Policiais e agentes municipais impedem realização da Feira de Acari neste domingo

Prefeitura do Rio e Governo do Estado atuaram na repressão à feira, que está oficialmente proibida desde a última terça (23/01)

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Guardas municipais atuando na região da Feira de Acari - Foto: Divulgação/Seop

A Prefeitura do Rio de Janeiro e o Governo do Estado realizaram, neste domingo (28/01), uma operação de ordenamento para garantir o cumprimento do decreto municipal publicado na última terça-feira (23/01) que proibiu o funcionamento da Feira de Acari, na Zona Norte da capital fluminense.

Na ação, a Secretaria de Ordem Pública (Seop) e a Guarda Municipal atuaram com 160 agentes para impedir a realização da feira e coibindo outras irregularidades existentes na região, como estacionamento irregular.

A Polícia Militar, por sua vez, empregou agentes do 9º BPM (Rocha Miranda), 41º BPM (Irajá), Batalhão de Policiamento em Vias Expressas (BPVE) e do Batalhão de Polícia de Choque (BPChq) para garantir a segurança dos agentes municipais, uma vez que a região sofre influência do crime organizado armado, mantendo, assim, a estabilidade durante os trabalhos.

”A operação que nós fizemos hoje em Acari é uma ocupação preventiva do local onde costuma funcionar a feira, que é proibida, que é ilegal. Uma ocupação indevida do espaço público e que a Seop, através do seu núcleo de inteligência, mapeou inclusive vendas de produtos, oriundos de roubo de cargas, enfim, fato esse já dividido com a polícia. Então nós ocupamos aqui desde cedo, na madrugada, e vamos continuar durante o dia todo justamente para que a feira não aconteça, fazendo assim cumprir o decreto do prefeito Eduardo Paes que proibiu a feira”, diz o secretário de Ordem Pública, Brenno Carnevale.

Advertisement

Leia também

TransBrasil inicia operações neste sábado, da Penha ao Terminal Gentileza

Leblon tem o condomínio mais caro do Brasil

Durante a operação, os agentes da Seop demoliram duas estruturas fixas com cobertura que ocupavam a calçada irregularmente e mais sete estruturas precárias que serviam como moradia embaixo do viaduto. Duas notificações foram feitas em um trailer, com banheiro, e um depósito de gelo, todos localizados no passeio público, obstruindo a via.

Também foram cortadas seis ligações clandestinas de luz e uma de água. A equipe desativou quatro câmeras de vigilância do crime organizado, além de 14 tomadas desfeitas e duas centrais de comando.

Foram retirados cerca de 200 metros de fios e cabos que estavam sendo usados para furto de energia elétrica. Ao todo, cinco veículos foram removidos, sendo duas motos por circularem na passarela do metrô Acari-Fazenda Botafogo. Um condutor, que estava alcoolizado e desacatou os agentes, foi encaminhado à 39ª Delegacia Policial.

Paralelamente, um homem foi preso, por policiais, por estar com moto roubada e um outro cidadão foi detido por evadir do sistema com mandado de prisão por tráfico e roubo. Agentes da Comlurb retiraram três toneladas de resíduos.

”Nessa ação podemos destacar três importantes fatores do processo de melhoria da segurança pública em nosso estado: integração dos órgãos públicos, ordenamento e repressão ao roubo de carga”, destacou o secretário estadual de Polícia Militar, coronel Luiz Henrique Pires.

Cerca de 50 policiais civis também participaram da ação, entre agentes de distritais, de delegacias especializadas e peritos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli.

”É importante ratificar a integração entre as instituições, a parceria do Governo do Estado com a Prefeitura com o objetivo de controlar, prevenir e fiscalizar qualquer tipo de ilegalidade. A Polícia Civil possui investigações em andamento para apurar a origem das mercadorias, bem como a relação do comércio local com organizações criminosas, para identificar e responsabilizar os envolvidos”, ressaltou o secretário de Polícia Civil do RJ, delegado Marcus Amim.

Vale ressaltar que a Guarda Municipal utilizou na operação os mais de 700 coletes à prova de bala que foram entregues à corporação na última semana.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Policiais e agentes municipais impedem realização da Feira de Acari neste domingo

Advertisement

2 COMENTÁRIOS

  1. Acabar com a feira de ACARI e mole passa o tempo e ela volta como nada tive se acontecido ,como das outras vezes que foi feito o mesmo . Mais acabar uma e deixar outras duas e o mesmo que malhar em ferro frio .Porque deixar a feira de Hónorio Gurgel e a da Pavuna que são filiais da de Acari isso e serviço de porco acabem as outras duas que ai sim fica tudo bonito , isso foi só uma ideia para o Prefeito DDUZINHO PAES PASPALHO e o seu Secretario de ordem publica BRENO CARNAVAL que e delegado e deveria saber disso que falei .

  2. O Rio de Janeiro tem que se separar do Brasil.
    Não podemos, e não devemos, mais sustentar o Brasil com os nossos lucros do petróleo e gás. Chega de vermos municípios de outros estados que se beneficiam com os lucros bilionários do nosso petróleo e gás (como SP, MG e Sul do Brasil) mais que os nossos municípios, nosso estado e nossa população fluminense.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui