Fachada da estação: pichações, sujeira e ferrugem no prédio tombado pelo patrimônio Foto: Brenno Carvalho / Agência O Globo

Ricardo Lafayette, presidente da Associação Fluminense de Preservação Ferroviária (AFPF), não gostou nem um pouco da ideia apresentada pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro de transformar o prédio da antiga Estação Leopoldina em um mercado público, nos moldes de mercados espanhóis.

Para Lafayette: “Essa ideia de transformar a Estação da Leopoldina em Hipermercado é mais um tapa na cara do carioca e ideia de quem não entende nada de nada de ferrovia, e talvez até da história da Cidade e do icônico prédio Barão de Mauá. Como pode o Rio de Janeiro, por mais de um quarto de século, dar as costas para a segunda estação ferroviária da Cidade? Um crime”.

A decisão o Governo do Estado foi tomada um mês depois de o juiz Paulo André Espirito Santo, da 20ª Vara Federal do Rio, condenar a concessionária SuperVia, bem como a Companhia Estadual de Transportes e Logística (Central) e a União a reparar os danos causados à estação.

Sem planos para utilizar o espaço, novamente, como estação de trens, a Secretaria estadual de Infraestrutura (Seinfra) foi encarregada pelo governador Cláudio Castro de detalhar o projeto do mercado. A ideia é inspirada nos mercados públicos como o La Boqueria, em Barcelona, com mais de 2.500 metros quadrados, que virou atração turística.

Atualmente, a Leopoldina está com janelas quebradas, fachada pichada e restos de telas de obras iniciadas e não acabadas. O estado da estação, com seus quatro andares, de frente para a Rua Francisco Bicalho, no Centro da Cidade do Rio, é de total degradação.

5 COMENTÁRIOS

  1. Ótima a sugestão proposta. O senhor que, de modo açodado, intempestivo se declara contra o reaproveitamento do histórico e degradado espaço, este, sim, é que dá “mais um tapa na cara do carioca”

  2. Também não vejo nenhum problema na readequação do espaço.
    Aliás, tem tudo a ver: pela localização, logística e apelo arquitetônico e histórico. Tem tudo pra ser o nosso Mercado Municipal aos moldes dos grandes mercados públicos que já existem em outras cidades do Brasil e do exterior.
    Que o projeto ganhe força!

  3. Se este indivíduo não concorda que a antiga estação vire um mercado (o que seria uma solução mega interessante para o cenário atual), que apresente uma solução rápida e eficiente para o que fazer com este espaço. Aliás, é impressionante como tem indivíduos que vivem como ditado: “não fodem e nem saem de cima”.

    O Rio é um local degradado, mal cheiroso, perigoso, decadente e bizarro. Boas ideias como estas são super bem vindas. O que não precisamos é de gente chucra ideológica e atrasada, pra atrapalhar.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui