Prefeito do Rio denuncia extorsão por parte do crime organizado para liberar as obras do Parque Piedade

O grupo criminoso teria exigido um pagamento de R$ 500 mil à empresa, ameaçando interromper o andamento das obras caso a quantia não fosse paga

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Antigo campus da Universidade Gama Filho, em Piedade - Foto: Beth Santos/Prefeitura do Rio

O Prefeito do Rio, Eduardo Paes (PSD), usou suas redes sociais, na tarde desta terça-feira (09/01), para expor uma ação de extorsão cometida pelo crime organizado contra a empreiteira encarregada das obras do Parque Piedade, na Zona Norte do Rio. O grupo criminoso teria exigido um pagamento de R$ 500 mil à empresa, ameaçando interromper o andamento das obras caso a quantia não fosse paga.

Eduardo Paes relatou a denúncia ao Secretário Executivo do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Cappelli, e à Polícia Federal, por meio de uma publicação no no X, antigo Twitter.

Ricardo Capelli, por sua vez, respondeu à denúncia, mencionando que a pasta tem recebido relatos semelhantes de outros Prefeitos do Estado do Rio do Janeiro. Ele classificou o fato como uma ação do “estado paralelo” e prometeu uma medida assertiva contra esses criminosos.

Advertisement

Leia também

G20: Rio vai mobilizar 150 agentes de apoio para reunião dos Chanceleres na Marina da Glória

Políticos têm dificuldades para confiar em Eduardo Paes – Bastidores do Rio

A Secretaria de Ordem Pública (SEOP), em nota ao DIÁRIO DO RIO, comunicou que o Secretário de Ordem Pública, Brenno Carnevale, foi instruído por Eduardo Paes a relatar às autoridades de segurança a informação sobre a suposta demanda de valores pelo crime organizado à empresa encarregada das obras do Parque Piedade, ameaçando interromper os trabalhos. “A Prefeitura do Rio e a SEOP reforçam que não toleram esse tipo de atitude e não medirão esforços para auxiliar na investigação.”

Obras do Parque Piedade

As obras do Parque Piedade tiveram início em setembro do ano de 2023, com a demolição de dois prédios que pertenciam ao antigo Colégio Piedade, ocupando uma área de aproximadamente 18 mil metros quadrados, onde antes situava-se o campus da Universidade Gama Filho. O terreno estava abandonado desde 2014, após a falência da instituição.

Os investimentos da Prefeitura do Rio com a obra são de cerca de R$ 58 milhões e o prazo para a conclusão das obras é de 15 meses. A desapropriação dos prédios foi calculada em R$ 47 milhões que foram depositados em juízo.

O projeto, que está sob responsabilidade da Secretaria Municipal de Infraestrutura, em parceria com a Fecomércio RJ, contemplará um espaço para feiras e eventos, com horta urbana, parcão, academia e campo de futebol serão construídos para os frequentadores. E além disso, contará com pista de skate, parque infantil, uma área juvenil com aparelhos de ginástica e parque aquático com cachoeira artificial. A inspiração é o Parque Madureira.

Seu entorno também será requalificado, por meio de reurbanização, com obras de pavimentação, sinalização, iluminação, paisagismo, rampa de acessibilidade e ciclovia na Rua Manoel Vitorino. A Rua da Capela, onde está situada a Capela Nossa Senhora da Piedade, tombada pelo Instituto Rio Patrimônio da Humanidade (IRPH) por sua importância arquitetônica, histórica e cultural, também será contemplada com melhorias de urbanização.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Prefeito do Rio denuncia extorsão por parte do crime organizado para liberar as obras do Parque Piedade

Advertisement

6 COMENTÁRIOS

  1. O futuro desse parque do prefeito vai ser o futuro dos bandidos que farão cancelas e porteiros cobrando uma grana para as pessoas usarem o local . Espero que isso não aconteça pois governo do estado e zero em segurança e prefeito só pensa em aparecer e sonha em ser governador pois o que temos e uma mosca morta .

  2. Triste comentário sobre legados. Só para constar, a Gama Filho fechou em 2014 e até onde constam registros o governo anti-horário da época não fez nada para manter ou colocar outro mantenedor na instituição. Parece que na época estavam brincando com cortinas de fumaça e contabilidade criativa, gerando uma recessão cujos efeitos ainda temos hoje para reparar.

  3. O nome do “crime organizado” se chama MILÍCIA.

    O motivo de não ter sido mencionado a polícia militar é pq essa organização criminosa é a MILÍCIA.

    Pobre do RJ, um estado miliciano.

  4. Estamos abandonados pela policia. Piedade e Quintino entregues ao crime. Onde está a policia de Claudio Castro!? Talvez agora que acionaram a PF algo se resolva. Incompetência pura do Governo do Estaso

    • Depois que o Bolsonaro liberou geral com os CAC e todo o furduncio de compra de armas, o trabalho da milícia nunca foi tão fácil.

      Basta estacionar uma Hilux em frente ao canteiro de obras com um bandido treinando pelo quartel ou o BOPE na caçamba apontando uma AR 15 que a obra para.

      Pra verem que estão falando sério, uma rajada pra cima faz qualquer peão nunca mais voltar ali.

      Legados de governo de direita: universidade no chão e milícia fazendo arapongaguem.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui