Quintino: Ou o Rio acaba com os ferros-velhos ou eles acabam com o Rio

Ontem foi o portão do Parque Guinle a ser depredado por criminosos instrumentalizados pelos receptadores de mercadoria roubada. As autoridades têm que agir rápido

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Foto: Reprodução

Se há algo que escrevi aqui no DIÁRIO DO RIO que recebeu poucas críticas, foi sobre os ferros-velhos e o mal que andam causando ao estado do Rio de Janeiro. Todos entenderam bem que não foi uma crítica à reciclagem, aos recicladores e à cadeia honesta e produtiva que vive dela. O catador de latinha não necessariamente é o marginal que rouba uma estátua, o “burro sem rabo” que anda pelo subúrbio não rouba fios. Se fosse esse o caso, não precisariam passar por um trabalho que exige tanto fisicamente. Estamos batendo é na cruel instrumentalização dos que passam fome, arregimentados pelos ferros-velhos para destruir e furtar tudo que vêem pela frente.

A verdade é que há um crescente mercado que vive de destruir o patrimônio público e particular. São estátuas que desaparecem, gradis, portões, tudo que possa se imaginar e que possa interessar às centenas de ferros-velhos que tem no Estado; tudo agora é roubado, vilipendiado e acaba comprado por esses criminosos. Não há como prefeituras manterem uma cidade minimamente conservada se além de combater os vândalos, ainda tem de combater bandidos que os instrumentalizam. Isso sem contar o prejuízo causado quando se rouba fios, em uma sociedade tão dependente de internet: corta-se desde o trabalho, estudo e lazer. Sem falar de certos bairros onde quem quer ter telefone fixo não tem porque roubam os cabos; e as ruas todas às escuras? E não vamos falar de casos como o das tubulações de gás que vêm sendo furtadas mesmo em uso!

Parlamentares tentam criar um monte de leis, mas a maioria adianta? São inócuas no nascedouro! Um projeto na Câmara do Rio em setembro obriga os ferros-velhos a ter câmeras de monitoramento 24 horas. Seria ótima idéia, mas se eles sabem que estão cometendo crime, e sabem (ou acham que alguém aparece com uma tampa de bueiro escrito “Cedae” não é roubada), vão se deixar filmar? E sequer este estabelecimento possui licença?

Outra norma da Câmara pretende um cadastro de vendedores e compradores nos ferros-velhos. Chega a ser piada. O caso é tão simples: o tipo de produto que é vendido, a pessoa nem precisa ser genial para saber que é roubado, ou tem origens escusas. Pouca gente aparece para vender um braço de estátua de bronze sem ser ilícito: não é exatamente um item que quase todos têm em casa. Outro dia no Balanço Geral um ferro-velho foi filmado e possuía dezenas de tampas de bueiros. Precisa ter o cérebro inteiro pra saber que é fruto de roubo?

Advertisement

Leia também

Progressistas dividido entre Bolsonarismo, Eduardo Paes e Marcelo Queiroz – Bastidores do Rio

Custas judiciais aumentaram 45% no estado do Rio de Janeiro nos últimos dois anos

Talvez a única idéia que possa gerar algum resultado é do vereador Dr. João Ricardo (PSC) que quer proíbir a concessão de alvarás de funcionamento para “ferros-velhos” em regiões residenciais ou comerciais, restringindo o funcionamento dos Recicladores às áreas industriais. Só isso já ajudaria acabar com a renda daquele pequeno bandido, especialmente usuário de drogas altamente destrutivas, como o crack, que comete estes atos para sustentar seu vício, instrumentalizado pela mente criminosa do dono do estabelecimento que compra materiais obviamente roubados.

Todavia, ainda temos o caso da Kombi que circula por toda a cidade com um alto-falante gritando: “compro fogão velho – compro grade velha – compro panela velha”. O receptador delivery, apelidado pelas populações de Vila Isabel e Copacabana de “eu compro o que você rouba”. Esse nem tem alvará pra prefeitura cassar e opera sob as barbas das nossas autoridades ineficientes.

O porta-voz da Associação dos Recicladores, Michel Assef Filho, deu uma entrevista ao DIÁRIO DO RIO, onde tentou esclarecer a situação dos cabos e outros materiais furtados e vendidos em ferros-velhos. Não conseguiu. Ele defendeu a necessidade do setor existir, o que é inegável: mas descartar o cancelamento dos alvarás dos ferros-velhos em áreas residenciais, pelo jeito que funciona a hoje essa “cadeia” de reciclagem (duplo sentido) mostra que não querem resolver o problema mais grave que nos aflige: a receptação. A Associação também foge de abordar o problema de constante roubo de cabos, canos, grades, etc, e diz que o problema é social… verdade, é, mas se são eles os receptadores, algo se pode fazer. Basta parar de comprar o que qualquer idiota sabe que é roubado! Para piorar, tentou sair pela tangente quando perguntado sobre os ferros-velhos fechados pelo Poder Público, quando disse:

"Não há qualquer informação de reciclador que tenha sido condenado por qualquer prática ilegal originada da recente operação policial. Mas caso a Associação obtenha tal informação, imediatamente tomará providência. Portanto, não há comprovadamente a atuação irregular ou ilegal destes recicladores".

Ou seja, a depender da própria indústria, o problema ficará longe, muito longe de ser solucionado: e muito perto da casa da gente e do cracudo instrumentalizado para destruir nosso patrimônio. Quem participa de grupos sobre história do Rio, está cansado, exausto, exaurido de ver mais e mais patrimônio histórico, alguns recém-reformados, destruídos por bandidos. Ontem foi o portão do Parque Guinle a ser depredado por criminosos. E isso continuará, a não ser que as ações das prefeituras e do Governo do Estado sejam efetivamente duras e comecem a bater mais forte nos ferros-velhos que atuam criminosamente. Ou se acaba com estes ferros-velhos, ou eles vão acabar com o Rio, com nossa história, com nossa cultura e até com nosso acesso à internet.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Quintino: Ou o Rio acaba com os ferros-velhos ou eles acabam com o Rio

Advertisement

57 COMENTÁRIOS

  1. Bom dia ! Eu trabalho com comercio de reciclaveis a anos ! Não li toda sua escrita pq entendo sua revolta! Nao estou aqui pra ser contra e nem a favor! O unico motivo deu estar comentando é pq, tem 1 lei que vaientrar em vigor se nao me engano mes que vem ! Gosto de estar co forme o procedimento e estar cumprindo as leis ! Porém, não estamos tendo nenhum auxílio sobre esse assunto ! Eu (partivurlarmente fiz varias pesquisas nas redes sociais , nao obtive sucesso algum ! Ja que teve um argumento sobre o meu ramo de atividade ! Gostaria tbm que desse alguma solução pra quem alem da mim emprega algumas pessoas ! Para que nós possamos fazer tudo conforme a lei manda ! Ate o momento estamos sendo cobrado e sem saber como ou a quem recorrer ! (Ajuda)

  2. Em algumas cidades europeias simplesmente a reciclagem é municipal. São centros de reciclagem municipais onde as pessoas levam seus materiais para simples descarte ou onde o material é vendido. Simples assim. Não existem aterros sanitários ? Por que a prefeitura e o Estado do RJ não podem ter um único centro de reciclagem inclusive para auferir receitas com o descarte seletivo ? E nessa toada óbvio encerramento de todo e qualquer tipo de atividades de ferros-velhos e desmanches paralelos.

  3. “Dia 14 de Janeiro foi o portão do Parque Guinle a ser depredado por criminosos instrumentalizados pelos receptadores de mercadoria roubada. As autoridades têm que agir rápido.”

    Quanta incompetência desta prefeitura do Rio de Janeiro, que não se digna a acabar de vez com estes ferros-velhos, negócios sabidamente de ladrões que recebem mercadorias roubadas. Quem compra mercadoria roubada também é ladrão…

    Quando é que o Eduardo Paes vai acabar com esta sacanagem ?

    Quando já não houver mais um monumento em pé nesta pobre cidade ?

    A Alerj mudou de prédio (gastou-se uma nota preta com isso), mas a atuação destes meliantes e quadrilheiros políticos cariocas continua a mesma – estes políticos embusteiros são todos completamente ineficazes e burros, além de habituais ladrões…

    É muita desgraça junta para uma só cidade !!!

  4. A matéria é muito boa. Parabéns! Pena que tem muito interesse na manutenção do problema que se arrasta há décadas: gente vinculada a governo e segurança que ganha pra fazer vista grossa e muito “empresário” que mora em casas de luxo explorando a miséria de ladrões de sucata que vivem de tostões para comprar o pouco crack e comida. sem interesse na quebra dessa cadeia maldita, jamais teremos solução.

  5. Acho Incrível , O Rio De Janeiro Precisa De Outras Propriedades, Nas Escolas, Hospitais, Postos De Saúde Super Lotados. E o Governo Preocupado Com Ferros- Velhos E Isso Mesmo Brasil….

    • André Fonseca, uma coisa não exclui a outra, o senhor é alienado? Ou tem problemas mentais? O Rio está passando por uma onda de assaltos a portões, grades, bombas d’água, janelas…tudo está sendo levado por esses crackudos que vivem nas ruas assaltando para comprarem drogas, na minha rua não tem mais uma casa que não tenha sido furtada. E Não somente de propriedade particular, mas estão levando tampas de bueiros, tampas de gás, água, net, tudo que é de ferro e está pregado nas calçadas e ruas, pessoas e carros estão caindo nesses buracos todos os dias. Se isso não preocupa o senhor, é por que deve viver no mundo da Lua, só pode.

  6. Acho Incrível , O Rio De Janeiro Precisa De Outras Propriedades, Na Saúde Tá Faltando, Nas Escolas, Hospitais, Postos De Saúde Super Lotados. E o Governo Preocupado Com Ferros- Velhos E Isso Mesmo Brasil….

  7. Tem que fazer batidas regulares nos ferros-velhos. Cortar o custo-benefício deles. Botar na cadeia. Ou fazer pagar o prejuízo. Só vai funcionar quando não valer a pena pro receptador. O cracudo tá doidão, desesperado, coitado.

  8. iso é maior preconçeito com agente da craçe mais umilde a gente de pende do ferro velho para sobre viver ele fala iso porque ele tem dinheiro ganha bem tem um bom emprego poxa é triste ovi isto

  9. Falar que o problema da situação são os ferros velhos é o mesmo que culpar o carro por atropelar pessoas com um motorista bêbado. Vivemos em uma cidade de bárbaros, ladrões e vândalos.

    • Exatamente. O ferro-velho em si não é o problema, mas o ladrão principalmente. O que não quer dizer que não se deva dar uma prensada nesses estabelecimentos.

    • Errado, uma coisa não exclui a outra, os ferros-velhos fazem a receptação, isso é básico em investigação criminal, se não tiver quem compre os furtos virtualmente acabam, mas tem que combater em todas as frentes, procure estudar o que a polícia de NY fez com a “Tolerância Zero”. Não tem nada a ver com cuspir no chão, jogar guimbas de cigarro ou papel de bala na rua, tolerância zero é combater o pequeno furto que pode virar um grande crime; exemplo, carrocinhas de vendas nas praças de NY escondiam drogas e armas que seriam usadas em assaltos, então não é só combater ´so os marginais, mas toda cadeia de quem apoia e fomenta o crime. O estudo conluiu que os pequenos criminosos , com o tempo, se tornam os grandes traficantes e criminosos de alta periculosidade. Tem q estudar.

  10. Não se pode frigir os ovos sem quebra-los, é necessária ação enérgica do estado para coibir todos os abusos noticiados, ou o futuro de todos envolvidos será incerto!

  11. Acho desumano as pessoas só observarem o problema isoladamente sem fazer minimamente uma análise mais complexa. O porquê nos últimos anos essas práticas vem aumentando? Mas não, o negócio é fechar os ferro-velho sem se quer pensar em uma compensação a essas pessoas tão sofridas pela falta de comida; pela falta de moradia; pela falta de emprego; pela falta de tratamento pelo vício etc. É a mesma coisa que “varrer a poeira para debaixo do tapete”. Esse discurso parece bem reacionário.

  12. Ótima matéria, parabéns!!! Realmente o problema já chegou a um ponto muito crítico, os crackudos estão destruindo tudo, não só o patrimônio histórico, estão acabando com a infraestrutura urbana, desde a zona sul até a zona norte, o quê percebemos é que o grande mal chama-se CRACK. A polícia deveria mirar na venda desta droga, sufocar os caras que ficam nas ruas vendendo, não são todas as favelas que vendem esta droga maldita, pense numa situação: Você fecha os ferros velhos, mas, o crack está ali na praça, o cracudo vai trocar um crime por outro para obter a droga, arcar uma senhora idosa, uma gestante, uma criança, enfim, a idéia de fechar ferros velhos também é importante, mas, o combate ao Crack também é.

    • O inverso poderia ser feita quanto ao tráfico de drogas. Se a justiça fizesse alguma coisa com relação ao usuário, como internação compulsória ou mesmo responsabilizar criminalmente, iria sufocar o tráfico, afinal, o dinheiro usado por eles para comprar armas e corromper policiais vem de quem usa droga. Se não tiver usuário de drogas não haverá tráfico. Mas sempre que se fala nisso vem logo essas ONGs defendendo a liberação da venda, como se isso não fosse piorar o problema, principalmente para as famílias dos usuários.

  13. Precisam regularizar os ferro velhos, além do mais precisa haver um hábito incansável de “batidas” policiais para analisar os materiais comprados. Ao meu ver, isso se configura como formação de quadrilha e interceptação de produtos roubados, por parte dos proprietários dos estabelecimentos.

  14. Vivemos, precarização do trabalho no Brasil porém não justifica o que estamos vivenciando no Rio de Janeiro. Pessoas inescrupulosas utilizando os viciados como mula para roubar, dá noite para o dia surgindo em cada canto um novo ferro velho. Um absurdo!favorecendo roubos de bueiros fios colocando em risco a vida de milhares de idosos crianças, trabalhadores. Economia sendo prejudicada um retrocesso no estado. Cada dia mais usuários de crack a serviço desses exploradores.verba q poderia esta sendo investida em saúde e educação sendo jogada fora.

  15. Existem no Rio de Janeiro, grandes depósitos de sucatas. Muitos só trabalham com sucatas de ferro, tais como vigas, vergalhões de desmonte de prédios, trilhos, chapas oriundas de navios sucateados, etc etc
    Muitas dessas sucatas são compradas em leilões. Esse tipo de sucateiro (ferro velho),
    têm como finalidade revendêlos a grandes indústrias siderúrgicas. A sucata de ferro é ainda, se eu não estiver enganado, a principal matéria prima para o fabrico de ferros novos. Tais como vergalhão, vigas, chapas, arames, etc etc.
    Dificilmente um grande sucateiro compra desses “fornecedores” de pedaço de estátua de bronze, portas de alumínio, cobres e por aí vai.
    Esses já sabem aonde vender.
    Quanto a deputada que quer implantar o roubo de alimentos para matar a fome, se colar, veremos em breve os grandes supermercados fecharem as portas, tais como Guanabara , Carrefour, Extra, Pão de Açúcar, etc.
    Ficaria mais bonito ela pegar uns 50% do seu salário para comprar alimentos e distribuir para os necessitados.
    Tá de sacanagem.

  16. É absurda a presença constante da tal kombi circulando livremente pelos bairros com seu sistema de som tosco em volume altíssimo. Uma tremenda poluição sonora! Total falta de respeito com o cidadão que paga um IPTU caríssimo. Por que não são multados? Qto será que os policiais estão levando pra fechar os olhos (e os ouvidos)?

  17. Desculpe aos mentirosos hipócritas, a sociedade desfavorecidas nunca impôs só quando há liberdade. Os ferros velhos virou isso, nunca houve legalidade ou oportunidade para melhorar suas atividades, as indústrias que compram esses materiais não investi na capacitação.Por favor não ponha Culpa onde não houve educação.

  18. Revelador a questão apontada pelo comentarista Wilson.
    É questão a se apurar.
    Mas observe que se os donos de ferros-velho de bem (por assim dizer) compram e descartam (onde?). se nos lixões, então estariam cheios desses materiais.
    Logo um ou outro dono de ferro-velhos fazer isso (de comprar e descartar sabendo da origem ilícita) é uma provável exceção à regra.

    Se muitos cracudos ou pessoas em situação de rua praticam furtos de bens, logo, caso houvesse alguma limitação de ferros-velhos continuariam aqueles de alguma maneira praticando os furtos encontrando alguma logística oferecida por aqueles que verdadeiramente lucram com isso.

  19. E tem uma deputada do PSOL lá em Brasília Taliria Petroni querendo aprovar uma lei que diz que o furto por necessidade não é crime. Imagine se esse PL for aprovado. Em parte, a culpa por esses absurdos é nossa. Elegemos bandidos para criarem leis.

    • Mas furto por necessidade, também chamado de famélico, já não é crime segundo jurisprudência do STF e do STJ seguindo parâmetro das democracias do mundo e mais moderna do direito penal aplicado…
      Mas uma coisa é roubar 1 kg de arroz, de frango ou itens de necessidade. Outra é de bagatela pelo valor em detrimento com a finalidade da pena considerando outros meios de reparação do dano, contudo neste ignorando muitos dos juristas defensores da tese o fato de que a vítima precisando acionar o infrator teria que gastar recursos com advogado enquanto o fato (furto ou roubo) é crime de ação pública.

      • Vale lembrar que o princípio da bagatela ou insignificância só é aplicado 1x, não vale para o reincidente e para formação de quadrilha, que mais de uma pessoa se uunta para cometer furtos, por motivos óbvios, mas tem juiz liberando geral, até de gente reincidente em furtar picanha, o cara só quer a carne melhor, piada, né? Não confunda, furtou um biscoito uma vez, tudo bem, mas quem vive cometendo pequenos assaltos acaba depois virando uma grande bandido.

  20. Se o governo for sustentar essas milhares de família que dependem da reciclagem, blz, tiram uma meia dúzia de benefício dos políticos que num estante sobra dinheiro pra isso. AG tá confundir bandido, ladrão, receptor com trabalhador??? Isso que não dá!!!!

      • Hélio, Não dá idéia pra esses degenerados. Estudar para arranjar emprego os depravados não querem, só querem ser sustentados pelo governo, igual ao Tico santa Cruz q disse que “infelizmente eu moro num país em que precisa trabalhar”. kkkkk piada, né. Ou será que ele quer a volta da escravidão para trabalharem pra ele?

  21. Trabalhei de 72 a 95, 23 anos em duas grandes empresas siderúrgicas. Durante 21 anos, desses 23, fui vendedor dos produtos produzidos pelas mesmas.
    Durante o período tive vários clientes proprietários de ferros velhos. Compravam comigo vergalhões novos como compravam também ferros sucateados de demolições. Tudo legal.
    Mas, também compravam de carroceiros que catavam pelas ruas latas, pedaços de canos, pedaços de ferro etc.
    Estes também tinham o vício. O vício da cachaça. Na sua maioria eram alcolatras.
    Hj a situação desses proprietários de ferros velhos mudou.
    Estive mais ou menos um ou dois anos atrás conversando com um proprietário de um ferro velho estabelecido há mais de 40 anos.
    Perguntei se ele comprava esses produtos roubados, tais como alumínio, bronze e metal. Respondeu-me que sim.
    Fiquei surpreso com a resposta e comentei: Poxa fulano, vc como seu falecido pai sempre foram pessoas honestas o que de imediato respondeu-me: compro e descarto. Ou seja, não revendo. Compro “porque sou ameaçado”
    se não comprar. E assim acontece com alguns donos de ferro velho. Esta é a situação que vivem alguns proprietários.
    O Rio de Janeiro acabou.
    Em tempo: entre para o wathsap de vcs, mas saí logo. Estaria privado de dar sugestões. Pois sugestões só os administradores do grupo. Achei um absurdo.

  22. Concordo com a reportagem ,o problema não são os catadores de latinha e nem os carroceiros mas os cracudos que roubam tudo e vendem no ferro velho da esquina e ficam em grupos cheirando. Em cada bairro na esquina tem um e os donos dos ferro velhos estão adorando e a população que paga os impostos fica refém desse tipo de coisa. Tem que tirar eles sim das áreas residênciais. Prefeito e Governador tem que dar um jeito nisso os impostos são altos IPTU, água,luz e ainda ter esse tipo de coisa preocupando o povo trabalhador. O interessante é que nem um político ninguém faz nada pq será?

  23. Tudo muito interessante e conflitante.
    É típica cena do cachorro correndo atrás do próprio rabo.
    A solução e extremamente complexa pois passa por mudança e estruturação de toda sociedade da base ao pico.
    Essa guarda municipal é uma criação totalmente inútil .
    Tudo passa por uma gestão seria nacional , quanto aos ferros velhos precisamos acabar com estes varejos e criar pólos de reciclagem por área com seus profissionais legalizados , capacitados , motivados e vom perspectivas de futuro em todos os sentidos .
    A questão principal e fundamental é a sociedade como um todo quer acerta e aprender e corrigir com erros ,ou tudo é apenas mas uma onda q vamos levando a caminho do caos nítido. Bom dia .

  24. O Rio acabou acreditem !!!
    Vivemos como em países em guerra…”Leis” criadas para não serem cumpridas…
    Lembro que o discurso para criacao da Guarda Munícipal era o mobiliário público, ronda pelas ruas na defesa do cidadão e as portas de Escolas…no 1o ano entraram na Justiça para ficarem com trânsito e as multas…No Porto Maravilha eles não orientam e nem ajudam o turista que chega e sai nos Navios eles viram as costas para o turista que traz o diheiro para cidade e ficam multando quem para para deixar alguém…
    Sobre os Ferros Velhos…entra lá na ” Terra sem Leis” e fala que vai fechar …

    • Exatamente isso que eu escrevi. E ainda a GM quer andar armada, eles dizem que é pra defesa, mas a gente sabe que eles querem é ganhar um por fora fazendo segurança particular, essa GM é um antro de corrupção, de foras-da-lei, foi um erro do Cesar Maia ter criado mais um órgão inútil às custas da população, a cidade está entregue aos crachudos e ninguém vê nada? Roubam cabos de eneria e telefone, deixam as ruas sem internet e ninguém vê? A cidade repleta de flanelinhas extorquindo os moradores e a GM não faz nada!

  25. Dá emprego pro cidadão, seu corno! São quase 15 milhões de desempregados! Gente passando fome e muitos nem consegue essa esmola do Bolsa Família! Esses bostas de guardas municipais só sabem multar e rebocar o carro do cidadão de bem! Pq nao estão tomando conta do patrimônio público??? Bando de hipócritas!!!!

  26. Bom dia a todos: o que precisa acabar é com o crack .
    As comunidades q não vende está miserável não tem este problema tão devastador , nossos governantes não se importa com isso, se roubar eles colocam ou superfaturado . Pra q prender um cidadão q não gera valores no presídio.
    Isso é o q vemos TDS os dia nós noticiários
    Fim dos tempos, SO JESUS SALVA!!!!

  27. Quem tá fazendo mal ou ao Rio de janeiro nossos governantes tá deixando todo mundo miserável pobre aí por isso que acontece isso daí cheio de m********* ladrão no Rio de janeiro os cara tudo solto vai fazer o quê vai vender para o ferro velho ferro velho tem que acabar não vai dar muito dinheiro muita gente

    • Sim, vc tem raxão, mas quem botou os governantes no poder, meu caro? No RJ os cariocas votam em troca de fraldas, bolsas de compras, carrinhos de bebê…por aí vai… Onde tem favelas tem pessoas vendendo votos.

  28. Concordo plenamente com Carlos Crispim, qual o papel da Guarda Municipal hoje no Rio? Virou órgão de arrecadação do atual prefeito, só sabem multar os carros mas nada

  29. Você é um imbecil hipócrita quantas famílias sobrevivem da reciclagem , a crime eu concordo mais é a minuria que não são bem visto pelas pessoas serias , a marginais eu concordo mais na política , polícia , jornalista tamdem tem , então pare de babaquice e vai ajudas organizar

  30. Reportagem imbecil…
    Realmente a humanidade não deu certo…
    Isso é problema de segurança pública !
    Faremos então como o corno, venderemos o sofá.
    Tsc tsc

  31. E qual é o papel da Guarda Municipal nessa história? Nenhum. Mais um órgão INÚTIL que foi criado para tomar conta do bem público, praças, monumentos, mobiliário urbano, e etc…E o que eles fazem? NADA. É tão difícil colocar a GM nas ruas para tomar conta? Claro que é, eles estão multando os carros a mando do prefeito para aumentar a arrecadação, ganhando gratificação para bater a meta de multas; hoje a GM é relegada ao papel de multador, devia estar subordinada à SMF e não mais à Ordem Pública. Inúteis, vergonhosos! E não adianta caçar alvarás de ferros-velhos, pois dentro de comunidade ninguém tem alvará, tem que prender, a única solução é prender uma dúzia para servir de exemplo, o que faz o bandido temer cometer crime novamente é a punição, mas como hoje tá todo mundo solto, inclusive o maior ladrão do país, o exemplo vem de cima.

    • A maioria dos furtos é de madrugada. Não existe escala de trabalho nesse horário para a Guarda Municipal. Porque tu não se oferece para fazer a guarda?

      • A Guarda Municipal tem atribuição prevista originariamente na Constituição da República, para proteção de bens e serviços municipais.
        Primeiro tem que ver se as praças, parques, prédios e monumentos municipais estão recebendo sob proteção como manda a Constituição.
        Se é para proteger, é 24 horas.
        Do contrário, a ocasião faz o ladrão.

        Querem armar a Guarda e colocá-la para atuar em apoio na Segurança Pública que, para efeitos legais, é competência das Polícias – a Civil investigativo e a Militar o preventivo.

        Se as Polícias do Estado (citadas) estão assoberbadas e não conseguem cumprir a atribuição, não é por isso que se deve desviar a Guarda Municipal para apoio àquelas – ainda mais se deixa a desejar no básico da missão da GM-RIO.

        Uma observação quando falando de polícias assoberbadas estou me referindo que grande parte do problema está no modelo.
        As Polícias civil e militar se ocupa demais nos seus trabalhos com questões relacionadas ao tráfico, que na verdade, pela Constituição, deveria a Polícia Federal estar tratando – as drogas não são produzidas aqui, as armas não são produzidas aqui… tudo bem de fora pelas fronteiras, e as organizações criminosas tem atuação em mais de um estado, crimes com repercussão em mais de um estado, logo são de repercussão interestadual o ingresso de armas e drogas.

        • Exatamente, Danico, mas o Marco Alves acha que os guardas municipais e políciais tem que parar o trabalho pra dormirem, que ingenuidade, chega a ser infantil, os serviços essenciais são feitos 24h/dia, a bandidagem não pára pra dormir, imagina um bombeiro deixando de apagar incêndio porque ocorreu de madrugada e ele está dormindo? KKKKKKK Cada órgão público tem sua atribuição legal e um não supre a do outro, isso é basilar no estado democrático de direito. A questão estrutural da polícia, a meu ver, nunca é atacada, existem projetos de lei que estão parados, isso devia ser política de estado. Exemplo: Transformar o atual aparato policial em “Polícia de Ciclo Completo”, como ocorre nos nos países desenvolvidos. Outra coisa é defender a política de armar o cidadão de bem e aprovar o excludente de ilicitude para todos, o q já é previsto no CPP, mas não é cumprido. Uma coisa o ex-governador corrupto WW tinha razão,quem está com um fuzil na mão andando pelas ruas ameaçando os outros é bandido e tem de ser abatido imediatamente.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui