Quintino: O Carioca quer Ordem e Silêncio! Quer andar nas ruas e ter sossego!

A ordem pública vem sendo ignorada pela atual administração, que tem bilhões em caixa. Subestimar esta pauta pode ser um tiro no pé pro atual prefeito, na hora de uma reeleição

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Camelôs dominam as ruas do centro do Rio | Foto: Rafa Pereira - Diário do Rio

Tanto já falamos aqui sobre o caos que anda a cidade do Rio. Será que colocar exclamação na manchete adianta? Resolvi testar. O prefeito Eduardo Paes não pegou um bom negócio quando assumiu a Prefeitura do Rio em 2021, conseguiu resolver vários pepinos no orçamento municipal, e vem dando sinais de recuperação na conservação e até nos transportes, apesar de que o resultado vai demorar a ser sentido. Na conservação o dilema é: dá pra consertar mais rápido do que os vândalos destroem?

Verdade que esta administração tem várias conquistas e é inegável, Paes ama o Rio. Mas isso não vem bastando e ele precisa passar a agir mais forte para devolver as ruas e o sossego ao carioca. Agir com a mesma animação, alegria e envolvimento com que colabora com a campanha presidencial de seu candidato ajudaria bastante.

A Prefeitura do Rio tem um bom secretário de Ordem Pública, Breno Carnevalle, que tem lutado contra os ferros velhos ilegais, construções ilegais das milícias e tantas outras frentes, mas principalmente na Zona Oeste. São lutas árduas e longas, mas parece que vem esquecendo o arroz com feijão de uma cidade, a camelotagem ilegal que emporcalha a cidade e destrói o comércio formal, a imundície causada pela mendicância que flerta com o crime, o cuidado com o patrimônio público que a Conservação gasta milhões de reais por mês para manter e o sossego do cidadão.

Advertisement

Eu e outros colunistas do DIÁRIO DO RIO já denunciamos aqui como a cidade está invadida de camelôs, como a Uruguaiana virou um verdadeiro mercado andino, como bancas de jornal vendem de tudo menos jornal, ou não vendem nada e se tornaram ruínas a céu aberto com fedor de urina. Andar por alguns pontos da cidade se tornou impossível, e não dá mais para culpar Marcelo Crivella; neste momento é exclusivamente culpa da gestão Paes e de seus subprefeitos. Crivella abriu a porteira para a desordem mas é Paes que não quer fechá-la. Talvez a vontade de serem candidtos em 2024 faz com que não queiram uma ação mais forte contra a desordem, sabe como é, pode tirar votos; ainda mais quando o eleitorado que Paes resolveu abraçar neste momento é o que menos se incomoda com a desordem. Ao menos aquela que fica longe da casa deles.

Outro problema que só faz aumentar são os bares que insistem em música ao vivo, ou mesmo mecânica, para atrair clientes, sem qualquer infraestrutura para isso . Se tiver acústica, ou em locais exclusivamente comerciais, perfeito, o Rio de Janeiro é uma cidade turística e todos gostam de uma boa música, que atraia turistas. Mas locais abertos, sem um mínimo tratamento de som, com música às alturas? E a Prefeitura não fazer nada em áreas residenciais?

Esse problema está na Orla, em Jacarepaguá, na Zona Norte, Oeste, qualquer região do Rio da mais pobre a mais rica sofre com quiosque, bares, restaurantes, botequins, que insistem em som para aumentar seus lucros, nem que seja varando a madrugada. Quem paga? O sossego do carioca, afinal, isso acontece à noite e no fim de semana. E coitado de quem quer descansar, é obrigado a colocar janelas anti-ruído ou comprar protetores auriculares. A solução para uma cidade que dá cada vez menos atenção aos seus cidadãos. O caso do ’Bar Vizinhando’ e do ‘Bossa’ na Domingos Ferreira em Copacabana é emblemático. Leva tanta gente à loucura que outro dia um maluco celerado atirou azulejos cortantes em cima dos frequentadores do bar. Tanto a Domingos Ferreira como a Aires Saldanha, em Copacabana, vão acabar assistindo uma tragédia se o Município continuar deixando correr solto. E estamos falando de um Município com bilhões em caixa: o que não faz…não faz porque não quer.

Que Paes não se engane; se nada for feito, o eleitor vai procurar em 2024 quem prometa combater estes excessos, e já está procurando outro candidato. Não se assuste nosso ‘ex-ex’ se o senador Carlos Portinho (PL), pré-candidato a prefeito pela direita, começar com um discurso de Ordem Urbana que o leve a crescer nas pesquisas e ameaçar o que poderia ser uma reeleição muito fácil do atual alcaide. É fato notório o crescimento dos setores mais conservadores em todo o país, e quem subestimar isso e continuar acreditando em ipecismos e datafolhismos pode estar dando um tiro no próprio pé. A pauta da ordem pública, dentro daquela história que ’prefeito é síndico’, é a maior manifestação possível do conservadorismo e da “direita” na política local. Na cidade, do jeito que está, observa-se esta pauta em claro crescimento, até porque nem o ’esquerdista’ gosta de um quiosque aos berros, sem acústica, na porta de sua casa.

É melhor e é salutar ver Paes acordar para os cariocas, antes que nós, como povo, cansemos dele. Afinal, ele pode até amar o Rio, mas nós também queremos continuar amando. Um amigo e eleitor poderia dizer: Dudu, ponha suas barbas de molho.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Quintino: O Carioca quer Ordem e Silêncio! Quer andar nas ruas e ter sossego!
Advertisement

13 COMENTÁRIOS

  1. 1746 não funciona e fazer abaixo assinado também não adianta e tampouco associação de moradores é só no nome, ,agora lógico que tem que ter fiscalização tem vez que as mesas e cadeiras em cima da calçada e quase fui atropelado pois tive que andar na rua e a ganância continua solta e a muita vista grossa e que se dane o sono dos outro o negócio é faturar infelizmente.

  2. Não adianta reclamar, pois esse cara não vou falar o nome o negócio dele é dinheiro em caixa e que se dane o povo carioca sofrendo constantemente com moradores de rua fazendo suas necessidades nas ruas em todos os lugares e vai chegando a um nível de podridão e infecções que podemos pegar pois não temos mais bancos para sentar pois o sr prefeito tirou tudo veja nos arcos da lapa,todos tem que ficar em pé, outra a cidade cheios de menores de idade perambulando pela cidade agora cadê o juizado de menores?outra as praças públicas virou um chiqueiro principalmente a praça Paris já arrancaram os bancos e isso foi a própria prefeitura e não colocaram outros de volta acabaram com os chafariz da praça as estátuas históricas arrancaram tudo das estátuas ,assaltos pelo lado do aterro pois arrancaram as grades eu presenciei isso ,até a cabine da guarda municipal está toda destruída vandalizada pelos moradores de rua pois entram para fazer de tudo eu como frequento lá até nós bancos fizeram necessidades enfim eu até tentei falar com um guarda municipal mas é difícil encontrar eles lá enfim todas as praças estão abandonadas agora quer botar culpa nos camelôs mas quando precisa de votos tá sempre pedindo aparecem prometendo tudo não tenho nada contra e nem quero generalizar mas as lojas tem que reduzir os preços pois não dá pra comprar um tênis por 500 reais né entre outros produtos cobrar é fácil quero ver tirar a banda da cadeira e botar a mão na massa.

  3. Costumo discordar de vários de seus editoriais, mas sou obrigado a concordar em 100% de suas palavras, pois vivo isso em V Isabel. Não bastasse a desordem do “quadrilátero (esquina de Abaeté com Torres Homem)”, vários são os bares menores que colocam caixas de som e até “cantores” com volume altíssimo. E que se danem os.moradores…

    Sobre a mendicância, infelizmente não há muito o que se fazer, pois nossa Constituição “paternalista” dá direitos a eles que atrapalham/impedem seu recolhimento, ainda que seja para abrigos humanizados onde recebem todo tipo de cuidados e atenção.

    Acho que falta ao carioca, antes de mais nada, um pouco de “vergonha na cara” e deixar de frequentar esses lugares. Usar as redes sociais para reclamar do que é errado, apontando os “delinquentes” e usá-las menos para autopromoção. Cabe a nós reclamar, encher o saco do 1746 até tomarem providências. As associações de moradores fazerem seus abaixo-assinados para que se tomem providências. Mas sabe quando isso vai acontecer? NUNCA!!!! Pelo simples fato que boa parte desses que reclamam, vivem seus momentos de lazer, de forma hipócrita, nestes mesmos bares e botecos que apenas os incomoda na hora de seu “soninho de rei/rainha”.

    Fato é que há de se tomar providência oficial antes que os cidadãos de bem tomem suas próprias providências…

    • 1746 não funciona e fazer abaixo assinado também não adianta e tampouco associação de moradores é só no nome, ,agora lógico que tem que ter fiscalização tem vez que as mesas e cadeiras em cima da calçada e quase fui atropelado pois tive que andar na rua e a ganância continua solta e a muita vista grossa e que se dane o sono dos outro o negócio é faturar infelizmente.

  4. O povo votou contra o Crivela é tá vendo o resultado desse prefeito miserável e, agora, tão tentando fazer o mesmo com bolsonaro, só q agora é mais grave; a favor um ex-condenado, corrupto e mentiroso contumaz e, ainda, ficha cagada , o povo gosta de sofrer demais, se esse mérda assumir, acaso não haja uma ruptura por militares, esse país se rornará uma desgraça. Vai fugir quem puder!

  5. já foi desrespeitado…mais de uma vez…na esquina da bolivar c/ constante Ramos leia se Belmonte

    já q. invadiram as calçadas a administração do estabelecimento …deveria…orientar os garçons qto. aos moradores / e demais pessoas se locomovendo…p/ terem um mínimo de respeito

    essa semana foi obrigado a chamar a atenção de um jovem funcionário que quase me atropoleu

    p.s. vazou presenciei na mesma calçada briga de senhora c/ carro de bebê…etc

    e muita ganância…a calçada e muito estreita não comporta mesasfora a falta de preparo dos funcionários.

  6. O carioca está acostumado a querer direitos mas não quer cumprir seus deveres. Enquanto não houver responsabilização e consequências, nada vai mudar.

    O tráfico impõe respeito porque age imediatamente é desproporcionalmente. É fácil de entender as ordens.

    A prefeitura e o estado não precisam apelar pra ilegalidade: apenas não deviam se deixar cair no ridículo e no descrédito: agir rápido com multas, prisões e restrições de direitos a todos que promovem desordem urbana. Assim seria fácil a todos entenderem que se faz A, tem a consequência B.

  7. O Paespalho não fez nenhum milagre com as contas da prefeitura, Quintino, simplesmente deixou de pagar os fornecedores, instituiu um sistema de leilão, onde o credor da Prefeitura que aceitar receber uma fração ínfima da dívida recebe imediatamente, o restante entra numa fila e vai demorar anos pra receber, sem juros e sem correção. Além disso, não pagou o reajuste dos servidores, o que está na LEI, e também tem o governo federal -BOLSONARO – bancando tudo, assumindo dívidas e repassando bilhões pras prefeituras e estados, ora, assim é mole ficar superavitário, não existe nenhum milagre vindo das cabeças pensantes iluminadas da prefeitura. O que precisa perguntar ao Paespalhão é: Quando a prefeitura vai diminuir impostos? Quando vai reduzir a máquina , acabar com secretarias fantasmas e cortar cargos comissionados? Quero ver responderem.

  8. Fim de semana eu tenho que sair de casa por causa de um pagode do inferno que tem perto da minha casa. já começo a semana estressado. passo o dia com protetores auriculares para poder trabalhar. esse prefeito é um canalha vagabundo. nunca vi pior. tenho ódio desse desgraçado mas já defendi e fui eleitor.

  9. 2021 já foi, 2022 está acabando. Espero que o governo Paes possa começar de fato e dar retorno ao carioca, ainda mais neste momento em que dependendo da eleição federal o Rio pode ficar sem pontes politicas com Estado e União por causa de suas escolhas pessoais. Estamos numa aposta de risco.

  10. Olha, Quintino, eu discordo da maioria das suas opiniões mas nessa estou com você. A pauta da ordem pública sempre foi cara aos cariocas, todos os prefeitos foram de certa maneira eleitos aliados a discursos colocar fim a desordem urbana. Só que infelizmente nos últimos anos vemos o crescimento da favelização, das pixações, dos camelôs e dos pequenos delitos e não se faz nada, o Eduardo Paes passa muito tempo culpando terceiros falando que o Rio não recebe mais investimentos, mas isso é só uma desculpa esfarrapada e terceirização de responsabilidade, o trabalho do prefeito até aqui tem sido medíocre. Com as contas públicas organizadas poderia dar uma bela modernizada na nossa guarda municipal investindo em tecnologia que ajude a guarda combatendo todos os pequenos delitos, investindo na desfavelização, aliás essa é uma palavra que precisa voltar para a moda DESFAVELIZAR o Rio de Janeiro, não aguentamos mais!

    Parabéns pelo corajoso editorial.

  11. Falando em carioca querer silêncio … é uma vergonha a quantidade de kombis com caixas de som ciculando pela cidade anunciando qualquer coisa em volumes altíssimos. Uma vergonha

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui