Empresa é autorizada a começar obras de revitalização no Jardim de Alah

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Pedestres caminham em frente ao gramado do Jardim de Alah • Foto: Rafa Pereira, Diário do Rio

Depois de uma verdadeira novela de quatro meses na Justiça, finalmente a revitalização do Jardim de Alah, na Zona Sul do Rio, parece que vai sair do papel. Isso porque o contrato de concessão para a manutenção do espaço foi publicado no Diário Oficial nesta quarta-feira (13/03).

O Consórcio Rio + Verde venceu o processo licitatório no ano passado e será o responsável pela gestão da área pelos próximos 35 anos. O grupo assume os 95 mil metros quadrados do Jardim de Alah em um investimento previsto de R$ 110 milhões, além de outros R$ 20 milhões por ano em manutenção. Por enquanto, os serviços autorizados são de revitalização, operação e manutenção. As obras ainda estão em fase de licenciamento.

Na terça (12/03), a empresa assinou o Termo de Arrolamento junto à Prefeitura do Rio e a ordem de início da concessão foi publicada nesta quarta no Diário Oficial pela Secretaria Municipal de Coordenação Governamental (SMCG). Essas eram as duas burocracias contratuais que impediam que a concessão fosse concretizada.

No D.O. o texto diz: “Nos termos da cláusula 11.2 do Contrato de Concessão SMCG nº 02/2023, referente à concessão de uso e gestão com encargos de revitalização, operação e manutenção da área municipal conhecida como Jardim de Alah, celebrado em 09 de novembro de 2023, entre o Município do Rio de Janeiro, por intermédio da Secretaria Municipal de Coordenação Governamental, e a Concessionária Rio Mais Verde Empreendimentos S.A., fica a Contratada AUTORIZADA a executar os serviços a partir de 13 de março de 2024.”

Advertisement

O projeto prevê a construção de um estacionamento subterrâneo, além de quiosques formando áreas comerciais no parque e pontes levando mais acessibilidade aos entornos do canal. Haverá, ainda, estacionamento subterrâneo, já que as atuais vagas destinadas a carros serão incorporadas ao aproveitamento da praça. Quando as obras forem concluídas, o espaço não terá grades, para estimular que a população volte a circular pelo local. A ideia é que, obtidas todas as licenças necessárias para as obras, as intervenções levem 16 meses.

No último dia 03 de março, o projeto de revitalização do Jardim de Alah foi apresentado aos moradores da Cruzada São Sebastião, no Leblon. Na ocasião, a secretária municipal de ambiente e clima, Tainá de Paula afirmou que a ideia é ter um modelo de cidade inclusiva e com participação popular.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Empresa é autorizada a começar obras de revitalização no Jardim de Alah
Advertisement

2 COMENTÁRIOS

  1. Pronto!!!Já era aquilo lá!!O canal vai virar um esgoto!!Tudo “fantástico ” na teoria,mas a realidade é q são elas!!Em 2 anos vai virar um pardieiro!!
    Desprezo pelos moradores,desprezo pela história!!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui