Homem viraliza ao oferecer serviço de massagem no trem do Rio

Vídeo com a performance do profissional tem sido compartilhado por inúmeros internautas nas redes sociais

Massagista no trem do Rio (Foto: Reprodução Redes Sociais)

Os passageiros de trem no Rio de Janeiro diariamente têm que conviver com conduções, superlotadas, atrasos, assaltos, assédios, e todo tipo de stress para simplesmente poder fazer o trajeto casa/trabalho, ou trabalho/casa. Pensando nesse perrengue que assola os fluminenses, um homem tem viralizado nas redes sociais por oferecer serviço de massagem na composição.

Um vídeo que circula na internet, postado pelo próprio empreendedor, mostra Sérgio Sapê massageando os pés de um colega profissional da área, enquanto tenta convencer os demais passageiros a experimentarem uma sessão. Com direito a maca e produtos especiais, o massagista chama atenção de quem viaja na composição.

Vou fazer uma massoterapia aqui no meu amigo, Vou começar pelos pés, é uma coisa muito deliciosa”, diz o Sapê ao massagear levemente os pés do amigo. 

Veja

No Twitter, o vídeo já tem mais de 2 mil curtidas e 550 compartilhamentos. De uma maneira geral, internautas aprovaram a iniciativa. Confira alguns dos comentários.

“Sensacional: Você viaja deitado e ainda vai recebendo uma massagem contra o stress!”, destaca um internauta.

“O trem do RJ é o melhor do Brasil”, vibra um usuário do Twitter.

Outro relembra a proposta de aumento da passagem do trem (que se manterá em R$ 5 pela tarifa social) para justificar o serviço de um massagista no trem.

“Por isso que a passagem aumentou…”, brinca.

Já uma moradora de outro estado comenta:

“Eu pegaria esse trem.”

O DIÁRIO DO RIO procurou a Supervia, concessionária que administra os trens do Rio, para que pudesse comentar a atuação do massagista em uma de suas composições, mas até a publicação desta matéria, não obteve retorno. 

Advertisement

3 COMENTÁRIOS

  1. Acaso se eu parasse meu veículo na vaga de deficiente seria algo bem visto??? Não…

    Está simplesmente ocupando local onde existe barras para pessoas utilizarem, especialmente os cadeirantes… pois as duas extremidades de cada carro permite a cadeira entrar e sair do outro lado utilizando a mesma barra de apoio…

    Se o autor do artigo do Diário do Rio prestasse mais atenção a isso, faria um trabalho de conscientização que se espera de todo veículo jornalístico…

  2. Esse cara não sabe o que faz.. além de ocupar espaço que não é dele – e sim dos passageiros, caso ocorra uma frenagem brusca todo o aparato ali sairá rolando. Se machucar alguém, quem arcará com isso? Vão culpar a concessionária. E o cara vai ser o primeiro a sumir e tirar o dele da reta.

    Não basta cobramos da concessionária que ela faça um bom serviço. Precisamos nos comportar de acordo com uma sociedade que desejamos ser. E este cara aí joga contra a segurança de todos.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui