Número de passageiros que utilizam o BRT do Rio mais que dobrou desde a reformulação no sistema

Símbolos da nova era do modal, os primeiros ônibus amarelinhos começaram a rodar em dezembro de 2022

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Foto: Daniel Martins/Diário do Rio

O número de passageiros que utilizam os ônibus do BRT no Rio de Janeiro mais que dobrou desde a requalificação do sistema iniciada em 2021. Segundo dados revelados pelo portal Diário do Transporte, a média diária era de 150 mil. Hoje, está em cerca de 360 mil (pagantes + gratuidade).

Neste sábado (10/12), a Nova Transoeste, que teve no total 59 quilômetros revitalizados, sendo 31 quilômetros de calha do BRT reconstruídos em concreto. O corredor passa a operar com 208 ônibus, dos quais 136 são novos veículos articulados, equipados com tecnologia sustentável. O início da operação dos “amarelinhos” no corredor Transoeste marca a renovação de 100% da frota do BRT em toda a cidade e decreta o fim da era dos veículos azuis.

A renovação, com 427 novos ônibus nos três corredores, representa um aumento de quase três vezes mais ônibus, se comparados aos 120 que atendiam os mesmos corredores em 2020. Após a entrada em operação do corredor Transbrasil, o sistema vai totalizar mais de 600 articulados em operação.

Segundo informou a prefeitura, em 2024, serão entregues as obras de transformação de quatro estações do corredor em terminais: Mato Alto, Pingo D´Água, Curral Falso e Magarça. O investimento ultrapassa R$ 180 milhões. Os quatro novos terminais vão ganhar grandes bicicletários, com 1.500 vagas no total. Eles serão amplos, para maior conforto do usuário.

Advertisement

Leia também

Pedro Paulo cada vez mais certo como vice de Eduardo Paes – Bastidores do Rio

10 coisas que só quem anda de ônibus no RJ vai entender

No final de 2016, o sistema BRT dispunha de cerca de 400 articulados circulando nos três corredores: Transcarioca, Transolímpica e Transoeste e no início de 2021, este número não passava de 120, sendo que a maioria estava em estado extremamente precário. Além disso, 46 estações se encontravam fechadas.

A Prefeitura assumiu a operação do BRT, que estava nas mãos da iniciativa privada. Em março de 2021 ocorreu a intervenção do sistema e, em fevereiro de 2022, foi decretada a caducidade do contrato de concessão, em função do descumprimento por parte dos concessionários de obrigações contratuais de prestação de um serviço de transporte público adequado. A MOBI-Rio, empresa pública municipal, passou a ser responsável pela operação do BRT.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Número de passageiros que utilizam o BRT do Rio mais que dobrou desde a reformulação no sistema

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui