Governo do Estado analisa o que fazer com antigo prédio anexo da Alerj, na Praça XV; entenda

Poder Executivo do RJ analisa se reutilizará o imóvel para fins administrativos ou se o devolverá ao Governo Federal

Prédio anexo do Palácio Tiradentes, no Centro do Rio - Foto: A. Filho

O Governo do Rio de Janeiro está analisando o que fazer com o prédio anexo ao Palácio Tiradentes, na Praça XV, região central carioca.

Após a ida da Assembleia Legislativa do Estado (Alerj) para a Rua da Ajuda, também no Centro do Rio, a menos de 1km dali, o referido imóvel, que já não estava sendo utilizado pela Casa que abriga os deputados, foi devolvido ao Poder Executivo fluminense, que, por sua vez, estuda se o reutilizará para fins administrativos ou se o devolverá ao Governo Federal.

”Com o fim da utilização do espaço pela Alerj, o Governo do Estado estuda se ele será utilizado para uma nova estrutura administrativa – e para isso será feito um ajuste no termo de cessão – ou se ele será devolvido à União”, disse o Governo do RJ por meio de nota.

Vale lembrar quem, em 2020, em meio a um momento crítico da pandemia, o governador Cláudio Castro (PL) sancionou um projeto de lei que autoriza que o imóvel seja transformado em um hospital de referência oftalmológica. Essa ideia, porém, nunca saiu do papel.

Crítica de Paes

Quando a Alerj se mudou para a Rua do Ajuda, na reta final de 2021, o prefeito do Rio, Eduardo Paes (PSD), se manifestou apoiando a demolição do prédio anexo, ressaltando as ”belezas” arquitetônicas existentes nos arredores.

”Vamos tirar esse anexo daí. Os cariocas vão ficar muito felizes com esse presente. Olha que arquitetura fantástica que tem aqui. Tem o Paço Imperial, o Chafariz do Mestre Valentim, o Palácio Tiradentes. E aí tem esse trambolho aqui atrás, que é esse anexo da Assembleia Legislativa”, disse, à época.

Advertisement

4 COMENTÁRIOS

  1. O Rio de Janeiro não está em condições de desperdiçar estruturas e, pior, pagar para desperdiçá-las. Porque não simplesmente vendê-lo para alguém que dinamize a região? Precisamos de geração de renda, negócios, empresas, empregos!!

    Não precisamos de mais locais para atochar servidores públicos. Eles adoram palácios acarpetados às custas do povo: se deixarmos, o centro todo vira prédio do governo.

  2. Demoli um patrimônio público que foi construído com o DINHEIRO DO POVO em nome de “beleza arquitetônica”.
    Essa ideia não poderia ter vindo de outro cara que não fosse do nosso digníssimo prefeito, aquele que adorava obras…
    Com o Centro do Rio a todo vapor com o Projeto Reviver Centro, um órgão de saúde naquele prédio, seria primordial. Pensem nisso…

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui