O longo caminho do Fluminense rumo à Glória Eterna

O Fluminense carregou consigo ao longo dos anos a expectativa de conquistar a taça mais cobiçada do continente sul-americano: a Libertadores da América

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp

O Fluminense, clube de tradição e história rica no futebol brasileiro, carregou consigo ao longo dos anos a expectativa de conquistar a taça mais cobiçada do continente sul-americano: a Libertadores da América. Uma espera que se estendeu por décadas e que, em 2023, finalmente conheceu seu desfecho, marcando um capítulo glorioso na trajetória tricolor.

Nos últimos anos, o Fluminense passou por altos e baixos em competições nacionais e internacionais, fato verificado junto à torcida e também nos prognósticos de sites especializados como o Betano. Buscando afirmar-se como uma potência no cenário futebolístico, o desempenho oscilante do time gerou frustrações, mas também alimentou a esperança da torcida, que sempre acreditou na capacidade do clube de superar desafios e alcançar voos mais altos.

Depois de conquistar um bicampeonato do Campeonato Brasileiro em 2010 e 2012, sob a batuta dos técnicos Muricy Ramalho e Abel Braga, respectivamente, no decorrer da década o time apenas conseguiu se destacar em conquistas estaduais. A participação nas competições nacionais evidenciou o mau desempenho do clube que, apesar de protagonizar duelos emocionantes, não conseguiu traduzir em títulos a nível nacional e muito menos a nível internacional. 

E essa era a principal pedra no sapato (ou seria na chuteira?) dos jogadores e torcedores: o título da Libertadores da Amér4ica que insistia em não chegar apesar das 8 particdipações no torneio ao longo da história.  O torneio sul-americano sempre representou um desafio árduo para o Fluminense, com eliminações em fases cruciais que adiavam o sonho da taça.

Advertisement

Leia também

Terminal Gentileza começa a operar para população; veja detalhes

Pedro Paulo cada vez mais certo como vice de Eduardo Paes – Bastidores do Rio

O ano de 2023 marcou um ponto de virada para o Fluminense. Uma mudança estratégica na gestão esportiva, que apostou em talentos promissores da base e a permanência de jogadores-chave como o argentino Cano, Paulo Henrique Ganso, e Johan Arias, além do acréscimo de peso como o craque Marcelo, trouxe estabilidade e consistência ao time. Sob o comando de um técnico visionário, Fernando Diniz, a equipe passou por uma transformação tática que privilegiava o equilíbrio entre defesa e ataque, além de valorizar a posse de bola.

Depois de conquistar o campeonato carioca sobre o rival Flamengo, a campanha na Libertadores de 2023 refletiu essa evolução. O Fluminense superou adversários difíceis nas fases iniciais, como o River Plate e o Argentino Juniors demonstrando um futebol sólido e envolvente. A cada partida, a confiança da torcida crescia, alimentando a esperança de que, finalmente, o tão sonhado título estava ao alcance.

A trajetória na competição foi marcada por atuações memoráveis de jogadores que se tornaram verdadeiros ídolos da torcida. A defesa consistente, o meio-campo criativo e o ataque letal formaram uma sinergia que impulsionou o Fluminense rumo às fases decisivas da Libertadores. O espírito coletivo, aliado ao talento individual, transformou o time em uma força imparável. Foi assim que o Fluzão passou pelo Olimpia e Internacional, times com tradição no torneio.

Na tão aguardada final, o Fluminense encontrou um adversário à altura, o Boca Junios, mas a determinação e a fome de glória da equipe tricolor se sobressaíram. O jogo foi um espetáculo de emoções, mas finalmente havia chegado a vez do Fluminense! Em um jogo dramático, com direito a prorrogação e expulsões, o clube finalmente entrou para a seleta lista de campeões da Conmebol Libertadores. John Kennedy foi o herói da conquista ao marcar o gol da vitória por 2 a 1 sobre o Boca Juniors.

No apito final, a torcida explodiu em celebração, e os jogadores, exaustos, mas radiantes, ergueram a taça da Libertadores da América pela primeira vez na história do clube.

A espera havia chegado ao fim, e o Fluminense, com sua conquista inédita, inscreveu seu nome no panteão dos grandes campeões continentais. A longa jornada, marcada por desafios e superações, tornou a vitória ainda mais doce e significativa.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp O longo caminho do Fluminense rumo à Glória Eterna

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui