Igreja no Centro que sofreu bombardeio no século XIX reabre em maio

Após a abertura, a igreja funcionará de segunda a sábado, com missas diárias, em horário comercial. O sino do templo soará de hora em hora, como na tradição católica, tudo com patrocinadores privados

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp

Com previsão de reabrir as portas em maio, a Igreja de Nossa Senhora da Lapa dos Mercadores, localizada na histórica e movimentada Rua do Ouvidor, no Centro do Rio de Janeiro, está passando por uma grande revolução capitaneada pelo empresário Cláudio André de Castro, que, desde março, é o comissário da Irmandade de Nossa Senhora da Lapa dos Mercadores, à qual a edificação pertence. O templo católico de 1750 é particular e está fechado há quase três anos. Mesmo antes disso vivia quase sempre interditado à visitação pública.

Para revitalizar o templo, o empresário de 44 anos mobilizou amigos e apoiadores preocupados com o patrimônio histórico do Rio de Janeiro e com os rumos do Centro Histórico da cidade. Atuante na revitalização da região, Castro tem investido em imóveis no quadrante; é também de sua propriedade o imóvel no Arco do Teles onde funciona o DIÁRIO DO RIO. Uma das primeiras providências tomadas foi a retirada das pichações e materiais inflamáveis da igreja, assim como uma grande faxina. As contas, que estavam atrasadas, também foram pagas pelo empresário, cujo objetivo maior é entregar a preciosa relíquia à população do Rio de Janeiro.  

“Estamos fazendo isso tudo com recursos próprios porque a irmandade não tem recursos, e a nossa empresa Sérgio Castro está apoiando o retorno desse patrimônio ao Rio de Janeiro”, disse Claudio Castro ao jornal O Dia, ao qual explicou ainda que as irmandades, tal qual a proprietária do templo, surgiam através de pessoas que tinham devoções comuns. Neste caso, os comerciantes. Para o empresário, estar à frente da revitalização da Igreja de Nossa Senhora da Lapa dos Mercadores é honrar a trajetória desses profissionais, entre os quais se coloca, se dizendo um “mercador dos tempos modernos”.

As irmandades religiosas católicas são mantidas com as arrecadações da igreja e de bens próprios. A Irmandade de Nossa Senhora da Lapa dos Mercadores se mantinha com o aluguel de salas, apartamentos e lojas de um prédio comercial, na Rua Sete de Setembro, de sua propriedade. No edifício, funcionou por duas décadas o Club Gourmet, do chef José Hugo Celidônio. Com a pandemia o edifício perdeu inquilinos, o que impactou fortemente a geração de recursos da irmandade, que hoje está com vários imóveis disponíveis no seu prédio da Sete de Setembro, 63.

Advertisement

Leia também

Taxas de condomínio disparam no Rio; confira os bairros com os valores mais altos

Conheça seis motivos para investir em uma pós-graduação

A histórica edificação já teve a sua iluminação externa toda reativada, o que realça a torre de sinos da igreja, que estava há 10 anos envolta em breu. Também seu lanternim (espécie de clarabóia) do século XVIII voltou a iluminar a região à noite. Como, na tradição católica, o sino principal voltará a badalar de hora em hora. Com a revitalização do espaço, o comissário administrativo da Irmandade de Nossa Senhora da Lapa dos Mercadores pretende brindar a população carioca e fluminense, com uma igreja com missas diárias e funcionamento em horário comercial, de segunda a sábado. A igreja será ainda um local para celebrações religiosas e atividades culturais, como concertos musicais e atividades educacionais tendo o Rio Antigo, arquitetura histórica e a história do Brasil como cerne.

“A igreja vai reabrir para visitação a partir de maio, não apenas com a programação religiosa, mas também com programação turística e cultural. Vamos receber guias, turistas, vai ter uma equipe que vai contar a história da igreja, vamos fazer concertos de música erudita, palestras sobre o Rio Antigo e palestras sobre a História da cidade do Rio de Janeiro”, explicou o comissário, acrescentando que localização da edificação, no número 35, na Rua do Ouvidor, em meio à franca atividade mundana não representa uma ameaça às atividades sagradas. “A gente acha esse ponto excelente. Não tem nada mais carioca do que casar e vir tomar um chope nessas mesinhas. Eu vim a um casamento há dez anos nessa igreja, e uma passadeira vermelha levava os convidados a um dos vários restaurantes que tem na região. É uma continuação da igreja. Muitas não têm salão de festa próximo”, contou Cláudio Castro ao jornal O Dia. Castro foi nomeado pelo Arcebispo Dom Orani Tempesta para assumir a irmandade, por conta das dificuldades financeiras enfrentadas pela entidade, uma organização católica de fiéis criada em 1750.

Diante da grande transformação promovida pelo diretor da Sérgio Castro Imóveis em uma igreja bela, mas ultimamente sem brilho por falta de cuidado, o também empresário e colunista do jornal O DIA, Nuno Vasconcellos, lembrou como a atuação da sociedade organizada do Rio pode fazer uma enorme diferença na recuperação econômica e cultural carioca e fluminense. “Queremos mostrar à população do Rio de Janeiro que uma igreja das mais antigas está se revitalizando, para as pessoas virem visitar. Incluir a igreja no roteiro do Rio”, convidou o empresário ao visitar o patrimônio histórico, recentemente.

A Igreja de Nossa Senhora da Lapa dos Mercadores, que é tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), começou a ser construída, em 1747, a partir de um oratório dedicado à Nossa Senhora da Lapa, diante do qual comerciantes se reuniam para pedir boa sorte nos negócios e na vida. A torre da igreja recebeu um tiro de canhão, durante a Revolta da Armada, em 1893. Por conta do incidente, a imagem de Nossa Senhora da Fé que ficava no alto da torre sineira despencou de uma altura de 25 metros, quebrando apenas parte de dedinhos da mão. Um imponente átrio, com uma escadaria em madeira trabalhada e piso em mármore português, guarda também a bala de canhão que atingiu a estátua em pedra de Lioz. Um milagre bem carioca.

A escultura e a imagem que recebia orações dos mercadores na Rua do Ouvidor foram preservadas em uma sala no interior do templo. Outra relíquia ligada à igreja – o medalhão trabalhado em mármore representando a coroação da Virgem Maria, alocado na parte superior da fachada da edificação e que data do século XVII – foi encontrado em escavações realizadas no terreno para reforma da igreja no século XIX.

Uma região que renasce

Uma das regiões que mais tem crescido e recebido investimentos no Centro do Rio é a área informalmente chamada de ‘Pequena Lisboa‘, onde fica a histórica Igreja dos Mercadores; quadrante localizado entre a Primeiro de Março, a Praça XV e os Centros Culturais da região da Candelária repleto de edificações históricas, sobrados coloniais, e muitas construções mais que centenárias. Ali, existe o conhecido Polo Gastronômico da Praça XV, formado por restaurantes que vão desde os refinados Albamar e Rio Minho, aos moderninhos Sobrado da Cidade, Capitu e Cais do Oriente, sem contar outras dezenas de bares e restaurantes que já vivem cheios.

Na região, os trechos mais comerciais das ruas do Rosário, Ouvidor e Mercado são fechados a automóveis e têm suas icônicas mesinhas de madeira dispostas pelas ruas, à sombra dos toldos móveis dos sobrados do século XIX; é comum sentar numa delas e tomar um chopinho ou uma cervejinha gelada enquanto curte-se um torresmo ou um bolinho de bacalhau ou de costela, ao som do samba ao vivo. 

Com informações do jornal O Dia.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Igreja no Centro que sofreu bombardeio no século XIX reabre em maio

Advertisement
lapa dos mercadores 2024 Igreja no Centro que sofreu bombardeio no século XIX reabre em maio
Advertisement

5 COMENTÁRIOS

  1. Passei agora dia 30 de abril e a igreja estava aberta , sai de lá e fui tomar uma cervejinha no bar gengibre , ótima matéria principalmente pela parte da igreja ter sido alvejada na revolta da armada

  2. QUANDO RERABIRÃO A NOSSA SENHORA DA IMACULADA CONCEIÇÃO E BOA MORTE (AV. RIO BRANCO COM RUA DO ROSÁRIO)?

    P.S.: NÃO VEJO AQUI A POSTAGEM SOBRE O MESMO ASSUNTO – FUI CENSURADO?

  3. MUITO BOM.

    MAS, QUANDO IRÃO REABRIR A IGREJA NOSSA SENHORA DA IMACULADA CONCEIÇÃO E BOA MORTE – QUE FICA NA AV. RIO BRANCO COM RUA DO ROSÁRIO – QUE FECHOU NA PANDEMIA E NUNCA MAIS REABRIU??? IGREJA HISTÓRICA ABANDONADA PELO PODER PÚBLICO E PELA SANTA SÉ…QUERIA UMA RESPOSTA…MESMO QUE SEJA: NUNCA.

  4. UMA LUZ SAIU DO FUNDO DA
    CAVERNA.
    O RIO DE JANEIRO; ESTÁ
    VOLTANDO A SER
    CATIPAL INTELECTUAL/CULTURAL DO
    BRASIL; QUE É SUA
    POSIÇÃO DEFATO, E PARA OSFATOS.????????

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui