Reviravolta na questão das aulas na rede privada de ensino do Rio de Janeiro. Um mandado de segurança concedido pelo desembargador Carlos Henrique Chernicharo, do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), na tarde deste domingo (13/09), liberou o retorno das atividades presenciais nas escolas para esta segunda-feira (14/09), anulando, assim, a decisão da última quinta (10/09), que havia proibido a retomada enquanto não houvesse uma vacina e/ou um protocolo comprovadamente eficaz que garantisse a saúde tanto dos alunos quanto dos profissionais que atuam nos colégios.

“Não há como postergar o retorno das atividades laborais da categoria dos professores e afins até que se tenha por erradicado o risco, sob pena de causar dano irreparável aos alunos, pais e professores”, disse o desembargador em sua decisão, que atende a uma solicitação do Sindicato das Empresas de Educação Básica.

Na decisão, vale ressaltar, o desembargador autorizou que os professores que se encontram no chamado “grupo de risco”, devido à idade ou pelo fato de possuir alguma comorbidade, de irem pessoalmente à escola.

Manifestação a favor da volta às aulas

Na manhâ deste domingo, antes da decisão do desembargador, alguns pais, alunos e donos de creches e escolas fizeram um protesto na Praia de Copacabana, Zona Sul do Rio, criticando a não liberação para as aulas serem retomadas.

Manifestação em Copacabana neste domingo (13/09) – Foto: Gabriel Bastos/Futura Press/Estadão Conteúdo

1 COMENTÁRIO

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui