deles?

Advertisement

70 COMENTÁRIOS

  1. Realmente, é um absurdo 12x 60. A lei deveria aproveitar e proibir os GMs de ficarem grudados no celular ,sem prestar atenção atenção no que ocorre ao redor. Deveria ser motivo de demissão.

  2. Nâo tem lógica essa mamata ga GM , desde 2018 que eles não fazem nada , as ruas engarrafadas ., um caos , por mim nem seria criada !

  3. Plenamente de acordo com as críticas à nova escala da Guarda Municipal alterada na gestão do ex-prefeito Crivella – que mais atuou como bispo que prefeito.
    Nada justifica jornada com tão baixa quantidade de horas trabalhadas por horas de descanso.
    A atividade nada tem de complexa.
    Não impõe risco à vida e à saúde, não sendo nem perto comparada à de policial militar – este atua de frente contra a criminalidade armada e organizada.
    Todo trabalhador tem 1/3 do dia em jornada de trabalho. Enquanto comparativamente ficam os guardas praticamente dois dias a mais de folga na semana.

  4. Todo imbecil funcional, fala o que quer né???
    Seus fundamentos e embasamentos, foram argumentados na falácia de um secretário boçal e sem ética igual a você?
    “Guardas Municipais são pagos pra descansar”. Vai checar suas fontes primeiro jornaleco, antes de escrever besteiras e induzir seu pobre e fraco leitor ao erro!!! Dá pra perceber e comparar quem lê e contribui com essa titica de jornal, como dizia Romário: ” você calado é um poeta”.

  5. Adoro essa reportagens onde tudo indica que foi paga. É igual aqueles vídeos no YouTube sobre análise de algum produto onde vem escrito contém promoção paga. Parabéns? Péssima matéria imparcial.

  6. O que eu acho, é que a administração do rio de janeiro, precisa cumprir a lei 13.022 e lei 10.826, Estatuto dás GCMs e Estatuto do desarmamento, GCMs guardas civis fazem parte da Susp sistema único de segurança pública,lei 13.675, atores presentes na segurança pública, um agente não pode proporcionar segurança, se ele mesmo nao pode garantir a sua segurança, trabalho de GCM é armado, exemplo do Estado de são Paulo onde todas as GCMs são atuantes armadas e treinadas, o pagador de impostos quando em iminência de perigo não quer saber quem vai lhes socorrer, seja PM, polícia civil ou GCMs, segurança pública dever do Estado direito e responsabilidade de todos, este Estado sair entes federativos, em relação a escala naot entro no mérito porquê não conheço o ordenamento jurídicos, o que posso avaliar é que o Estado de são Paulo é os municípios deste Estado é exemplo a ser seguido em relação as GCMs guardas civis municipais.

  7. O que dizer da estrutura operacional da GMRio hoje: É a cara do Rio!

    Com a cultura de lazer sem trabalho, de um estado de inação, nenhuma novidade nisso.

    • Uma grande mentira comprada !
      Para quem não sabe uma pequena minoria trabalha na 12×60, a maioria trabalha na 24x 72 .
      Agora vamos falar a verdade .
      O Guarda Municipal está a 10 anos sem reajuste,l no salário e no ticket alimentação, não tem plano de carreira e estão a mais de 15 anos sem progressão ou promoção, as bases não tem o mínimo de esteira,, onde os Gms descansam em cima de papelão, não tem uniforme e equipamento para todos, os comandantes que são os maiores interessados na mudança da escala ganham na faixa de 30 a 60 mil por mês . E sim, o Guarda faz bico na folga, se não ele passa fome e mora em baixo da ponte .

  8. Recebeu algo em troca pela reportagem? Ou está desinformado? Matéria totalmente tendenciosa. Não sou guarda municipal, mas os respeito. Coisa que este jornal não tem, respeito.

  9. Escola Municipal Gregório Bezerra, Rua Plínio de Oliveira, Penha, RJ.
    Está escola e invadida todas as semanas. Já levaram janelas, portas, mobiliário, tubulações, fiações etc.
    Virou um prédio fantasma. A PM faz o possível, mas cadê a Guarda Municipal ineficiente?

  10. Como diz o ditado: “O exemplo vem de cima”.
    A verdade é que, na gestão do Rio de Janeiro, ninguém quer trabalhar.
    Fica difícil assim.

    Sobre a Guarda Municipal do Rio, não vou opinar sobre a escala de trabalho porque preciso me informar melhor sobre isso. Mas uma coisa sempre me incomoda: Quase todas as vezes que passo por eles, estão em pequenos grupos, fazendo rodinha e batendo papo. Quando não estão no celular. E não é uma ocasião isolada. É sempre.

    Acho que não sou o único que percebe isso.

  11. Como dar crédito ao autor da matéria se nem matemática o cidadão sabe…Dizer que sessenta horas de descanso são cinco dias!… Isso nada mais é do que uma matéria comprada… Não entendi nada de escala e de serviços de rua…E em relação a algumas muitas opiniões… É lógico que a GM desagrada a muitas pessoas… Infelizmente faz o serviço sujo que muitos não gostam…A pessoa estaciona o carro na calçada ou no portão de garagem dos outros toma uma multa reclama dizendo que é a indústria da multa…Fora muitas outras coisas que nem vale a pena discutir aqui…

  12. Muito fácil falar esse monte de baboseiras sentado confortavelmente em sua cadeira de luxo. Nunca viveu na pele um plantão em pé, embaixo de chuva, ou em dia de sol 40°. E sim escreve em seu escritório, com seu ar condicionado, bem pleno! Mas sabemos que certamente essa matéria foi bem paga por alguém que desejava expor tais mentiras. Convido o senhor docinho de cocô à passar ao menos uma semana trabalhando na Guarda e depois volte a tirar suas conclusões.

  13. Nossa que injustiça! Temos essa escala porque nosso serviço é técnico, é como tal temos particularidades em nossa atividade. Assim como enfermeiros, policias, radiologista,… Vou desenhar para o senhor…Trabalhamos arriscando nossas vidas, podemos levar uma pedrada e um tiro a qualquer momento. A cidade é perigosa, sabia ? Equipamentos que juntos pesam sobre o nosso corpo: bastão, smart, celular da instituição, celular do agente, arma elétrica ( spark), água e a própria farda e coturno muitas vezes no sol. Sim, porque moramos no RJ. E muitos agentes ficam com problemas ortopédicos, câncer de pele. Sem falar prejudicados na parte psicológica, pois somos ameaçados a todo momento por todos os lados… Nossas condições de trabalho são péssimas sem nenhuma dignidade. (Ratos, insetos!)
    Este é reconhecimento depois de ficar na linha de frente na pandemia da Covid. Perdemos varios amigos e muitos seus familiares…. É Triste ler um comentário deste, é leviano! Desmoralizar uma categoria inteira! Convido quem fez a postagem a pesquisar novamente o nosso trabalho.

  14. Reportagem desrespeitosa, leviana e mentirosa! Nunca q os agentes trabalham 12 horas e folgam 5, só quem é insano e tem maldade em mente afirma isso! Essa reportagem tbm poderia averiguar as condições precárias das bases da GM no qual os agentes tem q ficar! Com o salário congelado há 3 anos, o ticket refeição a mais de 10 anos, como podem cobrar perfeição e dedicação no trabalho? Sem planos de carreira enquanto q os inspetores ganham acima de 50 mil reais pra q? E ng sabe como foram promovidos, pois ñ foram por operacionalidade e nem por bravura, talvez por amizade de políticos corruptos! Mtos tem pouco tempo de GM e ainda sim foram promovidos, sem respeitar a antiguidade da tropa!! Ñ existe critério de promoção na GM, basta ser “amiguinho” de alguém forte na prefeitura para ganhar uma! GM com 25 anos e 30 anos esperam um reconhecimento pra promoção q nunca veio!! É uma montanha de covardia q fazem com a tropa!!

  15. Reportagem tendenciosa.Mas, vamos aguardar cenas do próximo capítulo, “quero me eleger” se termos guardas de fato na rua. Lembrando que a cidade não se resume somente a zona sul e o bairro da Tijuca. Zona oeste sempre foi uma desordem. Há claro aqui fazemos política por IPTU mais caro.
    Tiro no pé será.

  16. Eu como jornalista, me envergonho de uma matéria sensacionalista dessa. Apenas digo que ao postar uma matéria dessas, calcule que se um dia possui 24h, as 60h de descanso, não podem chegar a cinco dias. Ao fazer a matéria, ao menos se informem sobre, e quando usar cálculos, já que não podemos saber tudo, apesar de ser um cálculos básico, que chame outra pessoa para revisar, que tenha bom senso principalmente. Postar mentiras, até vende jornal, mas não ganha credibilidade.

  17. Uma mídia que parece comprada não merece credibilidade. Vendendo material sensacionalista para angariar apoio realmente torna-se desnecessário e perda de tempo ler esse tipo de matéria. Antes de falar sobre escalas falem sobre o respeito ao agente guarda municipal do Rio de Janeiro, pois são eles que trabalharam e trabalham até hoje com o descaso do poder público com desestruturação promovida pela Seop, e com o deboche do prefeito, que não deu aumento de acordo com a defasagem ocorrida com o congelamento salarial, anos e anos trabalhando em ambientes sem estrutura física, tendo que fazer bico para conseguir comprar comida, ticket alimentação que não supre. E ainda tem colunistas que parecem estarem sendo pagos para promover a caça as bruxas incitando os cariocas contra os agentes. Antes de tudo eles recebem ordem de um comando não agem por conta própria. Então o direcionamento aos agentes é no mínimo uma tentativa de desfocalizar os verdadeiros culpados da falta de efetivo. Se derem um plano de cargos e e salários e estrutura tenho certeza que os agentes trabalharam protegendo os cariocas. Infeliz esse colunista

  18. A escala da GM Rio é a 24 x 72 comum a todos os órgãos de segurança pública, a escala 12 x 60 é usada por um percentual muito pequeno do efetivo e que por problemas de saúde e ou psicológicos não podem trabalhar na 24 x 72.
    Na escala 12 x 60 se descansa 2 dias e não 5 dias como está nessa matéria, o Prefeito em uma atitude covarde e cheia de estratégias desinforma a população de propositalmente através de amigos influentes como acontece aqui.

    • Será um tiro no pé que o prefeito e o inspetor Ricasso darão, se já tem vários readaptados e vários afastados por doenças, haverá mais ainda com essa escala de 12×36, pois os GMs já velhos e cansados, muitos acima de 55 anos, pode esperar que o efetivo de Guardas nas ruas vai diminuir mais ainda teremos mais afastamento por doenças físicas e psicológicas e muito atestado médico vai rolar, essa é a verdade.

  19. Se a prefeitura se aparelha e não cumpre regras e respeito ao morador que paga imposto, como poderá cobrar de um guarda que é inoperante. Patrimônio público sendo depredado, praças abandonadas. Para algo funcionar no Rio é necessário mudar toda administração, principalmente subprefeitos e seus assessores que nada fazem. A casa é o retrato do dono.

    • Se a senhora soubesse as nossas condições de trabalho a senhora não falaria isso, não temos equipamentos para a nossa segurança nas ruas, não recebemos uniformes para trabalhar já faz 9 anos, temos que comprar com o nosso dinheiro, alojamentos aonde convivemos com ratos, lacraias e outros tipos de peçonha, alojamento s que alagam quando vem a chuva forte, viaturas sucateadas e outras mazelas pertinentes ao nosso dia a dia. Somos o patinho feio dentro da prefeitura e esquecido e deixado de lado pelo executivo.

    • E-XA-TA-MEN-TE! Palmas para o seu comentário.
      Como diz o ditado: “O exemplo vem de cima”.
      A verdade é que, na gestão do Rio de Janeiro, ninguém quer trabalhar.
      Fica difícil assim.

  20. É um absurdo essa matéria totalmente leviana e mentirosa. Só vou falar um dos vários absurdos desse cidadão, escala 12x 60 é um dua de trabalho por 2 de descanso, e cinco de descanso, mas para refrescar a memória dessa matéria mentirosa, a maioria dos GMS estavam na 24×72( que por sinal é padrão na área de segurança, é só ver escalas dos policiais Civil, militar bombeiros e etc…) trilharam a pouco tempo para atual 12x 60 em um estratégia manipular a população contra GM.

  21. Sr. Quintino , a escala 12×60 minoria ( ficando inicialmente para os readaptados) em sua maioria 24×72 . O que houve foi uma manobrar para derruba lá, fazendo todos de maneira obrigatória para 12×60 para depois derruba lá- ninguém sabe ainda o real motivação- porém, sabemos que é político. Talvez para segurar votos dos guardas e suas famílias. Aliás, ninguém fica em casa de folga pois passamos necessidades sustentar nossos famílias. Trabalhamos em picos de seguranças, uber, professores , diarista , cabeleiros … descanso com o que ganhamos nem pensar . Talvez um solteiro descanse , mas pai e mães de famílias não temos esse privilégio.

  22. Luís, se você quer um bom serviço, tens que pagar por isso! Se você pagar mal a um pedreiro numa obra na sua casa, terás um serviço condizente com o valor que pagou, concorda?
    Desde quando, aumento de salário e porte de armas é MORDOMIA? Que mundo você vive neném?
    Ah, não peça a extinção da Guarda como se isso fosse prejudicar os guardas. Na verdade, os próprios agentes sonham com tal extinção e transferência para outro Órgão, que pague melhor e seja respeitado. Agora, faça campanha pela extinção da Guarda Municipal, você compraram um lugarzinho no Céu com essa atitude.

  23. A questão de ambulantes e usuário de drogas não se resolve com a segurança, mais com políticas públicas focadas na formação da pessoa e isso é renegado! E outra realidade a ser observada é que não é apenas estar de pés em serviço, mas o regime de trabalho nem se compara! A exemplo: trabalhar em ambiente de paz sem risco de vida, em ambiente climatizado, estruturas físicas condizentes para acolhimento, água a qualquer hora, a cobrança e perícia no trabalho público para se livrar de possíveis ações judicias sem contudo ter amparo do próprio ente público, são apenas uma exposição das diferenças que outras categorias de trabalho não se expõe as essas deficiências! Então que de igual modo, o dono da matéria venha também a refletir nos diferenciais do serviço de segurança em relação as demais áreas de trabalho! E lógico que já se sabe que os vencimentos da GCM são aquém do de outras categorias da mesma área, e com certeza essa é a maior causa do agente se expor a cumprir outra carga horária além do serviço regular para assim tentar ter uma realidade financeira para contemplar e cobrir melhor suas necessidades!

  24. O autor apresenta uma Natércia tendenciosa, sem conhecimento real dos fatos, atribuindo a categoria GUARDA MUNICIPAL atribuições de outros órgãos, no afã de jogar os cidadãos leitores contra a Instituição que encontra-se cheia de mazelas e abandonadas pelos últimos chefes de executivo municipal de forma torpe.
    Deveria se aprofundar em informações para não subir matérias eivadas de vícios.
    Uma total falta de respeito.

  25. É inacreditável falar sem conhecer, 90% da GM/Rio já está na 24/72 e apenas 10% na 12×60, se quer defender escala, fica no sol 12 HS direto igual um cavalo e tenta se recuperar em apenas um dia de descanso… A instituição que tem q definir o que quer, não abraçar milhares de causas ao mm tp, uma solução é focar q a Guarda é prioritariamente dia e retirar efetivo noturno, que terá a tão desejada visibilidade ou deixar todas na 24×72 + novo concurso, o resto é exploração e achismo.

  26. Colocação razoável. É UMA PENA QUE A DISPOSIÇÃO PRA BATER NÃO COMECE PELO ANDAR DE CIMA. SEJA FORTE E BRAVO E BATA NOS MAIS PODEROSOS. PARAFUSO SE APERTA POR CIMA.

  27. Sr. Quintino, acho engraçado sua pessoa sentir falta da Guarda combater os camelôs. Quantas vezes sua pessoa disse “os camelôs só querem trabalhar”. Será que um camelô montou uma ‘banquinha’ em frente a entrada do seu prédio? Sim, o camelô só é bonitinho quando está incomodando os outros, não é mesmo?
    Fiscalização de Ferro Velho não é atribuição da Guarda, existem as Polícias e a SEOP para isso. ‘Mendigos’ é da alçada da SMDS -Sec.Mun. de Des. Social.
    Fez um longo Editorial para jogar a população contra a Guarda, deveria fazer outro, contando a REALIDADE da Guarda Municipal:
    – Sem Planos de Cargos e Salários( única Instituição da Prefeitura sem tal Plano);
    – Sem aumento no Ticket Alimentação, sim, Sr. Quintino, há 12 anos o Ticket do guarda tem o mesmo valor: míseros 360,00.
    – Sem uniformes. Você sabia, Quintino , que o guarda compra o próprio uniforme e aqueles que se recusam são punidos com transferências e mudanças de escalas?
    – Sr. Quintino, estais cientes que mais de 3000 guardas têm idade superior a 60 anos? Sabia também que mais de 1000 gms são readaptados pela própria Perícia da Prefeitura , por problemas relativos à coluna, joelhos, varizes, problemas psiquiátricos, alcoolismo entre outros?
    – Sr. Quintino, alguém já lhe falou que vários guardas estão cedidos a outros Órgãos, inclusive estaduais?
    – Sr. Quintino, sabia qual existe um grupo de pessoas que ocupam cargos com salários astronômicos na Guarda Municipal e que NÃO são ‘cabides’? Faça um ‘Editorial’ sobre essas pessoas também, em vez de massacrar o guarda humilde que está na ponta da lança.
    – Sr. Quintino, entendeu agora a realidade do guarda municipal? Seu ‘Editorial’ é eivado de falta de informação ou mal intencionados mesmo.

    • Eu penso o seguinte, um cidadão acima comentou o seguinte, quê ficam no Sol, perigoso pára a pele,ficam na chuva, risco dê ficarem resfriados,correm riscos dê vida,o ticket refeição é dê 360 reais, e mais uma penca dê argumentos furados, e fazem confusão com suas escalas dê serviços,,uns falam 12 × 60 outros 24 × 72 não sei quem está falando a verdade, só sei quê quando os cidadãos quê muitos vem dê serviços quê o horário é,8 horas diárias dê segunda feira a sábado e ás vezes com uma folga semanal, esses cidadãos guardas municipais, quando pegam os editais, estão cientes dê tudo quê lhes é oferecido, e mais não se sustenta essas falas dê quê correm riscos dê vida, coisas quê qualquer cidadão hoje na minha querida e amada Cidade do Rio dê janeiro,correm os mesmos riscos quê qualquer trabalhador em seguranças correm, até dentro dê suas próprias residências, então é um argumento quê não têm nenhum respaldo dá opinião pública, e mais todos entreveiros quê os Srs participam têm geralmente a polícia militar respaldando suas atuações, logo eu penso quê ao invés do babaca do prefeito dá época Cesar Maia, quê só fez idiotices nos seus governos, e uma delas foi a criação dessa famigerada guarda municipal, quê seria mais interessante e útil o aumento do efetivo das polícias civil e militar, quê é quem efetivamente, combate ás bandidagens no Rio dê janeiro na minha opinião,no momento em quê passa o nosso estado, prá não dizer todo o Brasil, acho quê ás próprias corporações, deveriam se doar e fazer uma escala dê serviços mais enxutas, pois vivemos uma guerra urbana, quê todos os efetivos dê segurança, deveriam ter uma escala em regime dê rodízios, pois o quê menos se vê nas ruas é policiamento ostensivo, os bandidos roubam ou assaltam, residência pessoas, carros, estabelecimentos em geral,cometem execuções, e geralmente o policiamento só chega após os atos consumados, raramente chegam pára prevenir o desastre,e nesse caso não podemos nem contar com a guarda municipal, quê como qualquer cidadão, também depende das forças policiais ou militar ou civil, logo acho quê vcs deveriam baixar a bola e atuar como qualquer trabalhador, e qualquer quê seja essas escalas apresentadas são verdadeiras aberrações,ou o município usa a guarda municipal pára a quê foi criada,ou o município fica desmoralizado, daqui a pouco,os garis quê trabalham muito mais quê a guarda municipal, exigirá ás mesmas escalas dê serviços, já quê trabalham com, insalubridade, periculosidade,em todos os sentidos,ou o prefeito Eduardo paz responsável pelo município e seus cidadãos,administra a Cidade, como um gestor firme e com respaldo legal dê suas atribuições,ou o município do Rio dê janeiro vai ficar inviável,como está acontecendo com ás construções desordenada , favelas sendo criadas a todos os dias, escolas sem seguranças quê aí sim é uma atribuição dá guarda municipal, quê ás vezes extrapolam suas atribuições,e até os seguranças presentes dá polícia militar, não concordo com sua criação, pois esses grupos deveriam trabalhar como polícias efetivos do dia a dia, não pôr estarem dê folga prestando serviços extra, assim também temos médicos quê ás vezes trabalha em três quatro hospitais,como também muitos professores, quê dizem quê é prá completar suas rendas, lógico quê não são todos, mais têm uma boa quantidade quê usufrui dessas práticas,ou aparece alguém prá moralizar o Rio dê janeiro,ou seremos um estado falido e inviável, pois parece quê têm interesses quê isso aconteça, e é gente dê fora do estado do Rio dê janeiro, pois não sei o desfecho mais até um próprio do Rio dê janeiro o prefeito está impossibilitado dê privatizar,ou seja o antigo pavilhão dê são Cristóvão, hoje feira dos nordestinos, só no Rio dê janeiro acontece essas aberrações,

  28. Na Guarda e só um biscate, ele tem trabalho fixo , quando ñ tem alguns tipos de comércio ou estão nas casas de praia como tenho um vizinho que pertence a Guarda Municipal e lotado na Taquara, a vida dele é na região dos Lagos. Isso vem de anos e ele mesmo ja falou que não volta mais para trabalhar na rua. Uma vergonha com o povo que paga os impostos e ñ tem o serviço prestado.

  29. Sinceramente, não vejo a Guarda Municipal aqui na Freguesia há mais de um ano. Na época do prefeito anterior, costumava ver, de vez em quando, uma dupla batendo papo em frente a uma padaria e olhando para as mulheres que passavam na calçada. Resumindo, eram pagos para não fazer nada.
    Enquanto isso, o bairro está infestado de camelôs, de motoristas que desrespeitam as regras de trânsito etc.
    Entra prefeito e sai prefeito e nada. Gostaria de saber qual é a real função da Guarda Municipal.

    • Você não vê porque os guardas que trabalhavam aí, pertenciam a um grupo de guardas velhos, com vários problemas de saúde, mas que mesmo assim, trabalhavam para não entrarem na ‘Readaptação’. Eles atuavam com bermudas, camisas polo , tênis e meia comprados do próprio bolso. Foram retirados das ruas porque um ‘Prefeitinho’ de bairro achou que eles não deveriam trabalhar de bermudas _ mas não atuou para o fornecimento do uniforme desejado pelo tal ‘Prefeitinho”. O mal de moradores como você é que só enxergam aquilo que querem.

      • Por que não houve denúncias contra a Prefeitura na época? Por que não levaram o caso à imprensa com provas? o meu comentário foi baseado em fatos.

    • Que a Freguesia permaneça infestada de camelôs e de infratores de trânsito. Quando os guardas atuavam aí, contra esses grupos, vocês moradores, os maiores infratores do trânsito e defensores de camelôs , reclamavam dos guardas. QSF!

      • Moro há 15 anos na Freguesia. Nunca vi e nem tive conhecimento de agentes da Guarda Municipal atuando contra o comércio ilegal. Sobre a aplicação de multas a motoristas infratores, via os agentes, em média, uma vez por mês fazendo tal serviço. Desde o início da atual administração a Guarda Municipal não marca presença no bairro. Eu sou a favor da aplicação da Lei. Se há moradores que são contra, é problema deles.
        Enfim, se a Guarda Municipal não funciona, que acabem com ela e realoquem os funcionários a outras áreas dentro da Prefeitura.

  30. Esse é um dos muitos dinheiros públicos jogados no LIXO pelo município do Rio. Cabidaço de empregos para péssimos políticos, não servem para absolutamente NADA. Nem para o transito, pois multam e rebocam aonde é permitido estacionar, se estão controlando o transito num cruzamento e engarrafa saem de fininho, se chove desaparecem, os motoristas de ônibus fazem bandalhas a vontade e debocham deles na cara dura…enfim, seria melhor usar esse dinheiro em muitas outras coisas, já que vivem alardeando que falta dinheiro para tudo que é básico nesse país.

    • Motoristas de ônibus fazem bandalhas na ‘cara dura’, porque as empresas de ônibus, Coca – Cola, Emissoras de TV e etc., simplesmente NÃO pagam multas no Rio de Janeiro, há décadas. Você , que é motorista particular, que em tese paga multas, também faz bandalhas na ‘cara dura’. Educação não é para qualquer um…

    • Se você, Fernando Santos, que é morador, faz bandalhas na ‘cara dura’ e que teoricamente deve pagar multas, imagine os motoristas de ônibus, de caminhões da Coca-Cola e de Emissoras de TVs , que não pagam multas há décadas? Assim é fácil fazer bandalhas. Você deve ser aquele tipo de sujeito que anda de carrão, não paga IPVA e vende o veículo cheio de multas. Ou seja, vive de aparências. Tem um monte de motoristas assim, são estes que odeiam os guardas.

      • Sou não Serginho, muito pelo contrário, além de não ter multa nenhuma, pago meus impostos rigorosamente em dia e, por isso mesmo, me preocupo muito com o que os governantes fazem com esse dinheiro, mas, com certeza absoluta, vc tem algum interesse pessoal na manutenção da mamata pública chamada GM…será que vc trabalha lá e teme perder a boquinha?

  31. Se as condições da autarquia indireta GM RIO é tão falada, algum desses comentaristas se propõe a trocar o salário e a jornada de trabalho com o do Guarda q está na ponta? O que está sumido é o aumento de salário, 360 reais de ticket alimentação há mais de 10 anos, instalações cheias de ratos, baratas, buracos, anos sem manutenção, sem plano de carreira digno. Todos são concursados, e tratados como celetistas. Alguém quer trocar om o Guarda? Mamata é a cúpula do poder, usufruindo vidas de Reis, com planos e benefícios vitalícios. Vcs precisam estudar e deixarem de ser ignorantes. Escala de 24 hs, são três dias consecutivos trabalhados , pra quem não sabe 8×3=24. Desenhando, São 3 dias de 8 horas, pra quem é ignorante fala em Mamata, mas não sabe o q é mexer com o horário fisiológico do organismo. O povo peça por falta e conhecimento e hipocrisia.

  32. Lamentável sua matéria. Que lixo, humilhou toda uma categoria como se não fizesse e não servisse pra nada, faz comparações mentirosas , eu mesmo conheço outras funções q tem essa escala inclusive em hospitais. Vc deve ter alguma raivinha da Guarda Municipal pq fala com um ódio do coração. Lamentável, matéria lixo.

  33. Foi esquecido no texto a fala sobre o concurso de 2012, fei pelo atual prefeito para 2 mil vagas imediatas, que até hoje o Sr prefeito Paes não convocou e continua enrolando “primeiro não tinha dinheiro, após a desculpa foi a COVID e em seguida a escala”.

    Se o Sr quer guarda na rua, em qual momento defendeu a convocação dos mesmos, defendeu o retorno de guardas cedidos a outros órgãos, defendeu a aprovação do cargo e salário, aumento do ticket a 10 anos desatualizado, aumento do valor de transporte que o guarda tem que tirar do bolso.

    A seop e responsável pelo ordenamento Urbano, mas quem faz o serviço e o guarda, talvez para receber o fundo que a guarda tem direito e não vê um centavo.

    Falta de uniforme, bases caindo aos pedaços.

    Gostaria que o Sr Quintino vivesse a vida do guarda por um mês e assim criticasse o que fosse, mas ninguém quer está na pele do outro, apenas falar o que não tem conhecimento.

  34. Muita desinformação nessa matéria!
    Existe um concurso desde 2012 da GM com 1500 pessoas aprovadas esperando a quase 13 anos serem chamadas!
    Por que você não faz uma reportagem sobre isso?

  35. De verdade, há um bom tempo não leio tanta desinformação! Fiquei lendo para tentar encontrar alguma substância de verdade, mas no final, a conclusão que cheguei foi a de mais uma fake News! Importante lembrar que quando alguém morre e o corpo fica horas aguardando a perícia ou horas que ficamos aguardando nas delegacias apenas para registrar uma ocorrência, não há reportagem falando das escalas dos policiais civis! Isso reflete a mediocridade de um “jornalista”, além da pessoalidade e desprezo pela verdade!

  36. Gosto de jornal diario do RJ porém essa matéria faltou mencionar que a prefeitura não contrata os aprovados de 2013. Que metade de guarda é acima de 50 anos de idade e está a 30 anos na instituição sem um plano de carreira, que só uns 20 foram promovidos por padrinhos políticos. Bases sucateadas com esgoto a céu aberto, ratos, piso afundando l.
    Sem reajuste da inflamação, sem reajuste de salário e tick alimentação a 12 anos
    A escala 12/60 trabalha 1 plantão de 12h em pé e descansa 2 dias.

    Publique isso tbm.

  37. Você é um jornaleiro de 5 ° categoria me perdoe os nobres profissionais .
    Preconceituoso mendigos são pessoas são populares de Rua ledo engano seu popular de rua é com a séc de assistência social . Tá ganhando um cachê para expor seu veneno.

  38. O Quintino só esqueceu de falar do guarda municipal que virou vereador no governo do Crivella e é o grande responsável por isso. Usou seu mandato apenas para fazer lobby para a Guarda Municipal. É daqueles que entra no serviço público para fazer bico ou como escada para a política.

  39. Perfeito ! mas incluo a total incompetência histórica no comando , quando ainda se via guarda municipal no Rio , bastava chover que desapareciam , se quisesse ou quiser achar algum ? porta de bares e padarias. A noite ? “comprando” lanches nos bares , restaurantes e trailers da intendente Magalhães. Nas redes sociais só se ve querendo aumento , porte de armas e mais mordomias. na verdade tinha que ser extinta !

    • Sr. Luís, faça campanha para a extinção da Guarda e comprará seu lugarzinho no Céu.
      Uma Corporação que não tem Plano de Cargos e Salários; que está há 12 anos sem aumento no Ticket Alimentação; que o funcionário tem que comprar o próprio uniforme e usar o próprio celular para executar tarefas para a Corporação; que trabalha em Bases insalubres; com efetivo envelhecido, com várias aposentadorias ocorrendo mês a mês e sem a convocação dos aprovados em Concurso Público, esperando desde 2012, essa Guarda TEM QUE SER EXTINTA mesmo.

  40. Quintino consegue falar de algo crível, urgente e necessário da forma mais abotolhoada possível.

    Meu Pai…

    Desconsiderando a torcida, suposições e mexericos do autor, realmente a Guarda Municipal é nula na prática.

    Quaaando ela existia, vc só via ela em alguns lugares específicos da cidade e defendendo patrimônio privado. Não tem isso aí de ordem urbana e defesa do patrimônio público não.

    Crivella equiparou a Guarda Municipal aos Militares em termos de vagabundagem e força de trabalho. Só faltou remunerações gordas.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui