Nova Central de Inteligência do Rio promete mapear carros roubados e clonados através dos radares da cidade

O Disque Denúncia voltará a funcionar todos os dias, 24 horas, e participará diretamente da operação, fornecendo os dados dos atendimentos aos cidadãos

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Foto: Divulgação

A Prefeitura do Rio lançou, nesta terça-feira (04/06), a CIVITAS (Central de Inteligência, Vigilância e Tecnologia de Apoio a Segurança Pública) e fechou uma parceria com o Disque Denúncia para participar do sistema de monitoramento, que tem como objetivo apoiar, com informações, as forças de segurança estaduais e os órgãos municipais. A CIVITAS funcionará dentro do Centro de Operações Rio (COR).

O Disque Denúncia voltará a funcionar todos os dias, 24 horas, e participará diretamente da operação, fornecendo os dados dos atendimentos aos cidadãos. O lançamento foi anunciado em uma entrevista coletiva no COR, com a participação do prefeito Eduardo Paes, do secretário municipal da Casa Civil, Eduardo Cavaliere, do secretário municipal de Ordem Pública, Brenno Carnevale, do chefe executivo do COR, Marcus Belchior, e do diretor-geral do Disque Denúncia, Renato Almeida, além do chefe executivo da CIVITAS, Davi Carreiro. 

A CIVITAS é um projeto tecnológico de monitoramento, para fazer um cerco inteligente, em apoio à segurança pública da cidade, aproveitando toda a experiência e conhecimento técnico do Centro de Operações Rio (COR) e a tradição e credibilidade do Disque Denúncia, um sistema de atendimento com quase 30 anos de existência, que é uma referência para o cidadão fluminense e que participará como uma rede de vigilância comunitária. O sistema da CIVITAS passa a usar imagens de câmeras do COR, da CET-Rio e, futuramente, de empresas de segurança. São utilizados para o monitoramento de veículos 900 radares e 50 câmeras com leitura de placas, que serão capazes de descobrir carros clonados na cidade. 

Advertisement

Disque Denúncia volta a funcionar 24 horas por dia 

Desde 2016, o Disque Denúncia não recebia investimento de um órgão público. O sistema passou a funcionar de segunda a sexta, das 8h às 22h, e sábados até as 17h, o que reduziu o número de denúncias passadas pelo cidadão fluminense. De acordo com o Disque Denúncia, a estimativa é de uma perda de 42% das ligações nesse período de tempo. No total, foram perdidas quase 200 mil ligações de denúncias. O dado é mais grave quando se trata de violência doméstica. Segundo o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, de 2023, cerca de 40% dos casos de violência contra a mulher ocorreram aos domingos e 22% durante a madrugada, períodos em que o Disque Denúncia não estava recebendo chamadas nos últimos anos. 

O investimento da prefeitura é de R$ 7 milhões ao ano para o Disque Denúncia voltar a funcionar 24 horas, sete dias da semana. O número de atendentes quase dobrará. Passa de 19 para 36.  Com isso, não apenas a população da cidade do Rio será beneficiada, mas de todo o Estado, porque o Disque Denúncia atenderá todas as cidades fluminenses, contribuindo com a Polícia Militar.  

O monitoramento 24 horas começa nesta quarta-feira (05/06), a partir das 8h. Os cidadãos que precisarem denunciar suspeitos, casos de vandalismo, violência doméstica e outros crimes podem ligar ou enviar mensagens para os canais tradicionais de atendimento do Disque Denúncia: 

  • Telefone – (21) 2253-1177  
  • Whatsapp Anonimizado – (21) 2253-1177 
  • Aplicativo – Disque Denúncia RJ 
  • Site: disquedenuncia.org.br 

Todos os canais registram as denúncias de forma anônima.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Nova Central de Inteligência do Rio promete mapear carros roubados e clonados através dos radares da cidade
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui