Centro seen from Santa Teresa, Rio de Janeiro por waynewhuang
Centro seen from Santa Teresa, Rio de Janeiro por waynewhuang

Conhecido mundialmente e desde sempre conservando charme, beleza e história, o bairro de Santa Teresa é, sem dúvida, um dos mais importantes da cidade do Rio de Janeiro. A região tem memórias que sempre valem o destaque.

O bairro surgiu em torno do convento de Santa Teresa, erguido na colina, durante o século XVIII. Inicialmente, a região foi ocupada por pessoas muito ricas, que construíram casarões inspirados na arquitetura francesa da época, muitos dos quais estão de pé até hoje em dia.

Bairro de Santa Teresa e convento - Rio de Janeiro por Cyro A. Silva
Bairro de Santa Teresa e convento – Rio de Janeiro por Cyro A. Silva

O clima, mais fresco que na parte baixa da cidade, e outras questões atraiam e muito os imigrantes europeus que chegavam ao Brasil.

Quando houve a abertura dos portos, os estrangeiros bateram os olhos para Santa Teresa, devido ao regime de ventos, que deixa a área mais fresca. Além disso, por ser mais distante do centro urbano da cidade, muitas pragas e doenças como a Febre Amarela, não chegavam àquela área”, relatou o historiador Álvaro Braga em 2013, em um documentário sobre o bairro.

O que antes era um alento para poucos, virou a solução de muitos. Devido a esse favorecimento geográfico, por volta de 1850, a região foi intensivamente ocupada pela população que fugia da epidemia de febre amarela.

Bondes de santa teresa puxado por burros
Bondes de Santa Teresa puxado por burros

Duas décadas mais tarde, um veículo, que marca o bairro até os dias atuais, passou a dar as caras no Rio de Janeiro. Em 1872, começou a rodar o bonde (veja a história do Bondinho de Santa Teresa) que passava pelas Ruas Joaquim Murtinho e Almirante Alexandrino. Inicialmente, o bonde era tracionado por tração animal. Depois, foi dotado de motores e rede elétrica.

O bonde de Santa Teresa foi inaugurado em 1896, durante a República Velha, quando o Brasil era presidido por Prudente de Morais. A fuga da febre amarela e outras doenças e, principalmente, a presença do bonde somaram para o desenvolvimento do bairro.

[iframe width=”100%” height=”90″ src=”https://diariodorio.com/wp-content/uploads/2015/05/superbanner_66anos.swf-3.html”]
Com mais de meio século de tradição no mercado imobiliário da Cidade do Rio de Janeiro, a Sérgio Castro Imóveis apoia construções e iniciativas que visam o crescimento da Cidade Maravilhosa sem que as características mais simbólicas do Rio se percam.

A urbanização de Santa Teresa, começou, definitivamente, na segunda metade do século XIX, impulsionado pelo bonde”, destaca Álvaro Braga.

Durante o século XX, Santa Teresa assistiu de cima todo o processo de desenvolvimento maciço do centro da cidade do Rio de Janeiro. Em um dado momento desse século, o bairro passou a chamar a atenção de artistas e intelectuais.

A casa de Carmen na Rua André Cavalcanti, em Santa Teresa.
A casa de Carmen na Rua André Cavalcanti, em Santa Teresa.

Entre os famosos e históricos moradores de Santa Teresa estão Pixinguinha, Carmem Miranda, Jorge Selarón (que decorou a famosa escadaria que dá acesso ao bairro), entre muitos outros.

Sobre o bondinho de Santa Teresa, principal característica do charmoso bairro, é desde 1968 é o único veículo desse tipo que funciona na cidade do Rio de Janeiro, vem rodando desde o final do ano passado, quando voltou a operar após o trágico acidente de 2011, que matou seis pessoas e deixou cerca de 60 feridos.

Bondinho de Santa Teresa por Marco Nunes
Bondinho de Santa Teresa por Marco Nunes

Charme, beleza e história, moradores famosos, bondinho, isso, e mais um monte de coisas boas, resume o bairro de Santa Teresa, se é que uma história tão rica pode ser resumida.

1 COMENTÁRIO

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui