Foto: Divulgação

Nesta segunda-feira (23/08), a partir das 10h, a Comissão de Cultura da Câmara do Rio vai realizar uma audiência pública virtual com o tema “Patrimônio Histórico Cultural Palácio Gustavo Capanema”. A reunião foi motivada pela notícia de que o icônico prédio de 16 andares no Centro do Rio poderia ser vendido pela União em um leilão este ano, o que provocou uma série de reações da sociedade, arquitetos, urbanistas, entidades e de parentes de seus idealizadores. A audiência pública será transmitida pelo canal do Youtube da Rio TV Câmara.

O Palácio Gustavo Capanema teve a sua construção iniciada na década de 30 e foi inaugurado no ano de 1945 pelo então presidente Getúlio Vargas. Um marco da arquitetura moderna, ele foi concebido por nomes como Lucio Costa, Oscar Niemeyer, Affonso Eduardo Reidy, Jorge Machado Moreira, Ernani Vasconcellos e Carlos Leão. A supervisão coube ao franco-suíço Le Corbusier.

Além disso, o prédio contém murais e desenhos de azulejos de Candido Portinari, esculturas de Celso Antônio, Bruno Giorgi e Jacques Lipchitz. Há ainda os belos e inovadores jardins suspensos de Burle Marx. Icônico, o Palácio Gustavo Capanema já abrigou o antigo Ministério de Educação e Saúde.

Para o presidente da Comissão de Cultura, o vereador Reimont (PT), o Palácio Gustavo Capanema não pode ser vendido porque ele é um marco na história, na cultura e na memória não só da cidade do Rio de Janeiro, mas também do Brasil.

O Palácio é uma construção histórica que está no período final de sua restauração feita pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, pelo Iphan. É bom a gente se lembrar que estiveram envolvidos na sua construção nomes que nós jamais poderemos esquecer da nossa arquitetura como Niemeyer, Lucio Costa e tantos outros. E também nós não podemos esquecer que o Palácio Capanema, desde 1996, está colocado numa lista internacional de nomes para receber o tombamento como patrimônio histórico da humanidade”, ressaltou o parlamentar.

Entre os convidados da audiência pública estão o presidente da Comissão de Cultura da Alerj, o deputado estadual Eliomar Coelho (PSOL); a presidente do Instituto Rio Patrimônio da Humanidade, Laura Di Blasi; o representante do Iphan, o Superintendente do Iphan, Olav Antonio Schrader; a representante da Associação dos Servidores da Funarte, Maria Emília Nascimento; a representante da Associação Juízes para a Democracia (AJD), Cristiane de Faria Cordeiro; o conselheiro do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Rio de Janeiro (CAU-RJ); e uma representante da família Capanema, Maria Eduarda Capanema Guerra.

Alerj e Governo do Estado do Rio podem comprar o Palácio Capanema

De acordo com a coluna de Ancelmo Gois, em O Globo, o governador do estado do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, se reuniu com o presidente da Alerj, André Ceciliano, para falar sobre a venda do Palácio Capanema, que pertence à União. Os chefes dos poderes executivo e legislativo consideram fazer uma proposta e comprar o imóvel do governo federal.

Ainda segundo a coluna, o governo do Rio e a Assembleia comprariam este patrimônio da arquitetura brasileira, cada um desembolsando 50% do valor do Capanema. A ideia é devolver o prédio para a Funarte, a Biblioteca Nacional e outros órgãos culturais.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui