Foto: Rogério Santana

A pesquisa Atlas não testou apenas os cenários para governador do Rio de Janeiro em 2022, mas também quis saber a opinião dos entrevistados sobre os governos de Claudio Castro (PL) e de Jair Bolsonaro (sem partido), além da visão da população sobre diversos líderes políticos. Feita entre 18/6 e 22/6, com 807 respondentes e de forma online, e margem de erro de 3 p.p., ela tem crítica de alguns cientistas políticos por ter sido online, mas mostraria uma tendência já encontrada em outras pesquisas.

Aprovação Claudio Castro

  • Aprovo – 24,3%
  • Desaprovo – 58,9%
  • Não sei – 16,7%

No recorte, a maior reprovação de Castro está entre os eleitores com Ensino Superior, 64% x 19%, nos municípios pequenos 85% a 3% de aprovação, naqueles entre 35 e 44 anos, 55% x 15%. Na faixa etária, são os mais ricos que realmente desaprovam quase que de forma unânime o governador, 80% x 7%, só é maior entre os agnósticos e ateus, 85% x 15%. Ele também é mais desaprovado entre quem votou nulo ou branco em 2016, 92% x 6, enquanto quem votou em Haddad fica 78% a 8%.

Já Castro tem maior popularidade no Ensino fundamental 40% de aprovação contra 34% de desaprovação, na cidade do Rio 33% de aprovação x 46% de desaprovação, e entre os eleitores de 25 a 44 anos, 42% a 33%. Os mais pobres, renda de até R$ 2.000, desaprovam 51%, mas é a que tem maior aprovação, 31%, o mesmo nos evangélicos 41% de desaprovação e 32% de aprovação. Até entre os eleitores de Bolsonaro a desaprovação é alta, 40% a 36%, melhor recorte de Claudio Castro.

A pesquisa também fez um desempenho go governo do Estado por área, curiosamente a mais mal avaliada é Saúde, mas a menos mal avaliada é a Gestão do Covid-19 e a vacinação.

Aprovação de Jair Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) é levemente desaprovado, bem, não tão levemente, mas comparado a Claudio Castro está bem:

  • Aprovo: 46,02%
  • Desaprovo: 47,8%
  • Não sei: 6%

A maior aprovação de Bolsonaro está entre aqueles com Ensino Fundamental, 54% a 29%, na cidade do Rio de Janeiro, 54% x 36% e nos entre 25 e 44 anos, 60% a 40%. Aqueles que tem renda entre R$ 3.000 e R$ 5.000 aprovam com 61% a 39%, e os evangélicos 67% a 21%. Já 79% dos que votaram em Bolsonaro em 2018 o aprovam, enquanto 16% o desaprovam.

A desaprovação é maior entre os com ensino médio, 54% a 45%, nos municípios pequenos, 70% a 30%, e os mais jovens, 16-24 anos, 53% a 43%. O mesmo acontece entre quem tem renda acima de R$ 10.000, 70% a 30%, os católicos 62% a 33% e em quem votou Haddad, aprovação de 0% contra 90% que desaprovam.

Bolsonaro e Paes são os que tem a melhor imagem entre os políticos, Crivella e Cabral a pior

A pesquisa do Instituto Atlas também quis saber a opinião dos entrevistados sobre a imagem que tem de mais diversos políticos do Brasil. Jair Bolsonaro (sem partido) e Eduardo Paes (PSD) são os que tem a melhor imagem, enquanto Marcelo Crivella (Republicanos) e Sergio Cabral (Bangu) é são os que tem a pior imagem

2 COMENTÁRIOS

  1. Será que já é possível ver luz no fim do túnel?
    Infelizmente vendo esses dois governantes, Claudio Castro (não eleito) e Bolsonaro (eleito por 1/3), e até ano passado o sofrível governo Crivella, comparando com o que tínhamos antes, somando-se, ainda, com os eleitos para mandatos no Senado, é de se concluir que o Rio de Janeiro continua… muito mal servido e mal representado.

  2. A responsabilidade – para não dizer culpa – deste legado nefasto no RJ é do voto deste Povo Fluminense, do qual faço parte, que não sabe votar.
    Parece que está aparecendo uma luz?no fim do túnel e dou um viva à isto! ???

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui