Sobrou até para mangueira: Cracudos furtam metal de equipamento de incêndio

Porteiros do Rio Comprido, onde ocorreu o caso, receberão treinamento da Polícia Militar

Nem os equipamentos de emergência escapam da ação dos usuários de crack. No Rio Comprido, na Zona Norte, um cracudo invadiu um prédio e furtou o metal de uma mangueira de incêndio. O fato aconteceu na Rua Dona Cecília e motivou reclamação de moradores que já não aguentam os furtos, que geralmente acontecem de madrugada.

Para coibir os crimes, o 4º BPM (São Cristóvão), responsável pela área, está readequando o policiamento na região para reforçar a segurança, identificar os autores e detê-los. De acordo com a assessoria de imprensa da Polícia Militar, a unidade está em contato com representantes locais para organizar um curso com instruções de segurança para os porteiros dos prédios do bairro, visando capacitar os profissionais para perceber situações suspeitas, tornando as medidas de precaução nestas edificações mais eficazes e propiciando o acionamento das equipes policiais mais rápido.

O deputado estadual Rodrigo Amorim (PTB) acredita que trazer o policiamento do Bairro Seguro de Santa Teresa até aquela região auxiliaria na redução de ocorrências. “Uma pena que quando implantamos este projeto, que é de minha autoria, vários moradores de esquerda foram contra. Infelizmente, esta é a realidade de nossa cidade, sem policiamento os bairros morrem de inanição, de falta de atividade econômica”, lamenta.

Em uma coletiva de imprensa em dezembro, o prefeito do Rio, Eduardo Paes (PSD), sugeriu a internação compulsória dos chamados “cracudos”. Segundo a Prefeitura, mais informações sobre o estudo citado por Paes na ocasião serão divulgadas em momento oportuno. Além da Secretaria Municipal de Assistência Social, através da atuação dos Centros de Atenção Psicossocial (Caps), a Secretaria de Ordem Pública (Seop) atuaria com a repressão. Embora polêmica, a iniciativa já contaria com apoio de parte da população.

No Riachuelo, em outro bairro da Zona Norte, os furtos de materiais metálicos já causaram princípio de incêndio em um supermercado. O crime foi cometido de madrugada e a loja teve que ficar fechada no dia seguinte até ser liberada.

O sistema da Supervia também costuma ser alvo de cracudos que levam cabos. Além dos prejuízos financeiros, o passageiro é afetado, pois as operações atrasam, causando também superlotação. Um levantamento da concessionária aponta que, no primeiro semestre de 2022, houve aumento de furtos de cabos, totalizando quase 57 quilômetros em extensão, o triplo em relação ao ano anterior. 

Formada em Comunicação Social desde 2004, com bacharelado em jornalismo, tem extensão de Jornalismo e Políticas Públicas pela UFRJ. É apaixonada por política e economia, coleciona experiências que vão desde jornais populares às editorias de mercado. Além de gastar sola de sapato também com muita carioquice.
Advertisement

1 COMENTÁRIO

  1. Essa turma fuma, bebe e cheira qualquer metal…dá bobeira só para você ver. Daqui a pouco roubarão até as maçanetas de portões de casas, garagens e prédios.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui