Flamengo ganha seu próprio dia e a situação do Vasco da Gama

Duas notas sobre futebol.

Agora o dia 17 de Novembro, no Estado do Rio de Janeiro, passará a ser o Dia do Flamengo. A lei foi sancionada pelo vascaíno Sergio Cabral (que deve ter sentido uma profunda dor),

O Governador do Estado do Rio de Janeiro,
Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1º – Fica instituído o Dia do Flamengo no âmbito do Estado do Rio de Janeiro, a ser festejado no dia 17 de novembro, data de fundação da agremiação.
Art. 2º – Esta Lei entrará em vigor na data de sua publicação.
Art. 3º – Ficam revogadas as disposições em contrário.

Rio de Janeiro, 07 de março de 2007.

SÉRGIO CABRAL
Governador

Sobre a atual situação do Vasco da Gama, após a anulação da eleição pelo Judiciário, como pode ser visto aqui, o Matéria de Gaveta, trouxe uma carta do Roberto Dinamite sobre a situaçã, fez uma excelente matéria sobre o tema,

O juiz Renato Ricardo Barbosa, anulou a eleição para presidência do Vasco da Gama, realizada em novembro passado. O MUV (Movimento Unido Vascaíno), entrou com o pedido de anulação em janeiro deste ano, alegando que o número inscrito na lista de sócios do clube, 757, era bem menor do que o que foi registrado no dia da votação, 1655.

O atual presidente, Eurico Miranda, disse que vai recorrer. Caso a decisão seja mantida, novas eleições estão previstas para daqui a trinta dias. Poderão votar os sócios do clube que estiverem em dia com sua carteira. O novo local das eleições não foi discutido pelo juíz, mas há uma grande chance de que não se realize no estádio de São Januário.

O engraçado é que desde que Eurico Miranda se tornou presidente do Vasco, em 2002, o clube cruzmaltino, acostumado a títulos e ao respeito pela sua camisa, anda rebaixado em seus valores éticos e morais. O Vasco é pioneiro no futebol brasileiro justamente por esses valores, e por eles é reconhecido. Não cabe no Vasco a ditadura, o desrespeito a ordem, a falta de caráter, a corrupção e o uso da força bruta. Sua imagem não pode estar ligada a salteadores, em respeito a sua torcida.

O clube não vence seu maior rival, Flamengo, em decisões, há seis jogos seguidos. A última vitória em uma final foi no Campeonato Carioca, em 1989, com um gol de Cocada, no Maracanã. O vascaíno hoje se esconde em uma camisa manchada de vergonha que fica guardada no armário, por não ter mais a vaidade de vestí-la. Dizer que é vascaíno hoje, é se lembrar dos sorrisos passados e ignorar o pranto presente.

As eleições sendo realmente anuladas e realizadas fora do estádio de São Januário, não deixam dúvidas da vitória da oposição. Assim, o vascaíno poderá ver seu maior e principal ídolo retornar a sua casa, agora, como presidente do clube.

Roberto Dinamite, presidente do Clube de Regatas Vasco da Gama

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui